06. Aquela Pessoa

Capítulo Único

Olá, querido,
Hoje no mercado escutei duas jovens, ou adolescentes, não sei. Elas tagarelavam sobre várias coisas. De notas escolares ao penteado novo da Kylie Jenner, seja lá quem for essa. Enfim, nada interessante. Apenas conversas bobas de pessoas jovens. O que de fato me chamou a atenção foi uma delas falar o seguinte:
“Luísa, o Guilherme certamente é Aquela Pessoa.”
Fiquei matutando sobre o que significaria esse termo. Talvez fizesse referência a algo que foi dito na conversa anteriormente, mas, por curiosidade, continuei a prestar atenção na conversa alheia. Hábito de velha, acredito eu.
O resultado foi satisfatório, descobri que esse termo veio de uma música, um hit sertanejo, na verdade, coisa que descobri em casa, quando pesquisei na internet.
Lendo a letra senti uma onda de sentimento que não consegui identificar, uma mistura de nostalgia e desejo, talvez.
Me perguntei se eu teria tido Aquela Pessoa. Pergunta boba de se fazer, eu sei, quando já tinha vivido a plenitude do primeiro amor com você.
Mas me perguntei mesmo assim, talvez para aliviar o peso da culpa ou, quem sabe, para mentir pra mim mesma falando que não, você não foi Aquela Pessoa para mim.
Eu amei meu marido, amei em todos os anos que compartilhamos. O amei enquanto construímos a nossa vida. Mas sempre te amei mais.
Foi com você que experimentei a beleza, graciosidade e inocência do primeiro beijo.
Foi contigo que enfrentei, pela primeira vez, a dor da perda. Quando o telefone do apartamento tocou e me pediram para ir até em casa. Eu sabia que algo tinha acontecido. Só precisei te olhar e você entendeu isso também. Pegou minha mão e fomos juntos, enfrentar o que estava por vir.
Foi com você que passei momentos memoráveis, como a primeira viagem para fora do país em que os dois só tinham, juntos, duas mochilas, inglês enferrujado e pouquíssimo dinheiro. Mas que conseguiu ser, entre pratos lavados em troca de hospedagem e faxinas em casas de ricaços, algumas das melhores semanas da minha vida.
Lembra quando resolvemos morar juntos? Meses juntando dinheiro, economizando nas saídas, procurando trabalho, mudando os turnos da faculdade e pesquisando apartamentos. Foi tão exaustivo. Tinha momentos que acreditava que não conseguiríamos passar por aquilo juntos. Mas conseguimos. Fizemos dar certo.
Até que não deu mais. O relacionamento se desgastou, coisas foram ditas e o seu amor acabou.
Hoje, 7 anos após a morte do meu marido, sei que, mesmo o tendo amado, nunca o amei como ele merecia. Pois o espaço que ele devia ocupar em meu coração, já pertencia a você.


Todo mundo tem uma pessoa, aquela pessoa
Que te faz esquecer todas as outras
Todo mundo tem uma pessoa, aquela pessoa


Mais uma carta não enviada para aquele que foi Aquela Pessoa para mim.
Mas que encontrou a Pessoa dele em outro alguém.






Fim!





comments powered by Disqus