Finalizada em: 24/07/2017

Capítulo Único


Totalmente distraído com a revelação das fotos, só ouviu a campainha tocar em seu segundo toque, deixando tudo de lado para subir apressado as escadas que o levavam para o estúdio, dois degraus de cada vez.
A verdade era que coisas como aquela sempre aconteciam quando ele começava a trabalhar nas fotos que havia tirado, olhando e analisando cada uma delas conforme as imagens apareciam no papel. Sempre achou um tanto quanto mágico a forma como elas surgiam, gradativamente. Lembrava-se de ver o pai fazendo isso na infância. De como ficava encantado em acompanhá-lo em seu trabalho por isso. Quando pensava sobre o assunto, não conseguia evitar a nostalgia que lhe atingia. Assim como o pai, trabalhava no que mais gostava e a sensação não podia ser melhor.
Quando finalmente chegou até a porta, já entrava em seu estúdio, timidamente, e viu suas bochechas corarem ao ser pega no flagra por isso, mesmo que ele já lhe tivesse dado permissão prévia para entrar.
- Eu... Ahn... – ela começou e ele sorriu, negando com a cabeça.
- Eu disse que podia entrar, não tem problema. – a lembrou e ela concordou timidamente, com um meio sorriso. Um totalmente diferente do qual estava acostumado a admirar de longe. Não tinha a mesma alegria que ele via normalmente, e até fotografava as vezes, secretamente também, apenas para apagar depois sentindo-se culpado por fotografá-la sem que soubesse. – deixou as roupas aqui mais cedo, estão ali atrás do biombo, mas tem um banheiro ao lado, você pode se trocar ali.
A garota olhou para a direção que o rapaz havia indicado e concordou com a cabeça, suspirando em seguida. Ele soube, sem precisar de muito mais do que aquilo, que algo a incomodava.
Ao notar que a observava, ela mordeu o lábio inferior, sem jeito.
- Ahn... Ela deveria estar aqui, a . – falou, como se tentasse usar aquilo como desculpa para seu humor, mas por mais maníaco que aquilo soasse, a verdade era que ele a observava o suficiente para saber que era mentira. – São as fotos para a coleção dela, o mínimo a se fazer é estar presente. – explicou e o garoto concordou com a cabeça, com um sorriso divertido brincando nos lábios. Quando ela o encarou, suas bochechas coraram e ela, rapidamente, desviou o olhar de volta para o biombo, apontando em sua direção. – Eu... vou... – começou, incerta, e não pode deixar de sentir uma pontinha de esperanças com sua reação.
- Certo. – ele concordou, a acompanhando com o olhar enquanto ela dava as costas para ele.
“Ela pode ter corado unicamente pelo fato de você tê-la envergonhado com seu olhar de maníaco”, pensou consigo mesmo, passando as mãos pelos cabelos antes de dar as costas para o biombo para pegar a câmera, pendurando-a em seu pescoço.
já havia conferido a iluminação e o fundo, mas o fez novamente, reposicionando as coisas apenas para terminar deixando-as no mesmo lugar. A verdade era que estava ansioso. Ela fazia aquilo com ele, o deixava ansioso e um tanto quando desligado, bobo. era melhor amiga de ambos e ele já havia perdido a conta de quantas vezes tentara, sem sucesso, juntá-los.
Essa tentativa de agora era, com certeza, a mais desesperada. cursava moda, precisava de uma modelo para a linha que estava criando para o trabalho de conclusão de curso e um fotografo. Na verdade, ela até poderia ser sua própria fotografa, mas é claro que preferiu jogar a tarefa para antes de sumir no mundo.
se quer lhe avisou do que faria, ela apenas abusou do acesso livre que tinha ao estúdio dele para deixar as roupas e um bilhete:

chega às 15h. As roupas estão nos cabides.
Não faça nada que eu não faria, mas também não faça nada do que você faria normalmente.
E se desperdiçar essa chance, eu te mato.
Boa sorte :)”


odiou profundamente aquela carinha feliz e passou a tarde inteira nervoso, tentando ligar para para saber se o bilhete dizia mesmo o que ele imaginou que dizia.
Era obvio que sim, ela a cara dela, na verdade.
- Ela... te falou alguma coisa? – perguntou, e só então se deu conta de que ela se trocava atrás do próprio biombo, não se importando e ir de fato para o banheiro. Havia uma luz fraca ali, que o permitia enxergar perfeitamente as curvas de seu corpo e acabou apreciando-as por tempo demais antes de se dar conta do que fazia, dando as costas enquanto se amaldiçoava.
“Um maníaco. Você definitivamente é um maníaco.”
- ? – ele perguntou após franzir o cenho para tentar retomar o controle.
- Sim. – ela respondeu. – Não tenho certeza quando ao que vestir primeiro.
- Tudo o que ela fez foi me deixar um bilhete depois de invadir o estúdio para deixar as roupas.
- Isso é a cara dela. – respondeu, soando ligeiramente mais bem humorada e ele sorriu por isso.
- Definitivamente. – respondeu. – Bom, se ela confiou na gente pra fazer isso, só... Vista o que preferir. – abriu a boca para continuar a frase, sugerir o vermelho, mas se calou. A verdade era que gostava dela vestindo vermelho e não era como se pudesse se justificar por isso.
A garota concordou, e ele não se moveu de onde estava enquanto esperava, apenas para não correr o risco de espiá-la novamente.
- Pronto. – a garota falou após alguns instantes e se virou para ela, vendo a garota sair de trás do biombo com uma folha de papel em mãos. Ela estava concentrada na leitura e agradeceu mentalmente por isso, não conseguindo evitar descer o olhar para o seu corpo.
havia feito um trabalho totalmente excelente e acertara as medidas com precisão cruel. O vestido vermelho, que na verdade puxava muito mais para o vinho, contornava seu corpo e ressaltava todas as curvas da garota. Era uma peça justa, apenas na altura das coxas que ele ficava mais solto, abrindo-se em uma fenda na perna direita. No busto, um decote até que discreto apesar de ser aberto até pouco abaixo dos seios, com as alças cruzadas na frente.
Era justamente aquele vestido que ele estava ansioso para vê-la vestir, mas de repente, amaldiçoou por ele. Na verdade, ele já tinha perdido a conta de quantas vezes amaldiçoara aquele dia.
Mulherzinha cruel.
- Você acredita que ela me deixou instruções? – perguntou, chocada, e levantou o olhar rapidamente para o rosto da garota, desconfiando de que, agora, ele que havia ficado envergonhado.
Mas ela não pareceu notar, para sua sorte. apenas chacoalhou a folha a sua frente, desacreditada.
- “O vestido vermelho com o batom nude e o sapato de tiras, da mesma cor e blá, blá, blá”. – ela leu. - A gente não pode só fazer tudo ao contrário e deixar que ela se vire?
- Se você se responsabilizar pela fúria do animal. – respondeu e sorriu quando ela fez o mesmo, parecendo um pouco mais com o sorriso com o qual estava acostumado, embora não soasse completamente feliz ainda.
Havia algo errado. Mais uma vez, ele teve certeza.
- Acho que você tem razão. – ela falou. – Onde...? – começou, e ele apontou para a mesa ao lado, ciente do que ela perguntaria. havia deixado uma caixa de maquiagem sobre a mesa, junto com outra de jóias e os sapatos embaixo. – A odeio mais a cada instante. – resmungou, deixando a folha de lado para olhar o que havia ali. fez o mesmo.
- Bom, ela etiquetou as coisas. – ele falou, achando o batom mencionado sem dificuldade, o entregando a que abriu a embalagem para passá-lo nos lábios. Ela se inclinou para a frente, para alcançar o espelho baixo sobre a mesa e não pode evitar se perguntar se ela tinha noção do quão bonita era, pois o estava enlouquecendo. Precisou lutar contra a vontade de não olhar novamente para seu corpo e focar nas jóias ao lado, também etiquetadas. – Essa, no braço... esquerdo. – disse ele, havia escrito aquilo também nas etiquetas. Estendeu a peça para ela e a garota aceitou, seguindo a instrução da amiga que se voltou para a folha novamente em seguida.
- “Peça para decidir quando ao cabelo”. – leu em voz alta, mas enquanto amaldiçoava a amiga mais uma vez, viu a garota corar novamente antes de erguer o olhar para ele. tinha o cabelo preso em um coque um tanto quanto bagunçado. Ficava ótimo nela na verdade, os fios caindo em seu rosto, mas ele sabia como preferia. Solto. Ele sempre preferia solto e também sabia disso.
- Eu... Posso? – ele perguntou, erguendo uma das mãos e ela concordou, então deu mais um passo em sua direção, aproximando-se o suficiente para soltar seus cabelos enquanto o coração disparava em seu peito.
Nunca tinha chegado perto o suficiente para sentir seu perfume e soube que aquele cheiro ficaria impregnado em sua memória como o melhor que já havia provado. Sentiu o olhar da garota preso a ele enquanto puxava os cabelos dela para frente, deixando que caíssem sobre seus ombros. Ela sorriu sem jeito quando ele terminou, deixando o olhar cair sobre ela também e nunca, jamais, de viu tão tentado em beijá-la. Estavam, definitivamente, próximos demais para que fosse saudável.
- deveria estar aqui para, pelo menos, fazer direito essa coisa de maquiagem. – ela falou baixo, ciente de que daquela distância, ele poderia ouvir e tudo que fez foi negar com a cabeça.
- Está linda assim. – respondeu, sem se dar conta, mas afastou-se dela assim que notou. Não esperando para ver sua reação.
Aquele era seu trabalho, por Deus. Ele tinha que demonstrar pelo menos o mínimo de profissionalismo.
- Você... Uhm... – ele voltou a falar, sem jeito, enquanto se voltava para o fundo branco. – Quer começar? – perguntou, esquecendo-se totalmente de que ela não havia calçado os sapatos até se voltar para ela, olhando para baixo da mesa. – Ah, sim. Desculpe. – pediu, sem jeito, vendo a garota se abaixar novamente para pegar o sapato.
Ela, definitivamente, tinha que parar de fazer aquilo, pensou , desviando o olhar rapidamente para evitar, mais uma vez, perder a atenção nas suas curvas por mais tempo do que o necessário.
Quando ela terminou, finamente foi para frente do fundo branco, onde a esperava, parecendo no mínimo desconfortável com a câmera.
- Eu não tenho ideia do que fazer. – ela riu sem graça, uma risada ligeiramente forçada e não pode deixar de estranhar a atitude, mas não disse nada. Não cabia a ele dizer.
- Você só precisa expulsar o que te incomoda e sorrir para mim. – ele pediu, a encorajando com o seu próprio sorriso que ela tentou imitar, embora o tenha feito de forma um tanto quanto tímida. Ele disparou a primeira foto, unicamente pelo fato dela estar totalmente linda naquele vestido, mesmo com o sorriso envergonhado, mas deixou a câmera descansar ao redor do seu pescoço novamente depois, seguindo até a direção da garota. Ele estendeu a mão para ela, que olhou para ele sem entender. – Vem comigo. – incentivou e, mesmo parecendo receosa, ela aceitou a mão que ele estendia.
Só precisaram dar alguns poucos passos para estarem em frente ao enorme espelho para onde ele a levou, cuidando para que seus corpos não se tocassem ao parar logo atrás dela. arrumou seus cabelos novamente, soltando a mão dela para pausar a sua em um dos ombros da garota. Ela utilizava o reflexo para olhar para ele, vários centímetros mais alto que ela e o rapaz tocou gentilmente seu rosto para que ela olhasse para si mesma, a fazendo corar novamente.
- O que você vê? – perguntou e após encarar o próprio reflexo por alguns instantes, ela apenas negou com a cabeça. – Nada? – ele perguntou com uma dose de humor, sem acreditar nisso, exatamente. – ficaria ofendida.
- O vestido é lindo. – ela acabou rindo fraco. Dessa vez pareceu um pouco com si mesma e ele alargou seu sorriso por isso.
- Só o vestido? – ele perguntou, virando a cabeça para olhar para ela, não para seu reflexo. – Não tem mesmo nenhuma observação quanto ao manequim?
- Talvez o vestido tenha feito algum milagre. – comentou e ergueu uma sobrancelha.
- Milagre? – voltou a perguntar. – Eu tenho vários espelhos aqui, para o caso de estar precisando de algum. – brincou e ela sorriu mais uma vez. – É esse sorriso que eu quero ver. – falou para ela, notando que ela o encarava quando voltou a atenção novamente para seu reflexo, mas não desviou o olhar. – E você pode chamar do que quiser, embora eu não concorde, devo ressaltar, mas você está linda. Lembre-se disso também e sorria para mim. – completou, dando um passo para trás ao se afastar.
Indicou o caminho para que ela seguisse e a garota passou por ele para voltar para seu lugar. Ela parou com a perna direita, onde havia a fenda, um pouco mais a frente e ergueu a cabeça. Ela não sorriu dessa vez, apesar do que ele havia pedido, mas de forma alguma precisava. Fez com que ele perdesse o fôlego imediatamente e se apressou rapidamente para a câmera, antes que ela notasse. Tirou algumas fotos naquela posição e viu sorrir de lado quando a elogiou pela atitude. Era um sorriso que ela tentara conter, mas deu um ar diferente para a foto, um mais seguro que ele elogiou novamente.
- Sabe, você não está realmente ajudando muito com isso. – ela falou, parecendo mais animada e ele parou o que fazia para rir.
- Não? – perguntou. – Eu discordo. – disparou mais uma foto quando ela negou com a cabeça em forma de reprovação. – Você vai concordar quando ver as fotos. – disparou mais uma e ela torceu o nariz para o flash, não estando preparada para ele. não perdeu a oportunidade e disparou novamente, repetindo o gesto quando ela riu.
- Para com isso. – pediu, divertida, e ele riu também.
- Mas eu sou o fotógrafo, estou aqui para isso. – se defendeu.
- Eu não estava preparada. – protestou, batendo o pé, e ele tirou outra foto. – !
- As espontâneas são as melhores. – disse em provocação. – Você sorri, e eu faço isso durar para sempre. Vamos, agora de lado. – pediu, e ela o olhou em reprovação novamente por ter mudado de assunto. Ignorando sua atitude, ele fez uma voltinha com os dedos, pedindo que ela o fizesse e a garota o fez, virando, no entanto, para o lado errado. Era óbvio que o que ele queria era a fenda.
ergueu o olhar da câmera como se perguntasse se era mesmo sério e ela deu de ombros.
- Seja mais específico. – pediu e ele estreitou os olhos.
- Para o outro lado, querida. – respondeu, fazendo com que ela risse do apelido antes de obedecê-lo. tirou algumas fotos daquela forma, tentando não olhar demais para a perna exposta da garota antes de lhe dar uma nova instrução. Quando jogou a cabeça para trás, como ele havia pedido, sorriu, disparando mais algumas vezes antes de parar para ver o resultado.
- É injusto que só você veja. – ela reclamou, mas ele apenas sorriu, sem parar de o que fazia. – . – ela insistiu e ele riu.
- Eu sou o fotografo. Você tem que ir para a próxima troca de roupas. – respondeu e ela fingiu estar ofendida ao encará-lo. – O quê? É verdade. - ela olhou feio e ele tirou a câmera do pescoço. – Vem. – a chamou e a garota atendeu seu pedido de forma animada, parando ligeiramente atrás dele para olhar a câmera. Diferente dele, encostou seu corpo ao dele. Um toque totalmente superficial na verdade, um toque que ele teria ignorado se fosse qualquer outra, mas estava apaixonado por ela há tempo demais para que o gesto passasse despercebido.
- Você é realmente muito bom. – ela falou, olhando para as fotos e ele se obrigou a voltar a respirar para respondê-la.
- Eu te garanto que se a modelo não ajudar, não posso fazer nada. – disse e sentiu a respiração dela em seu pescoço quanto ela riu, o fazendo morder o lábio inferior para se conter.
- Eu estava triste quando cheguei. – confessou ela, o tom de voz baixo. – Não achei que daria certo, que pudesse ser fácil. Você fez parecer fácil.
virou a cabeça para encará-la e o olhar da garota caiu em seus lábios por um instante antes que ela o subisse novamente para seus olhos, com as bochechas novamente ruborizadas.
Foi então que desconfiou do óbvio. era muito mais amiga de do que de . Ela não faria aquilo por ele se aquilo nunca tivesse passado pela cabeça da amiga.
- fez de propósito. – afirmou e viu concordar com a cabeça um tanto quanto incerta e totalmente envergonhada pela afirmação. – O que... ela contou? – perguntou, ligeiramente receoso. Era louco por ela, sabia e se perguntou se havia contato, mas tudo o que fez foi estreitar os olhos, como se não soubesse de nada.
Ele tinha acabado de se entregar e voltou seu olhar para a câmera por alguns instantes, rindo fraco enquanto negava com a cabeça.
- Ela tinha o que contar? – perguntou, encostando a cabeça em seu ombro. O gesto, agora, já não parecia mais tão inocente e sentiu seu corpo esquentar. Ela provavelmente já chegara na mesma conclusão que ele agora. Não era como se ele tivesse ajudado a si mesmo.
- Eu fotografo seus sorrisos as escondidas desde que ela nos apresentou e apago as fotos depois simplesmente porque soa errado. – confessou de uma vez sem encará-la, sentindo-se ainda mais ridículo por dizer aquilo em voz alta. – E você está me deixando louco nessa posição, mesmo que nossos corpos mal se toquem. – continuou e ela o envolveu com os braços, o abraçando por trás. Ele fechou os olhos por um instante, sentindo a respiração dela próxima ao seu ouvido e dessa vez não resistiu, virando-se de frente para ela e tomando seu rosto entre as mãos para beijá-la de uma vez.
Ele imaginou aquele beijo milhares de vezes em sua cabeça. Imaginou o calor do seus lábios, a textura, o sabor, mas jamais conseguiu chegar perto do que era de verdade, da completa bagunça que aquilo fez com sua cabeça. Havia criado uma expectativa gigantesca acerca daquele momento e ao contrário do que dizem, não ficou decepcionado com a realidade. Ela era infinitamente melhor simplesmente por ser real.
envolveu sua cintura com um dos braços, trazendo o corpo dela para junto do seu sem deixar que seus lábios se afastassem e sentiu a garota puxar seus cabelos levemente com o contato. gostou de imaginar o motivo, pensar que talvez, aquele sentimento fosse recíproco. Que talvez, ele lhe tomasse o juízo da mesma forma que ela fazia com ele e mordeu seu lábio inferior quando foi necessário se afastar de sua boca para conseguir recuperar o ar. Sentiu a respiração pesada dela em seu rosto e sorriu contra seus lábios sem abrir os olhos.
- Eu te observava de longe. – ela confessou em um sussurro e só então lhe encarou, encontrando os olhos dela sobre os ele. – Quando você não está tirando fotos de mim as escondidas, aparentemente. – riu e ele fez o mesmo, mais satisfeito com a fala do que poderia sequer expressar.
Sem perder mais tempo, juntou seus lábios mais uma vez, sentindo-se derreter com o movimento deles junto aos seus. Subiu a mão em sua cintura por seu corpo, apreciando cada uma de suas curvas até estar no topo de suas costas. aprofundou o beijo, segurando em seus cabelos enquanto levava a outra mão, até então em seu rosto, de volta para sua cintura. O beijo, antes lendo, se tornou urgente e a garota ficou na ponta dos pés como se aquilo pudesse aumentar o contato de seus corpos. Nada podia, ele se deu conta, e era impossível estar mais satisfeito, sentindo seu corpo se arrepiar quando a garota desceu as unhas por suas costas, sobre a camisa.
soltou o ar contra sua boca, não conseguindo evitar as obscenidades que passaram por sua cabeça e como se a atitude a excitasse, a garota fez o mesmo, deixando-o completamente desconcentrado com o gesto.
Havia esperado aquilo por tempo demais, tinha centenas de coisas que gostaria de fazer, dizer, mas nada lhe vinha em mente. Ele só queria beijá-la, tocá-la e isso para começar. Ele queria aquele vestido jogado em qualquer canto do estúdio, queria estar dentro dela, queria ouvi-la gemer seu nome e desceu seus lábios para seu queixo, mordendo a região quando ela jogou a cabeça para trás, lhe permitindo fazê-lo.
se agarrou com mais força em seus cabelos, invadindo sua camisa com uma das mãos e viu aquilo como incentivo para continuar, beijando-lhe o pescoço antes de morder ali também. A ouviu suspirar baixinho e repetiu o gesto, descendo lentamente até estar em seu ombro descoberto pelo vestido.
Era uma bela peça de roupa, mas de repente a odiou pelo simples fato de estar no caminho. Não que isso o tenha impedido de morder onde pode alcançar antes de voltar lentamente para seu pescoço, satisfeito em senti-la se agarrar mais a ele por isso. levou os lábios até seu lóbulo, o puxando entre os dentes e segurou com mais força em sua cintura em resposta, sentindo o volume entre suas pernas crescer consideravelmente com o gesto tão simples.
Era muito desejo acumulado para que ela não o enlouquecesse e desistiu de sua cintura ao se lembrar das pernas perfeitamente esculpidas da garota, totalmente livres graças aquela fenda totalmente tentadora. tomou os lábios dela para os seus novamente antes de subir uma das mãos por ali, mas não se contentou em apenas apertar sua coxa livre e subiu mais, tocando sua bunda por baixo do vestido.
Dessa vez, gemeu baixo contra seus lábios, sem interromper o beijo e impulsionou seu corpo para cima, fazendo com que ela passasse as pernas ao seu redor.
Sem pensar duas vezes, se é que estivesse, de fato, pensando, a colocou sobre a mesa, não se importando em derrubar as coisas de no caminho. Ele queria tomá-la para si, cada parte dela que pudesse alcançar e apertou o corpo dela contra o seu, gemendo baixo junto com ela quando seus sexos roçaram um no outro.
Céus, ele estava excitado, mais do que poderia se lembrar e nenhum contato que tinham pareceu mais o suficiente para ele. Tinha roupa demais no caminho e ele estava com sede do seu corpo, de tocá-la. Como se viesse sofrendo com o mesmo problema que ele, o livrou da camisa que usava pela cabeça, não se importando com os botões. Se estivesse tão desesperada por aquilo quando ele, jamais conseguiria abri-los um a um, certamente não conseguiria.
voltou a beijá-lo assim que a peça foi ao chão e não se opôs ao contato de suas bocas, embora aquilo já não parecesse, nem de longe, o suficiente. Não com a ereção tão incomoda entre suas pernas. Sem que pudesse se conter, aproveitou de suas pernas abertas para ele e tocou sua intimidade sobre o tecido de sua calcinha, gemendo junto com ela ao notar o quão molhada ela estava e soltou um palavrão.
Agora, mais do que nunca, precisava estar dentro dela e se quer conseguiu provocá-la mais do que aquilo antes de lhe invadir com dois dedos, não depois se sentir sua umidade tão intensa.
jogou a cabeça para trás, agarrando-se em um de seus ombros enquanto a outra mão voltava para seus cabelos e voltou a beijar seu pescoço para não abafar os gemidos que ele queria tanto ouvir. Movimentou seus dedos dentro dela, lentamente, enquanto descia beijos por seu colo até estar entre seus seios e lambeu ali, vendo o corpo da garota se arrepiar em seus braços.
- ... – ela gemeu seu nome e ele sentiu sua ereção pulsar, tocando seu clitóris com o polegar sem parar de movimentar seus dedos dentro dela. Fora de si, a garota escondeu a cabeça em seu pescoço, sem fôlego, enquanto as mãos desciam por suas costas, uma delas parando somente após invadir sua calça, apertando sua bunda. Como se ele precisasse de mais alguma coisa para desejar estar dentro dela.
Sem conseguir mais se conter, tirou os dedos de dentro dela sob um resmungo insatisfeito que, no entanto, não durou muito. Antes mesmo que alcançasse os botões de sua calça, o fez, tomando aquela tarefa para si e o rapaz voltou novamente para seu pescoço, chupando o local antes de descer até seus seios, irritantemente cobertos pelo vestido.
Mais uma vez, ele xingou.
- Como eu me livro disso? – perguntou para ela, sem ter ideia de como se livrar de uma peça tão justa, mas ela simplesmente negou com a cabeça.
- Deixa ele ai, eu teria que me levantar. – ela resmungou, finalmente conseguindo descer o zíper de sua calça e ele não se opôs ao sentir a mão dela lhe envolver, soltando o ar contra seu decote.
- Quem liga pro vestido? – perguntou, mesmo que a peça o estivesse incomodando à um segundo e ela riu fraco por isso, masturbando-o lentamente.
Faminto, tomou seus lábios novamente, grunhindo entre o beijo. Estava duro demais para aquilo e parou seus movimentos antes que enlouquecesse. Não tinha mais juízo para aquele tipo de coisa, não depois de ter provado, com os dedos, a sensação de se estar dentro dela.
- Preservativo. – falou contra seus lábios, rompendo o beijo totalmente sem fôlego. – não esqueceria disso.
levou alguns instantes para entender o que ela havia dito, mas imediatamente viu o saquinho jogado ao seu lado. Caíra na mesa junto com as coisas de que haviam se espalhado ali. Em qualquer outra ocasião, teria rido com o fato da amiga pensar até mesmo naquele detalhe, mas estava excitado demais para isso e apenas o tomou em suas mãos, vestindo-se com ele antes de finalmente invadi-la sem vacilar.
escondeu o rosto em seu pescoço novamente, gemendo seu nome enquanto ele segurava com mais força em sua coxa exposta graças a fenda, apenas para que pudesse estocar dentro dela mais uma vez. Ela estava deliciosamente molhada, ainda mais agora e seu membro não teve qualquer dificuldade em deslizar para dentro dela, alcançando o mais fundo que conseguia alcançar antes de repetir a ação lentamente.
Ela se agarrou mais a ele, voltando a envolvê-lo com as pernas e mordeu seu ombro mais uma vez, não o soltando agora enquanto intensificava gradativamente os movimentos. Estar dentro dela era como provar de uma droga e seu cheiro não o ajudava a se manter são, não misturado com o cheiro de sexo que invadia o ambiente.
sentia coisas demais, cada uma delas melhor que a anterior e investiu dentro dela como se fosse a última coisa que faria na vida. Nem se importaria que fosse, na verdade, não quando era tão bom e segurou em seus cabeços para trazer seu rosto para o dele novamente. Queria voltar a beijá-la, mas a expressão excitada em sua face já era mais do que o suficiente e ele se permitiu apreciar a visão ao invés disso, seus lábios entreabertos enquanto gemia a cada nova investida.
deixou que ela jogasse o corpo para trás, deitando-se sobre a mesa mesmo que aquilo afastasse seus corpos, levasse embora seu calor.
Vê-la se agarrar a mesa, fora de si, era tão bom quando invadi-la e mordeu o próprio lábio enquanto o fazia, aumentando a velocidade dos movimentos. Ela passou a gemer mais alto em resposta e subiu a mão por seu corpo, odiando mais uma vez o vestido por não lhe permitir ter uma visão completa dele.
Sem pensar em mais nada, rasgou de uma vez a peça e que o perdoasse. Era um ótimo vestido, mas já havia ultrapassado todos os limites do incomodo e , de longe, pareceu se importar, especialmente quando as mãos dele puderam finalmente explorar seu corpo descoberto, com exceção da lingerie ainda ali, que ele, por hora, iria ignorar.
inclinou-se sobre ela, tocando seus seios com uma das mãos enquanto mantinha a outra em sua cintura para lhe ajudar com as estocadas e deliciou-se com a cena de ter juntando os próprios cabelos em um bolo no topo da cabeça, mal parecendo se dar conta da atitude.
- Porra, garota. – ele reclamou, puxando-a para si novamente e ela soltou os cabelos para se agarrar outra vez a ele, fora de si. Se quer sabia como ainda não havia gozado de uma vez, não quando estar dentro dela era tão bom, tão quente. Todo o seu corpo queimava em desejo, tudo nela o enlouquecia e por mais que quisesse continuar para sempre, soube que não aguentaria muito mais.
levou uma das mãos para o meio de suas pernas, estimulando seu clitóris ao encontrá-lo e ouviu a garota gemer mais alto em seu ouvido. Ele acelerou as estocadas dentro dela, a invadindo com força e sentiu seu corpo desfalecer em seus braços quase que instantaneamente, estremecendo deliciosamente entre as estocada. Ela estava gozando e ele se permitiu fazer o mesmo, gemendo junto com ela enquanto eram tomados pelo orgasmo.
O melhor que já haviam provado.
escondeu a cabeça em seu pescoço, totalmente sem fôlego e ela fez o mesmo enquanto ele escorregava para fora dela devagar. Sentiu a garota acariciar sua nuca e arrepiou-se com o carinho, deixando um beijo singelo em seu pesco em resposta a atitude.
- Vamos ter que agradecer a por isso qualquer dia desses. – comentou e a ouviu rir contra seu pescoço por isso.
- Depois de rasgar o vestido dela, eu nunca mais quero vê-la.
- A culpa foi dela de desenhar algo tão difícil de tirar. – se defendeu e apenas riu mais uma vez.
- Tinha um zíper nas costas. – ela explicou e ele fez uma careta.
- Um péssimo lugar para um zíper. – comentou, sorrindo quando ela voltou a rir. Aquele mesmo riso que ele costumava admirar de longe. Bastava um sorriso, aquele sorriso, para que ele se esquecesse de tudo e visse somente ela ali.
daria tudo por aquele sorriso e faria com que ela fosse sua apenas para que pudesse contemplá-lo de perto sempre que quisesse. Para que não fossem mais necessárias fotos as escondidas.
Estava apaixonado afinal e agora, pelo menos, ela sabia.


Fim.



Nota da autora: Yeeeeeey! A terceira nesse ficstape! Hahhahhhaa Será que teremos mais? Será, será? Eu até que toh querendo, mas vamos ver... XD
Enfim, espero que tenham gostado! Um casal fofíneo esse, curti, então comentem se curtiram também, pls! XD Abaixo, vou deixar meus contatos e outras fics, se tiverem interesse!
Xx
Mayh.



Outras Fanfics:
Phoenix [Restritas-Originais/Em Andamento] ● Lucky One [One Direction/Em Andamento]
Cheap Thrills [Restritas-Originais/Em Andamento] ● Fabulous [Restritas-One Direction/Em Andamento]
When Your Nightmares Come True [McFly/Em Andamento] ● Flashbacks de Verão [Originais/Finalizada]
Survive The Halloween [One Direction/Finalizada] ● Boy [One Direction/Finalizada]
Shout About It [The Vamps/Finalizada] ● My Dirty Secrets [Restritas-Originais/Finalizada]
01. Black Magic [Little Mix Ficstape/Finalizada] ● 02. DNA [BTS Ficstape/Finalizada]
03. Somebody To You [The Vamps Ficstape/Finalizada] ● 04. Raining Spell For Love [Super Junior Ficstape/Finalizada]
03. It's You [Zayn Ficstape/Finalizada] ● 05. You Gotta Not [Little Mix Ficstape/Finalizada]
06. Heart Attack [One Direction Ficstape/Finalizada] ● 06. This Is Love [Super Junior Ficstape/Finalizada]
08. Yeah, I Said It [Rihanna Ficstape/Finalizada] ● 06. Skit: Billboard Music Awards Speech [BTS Ficstape/Finalizada]
08. OMG [Little Mix Ficstape/Finalizada] ● 09. Honest [Shawn Mendes Ficstape/Finalizada]
12. They Don't Know About Us [One Direction Ficstape/Finalizada] ● 12. She Was The One [The Vamps Ficstape/Finalizada]
12. Too Much To Ask [Avril Lavigne Ficstape/Finalizada] ● 14. Lovestruck [The Vamps Ficstape/Finalizada]
15. Smile [The Vamps Ficstape/Finalizada] ● 17. Like I Would [Zayn Malik Ficstape/Finalizada]
Mixtape: Cartas Pra Você [Mixtape: Brasil 2000/Finalizada] ● Mixtape: Na Sua Estante [Mixtape: Brasil 2000/Finalizada]
Mixtape: Don't Cry [Mixtape: Classic Rock/Finalizada] ● Father's Little Girl... Or not [Restritas-Originais/Finalizada]
By Our Hearts [Super Junior/Finalizada]


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus