Última atualização: 13/09/2016

Capítulo 1

Centenas de fãs se reuniam em frente à Polícia Metropolitana de Seul, fazendo com que a dispensa militar, naquele dia em especial, fosse um tanto quanto tumultuada. Siwon havia optado por uma saída simples, silenciosa, mas deveria ter imaginado que passar despercebido não seria possível. Não para ele.
Tinha coisas demais ocupando sua mente. Dúvidas, incertezas. Queria ir para casa, pensar sobre o que estava prestes a fazer antes que se precipitasse, mas apesar de todos aqueles fãs ali atrapalharem isso, de irem contra seus planos iniciais, ficou verdadeiramente grato pelo carinho de todos os presentes. Sentiu-se realizado ao ver que, mesmo depois de quase dois anos longe na mídia, nada havia mudado, que ainda estavam ali por ele. Era sensacional ter tudo aquilo. O amor, a comoção. Saber que havia atingido seu objetivo, conquistado todas aquelas pessoas com o seu trabalho, mas isso só fazia com que se sentisse pior, com um bolo no estômago, afinal, eles eram o principal motivo para que ele estivesse daquela forma, tão inseguro e incerto.
Siwon sabia que era um cara sortudo pelo fã clube enorme que tinha, por todas as oportunidades que havia tido na vida, a fama, a atenção, mas depois do alistamento, vivendo por tanto tempo com pessoas de fora do seu círculo, pessoas com outro tipo de vida, não conseguiu deixar de pensar que, apesar de tudo, ainda tinha algo faltado.
Estava com trinta e um anos, já não era mais assim tão jovem. Tinha sucesso profissional e estava totalmente feliz com ele, porém tinha cada vez menos certeza de que aquilo era o suficiente, ou de que era certo deixar que o trabalho, por mais que o amasse, fosse tudo na sua vida. Estava cada vez menos certo de que deixá-la ir havia sido de fato a melhor ideia.
Enquanto estava afastado, sentiu falta de sua vida. De atuar, de cantar, de seguir turnê com o grupo. Sentiu falta de casa, dos seus amigos, mas dentre todas as coisas, ela foi a que mais lhe atormentou. Especialmente o arrependimento por tê-la deixado ir, com medo do que um relacionamento faria com sua carreira.
Casar havia sido a ruína de Sungmin, seu companheiro de grupo. Lembrava-se muito bem da repercussão negativa que aquilo havia trazido para ele. Os milhares de boatos mentirosos e desnecessários o colocando, especialmente, contra o resto do grupo. A gravadora foi contra, muitos fãs fizeram uma pressão terrível sobre ele, lhe viraram as costas. Na época, Siwon e alguns outros dos garotos acharam loucura se casar. Podiam simplesmente manter o relacionamento como vinham mantendo, discretamente, para que aquilo não lhe prejudicasse, mas só agora ele via como Sungmin havia sido, na verdade, corajoso, não louco. Só agora via que o outro havia feito o certo, assumido o risco pela garota que gostava. Era isso que ele deveria ter feito e esperava, sinceramente, que não fosse tarde demais.
Estava decidido. Iria atrás de e não a deixaria ir novamente. Não cometeria o mesmo erro. Sim, ele tinha medo das consequências, mas era um risco que valia a pena ser corrido. Era a sua felicidade e ele já não se sentia mais completo sem isso, sem ela.
Precisava encontrá-la antes de viajar para o Vietnã no domingo. Só torcia para que ela ainda estivesse vivendo em Seul pois não tinha certeza de que saberia lidar com a possibilidade de tê-la perdido definitivamente.
Junto com Changmin, vocalista do TVXQ, e mais dois homens, Siwon seguiu até as portas de vidro. Era oficial agora, havia sido dispensado e de repente as incertezas deram espaço também para um certo nervosismo e agitação.
Estava finalmente livre para voltar para sua rotina, mas depois de dois anos, sabia que tudo pareceria novo de certa forma e estava até mesmo um pouco assustado. Tão assustado quanto quando se alistou para embargar nessa e arriscou um olhar para Changmin ao seu lado, mais sério do que estava acostumado a ver. Não que fosse muito difícil imaginar o motivo. Siwon sabia que compartilhavam daquela mesma sensação sem que fosse necessário expressar em palavras.
Quando a porta finalmente foi aberta, pode ver, sem nada a sua frente, que a multidão era ainda maior do que ele esperava. Flashes eram disparados discretamente e com os bonés da polícia em suas cabeças, conseguiram passar das escadas antes que fossem de fato reconhecidos, iniciando a agitação. Os fãs gritaram e exclamaram. Os flashes ficaram mais intensos e apesar de tudo que sentia no momento, Siwon não conseguiu conter um sorriso agradecido, abaixando a cabeça por um instante em uma tentativa de recuperar a expressão séria em seu rosto. Ainda estava fardado, porém, não achando justo com todos os fãs ali, por eles, segurou Changmin por um instante, parando onde estava e fazendo com que ele repetisse o ato.
Haviam optado por sair em silêncio, mas os fãs mereciam reconhecimento por terem ido até lá, por eles. Seus fãs mereciam reconhecimento por todas as cartas enviadas a ele, por todo o apoio durante não só os vinte e um meses de alistamento como também por todo o resto.
Siwon esticou os braços ao lado de seu corpo e Changmin fez o mesmo, indicando com a cabeça que ele começasse.
Siwon fez a contagem e, ao fim, ambos bateram continência ao mesmo tempo, permanecendo dessa forma por alguns instantes enquanto os fãs gritavam enlouquecidos. Mais uma vez, Siwon precisou conter o sorriso, deixando que seus olhos lessem os cartazes de carinho sendo erguidos pela multidão, enchendo-se de satisfação.
Havia sido por eles e por esse tipo de sentimento que ele tinha escolhido seu trabalho, que ele havia decidido que valia a pena, e sua dificuldade em conter a vontade de ir até eles, de sorrir, eram a prova de que não tinha feito a escolha errada independente do que pensasse. Gostava daquilo tudo e temia decepcionar todas aquelas pessoas, mas sentia, do fundo do coração, que estava na hora de buscar algo mais. De ir atrás da paixão que ainda mantinha por antes que fosse tarde e ele esperava que os fãs se mantivessem ao seu lado, que ficassem felizes por ele, pois ela era tudo que lhe faltava para se sentir completo.
Ambos bateram continência mais algumas vezes, em posições diferentes para que fossem capturados pelas câmeras e somente após terminarem, se permitiram sorrir, acenando para os fãs antes de serem incentivados a seguirem.
Siwon se encontraria com Donghae, Leeteuk e Eunhyuk em breve. Depois com sua família e então seguiria adiante com sua ideia, faria o que seu coração insistia para que fizesse e depois daquela recepção excepcional, apesar do nervosismo, ele só podia dizer que estava ansioso.

+++


Siwon não havia conseguido disfarçar muito bem a sua ansiedade durante todo o dia. Dos amigos, se quer conseguiu disfarçar o motivo, mas não importava.
Já era tarde quando finalmente conseguiu um tempo para si mesmo, não que achasse ruim o tempo que passara revendo amigos e familiares. O único problema era que dessa forma, não teve tempo de colocar seus planos em prática e temia desistir deles com as horas, perder a coragem. Era a cara dele fazer esse tipo de coisa e foi pensando nisso que decidiu ligar, pelo menos. Era tarde para bater em sua porta. Sem contar que ele não podia ter certeza de que ela ainda morava no mesmo lugar.
- Isso se ainda mora aqui. – pensou alto, jogando-se na poltrona de seu quarto com o celular em mãos.
era britânica, mas cresceu em Nova York e acabou na Coréia do Sul. Da última vez que conversaram, há pouco mais de dois anos, ela pretendia fincar raízes ali, mesmo que continuasse viajando com frequência devido ao seu emprego. Ela trabalhava na UNICEF e se voluntariava para todos os projetos sociais que eles se colocavam a fazer. Siwon gostava disso nela, a dedicação em ajudar o próximo, do orgulho que tinha pelo que fazia e suspirou ao pensar nisso, lembrou-se da forma como seus olhos brilhavam quando ela falava de um novo projeto ou de um novo lugar.
Antes que pudesse ao menos notar, Siwon se levantou da poltrona em um pulo, decidindo o que fazer imediatamente. Iria atrás dela. Tentaria a sorte, arriscaria. Só não estava ainda com a mulher da sua vida porque nunca havia arriscado, tivera medo da reação dos fãs, tivera medo por sua carreira. Não podia mais ter medo e com esse pensamento em mente, seguiu rapidamente para o armário escuro em frente a sua cama, procurando as chaves de seu carro. Precisou de três tentativas para lembrar onde havia colocado e só então, apressado, ele se adiantou até a garagem, dando partida no veículo imediatamente após entrar nele.
Siwon não se lembrava muito bem de como chegar até a casa dela ou mesmo do endereço embora a visão dela parada na porta, acenando enquanto o esperava dar partida, fosse bem clara. Já havia se passado muito tempo, tempo demais, mas ainda assim, apesar de ter se perdido por duas vezes, conseguiu chegar até o lugar correto na metade do tempo que levaria se respeitasse os limites de velocidade.
Estacionou em frente à sua porta, sendo invadido por lembranças demais. Beijos trocados enquanto tentavam abrir a porta às cegas, o puxando para dentro pela camisa. Ainda se lembrava do sabor de seus lábios, do calor do seu corpo e sentia falta de acordar ao lado dela depois de uma noite agitada. Queria aquilo de volta e não tinha ideia de como havia deixado passar tanto tempo antes de finalmente correr atrás dela.
Siwon suspirou, tomando coragem de sair do carro finalmente. Havia uma luz acessa no andar superior, no cômodo que ele lembrava como sendo o de seu quarto e sentiu o nervosismo tomar conta de seu corpo em expectativa, torcendo para que ela houvesse, de verdade, seguido seus planos e ficado ali.
Após seguir lentamente até a entrada, Siwon ergueu o braço até a campainha, pronto para tocá-la, mas vacilou mais uma vez, mordendo o lábio inferior enquanto tentava decidir se aquilo era mesmo uma boa ideia. Não tinha ideia do que dizer, não havia pensado naquela parte e sequer saberia o que dizer.
E se o odiasse agora? Ele havia terminado tudo, afinal. Nunca haviam falado sobre rótulos, mas passaram tempo demais juntos para dizer que não tinham uma relação. Foram um do outro por tempo demais e sabia que, apesar de terem se afastado de forma amigável, ela havia se decepcionado. A verdade é que era uma mulher segura o suficiente de si mesma para correr atrás de um homem, independente demais para se deixar depender de qualquer um e orgulhosa a ponto de nunca pedir para que alguém fique ao seu lado. Ela nunca choraria por ele, na frente dele, quando ele estava terminando o que tinham. Ela não era assim. Siwon sempre gostou daquilo nela, mas no geral era complicado saber o que ela pensava dessa forma e agora se dava conta de que não sabia como estavam. Como haviam terminado de verdade.
Ciente de que estava deixando que seus pensamentos rumassem para o caminho errado, Siwon chacoalhou a cabeça, não se deixando abater. Já estava lá, não podia voltar e por isso tocou a campainha, sem dar a si mesmo mais tempo para se acovardar.
Siwon esperou, com as mãos nos bolsos e uma ansiedade que não cabia em seu peito. Viu a luz da entrada se acender e arrumou a postura, mesmo que não fosse necessário. Sempre teve uma postura impecável, mas não estava pensando com clareza, era impossível enquanto ouvia a porta ser destrancada.
Suas mãos soavam, seu coração batia acelerado, mas mesmo ciente da possibilidade de não encontrá-la mais ali, não conseguiu conter a decepção quando a mulher que saiu não foi .
- Eu posso ajudar? – perguntou com firmeza, a expressão séria e dura, afinal, um completo desconhecia batia na sua porta em um horário inadequado demais para ser educado e Siwon sorriu sem graça por isso.
- Desculpe o incômodo. – pediu, pensando rapidamente em uma desculpa que explicasse a sua visita. - Eu não vinha para Seul há muito tempo, mas enquanto passava lembrei de uma amiga que morava aqui. Pensei em bater para tentar a sorte, mas acho que ela se mudou.
- Já moro aqui há mais de um ano. – ela respondeu de forma não muito amigável. – Eu e meu marido apenas.
Siwon duvidada daquela última parte, apostava que ela estava apenas sendo cautelosa, evitando que o estranho soubesse que ela estava sozinha em casa, mas ele não viu motivo para se importar, limitando-se em concordar com a cabeça e sorrir novamente.
- Tudo bem, desculpe incomodar a essa hora. – repetiu, dando as costas para se afastar e já estava quase no carro quando a ouviu falar novamente.
- . – disse ela, fazendo com que ele se virasse novamente. – Esse era o nome da antiga proprietária, mas nosso contato foi profissional, não sei para onde ela foi.
- Obrigado mesmo assim. – ele respondeu, vendo a mulher concordar com a cabeça antes de entrar novamente e só então ele fez o mesmo, pegando seu celular em mãos logo em seguida.
A tela ainda estava parada na agenda do telefone, mais precisamente em seu número de telefone e, sem pensar duas vezes, ele apertou em “discar”. Existia mais chances de que ela tivesse mudado de número também do que de atender, especialmente se tivesse saído da Coréia, mas quando a ligação foi atendida, seu coração parou.
- Alô? – falou do outro lado da linha e Siwon perdeu o ar. Era ela, a voz dela e ele não soube o que dizer, ou se deveria dizer algo. Era ela, ele só conseguia pensar que era ela. – Quem é? – voltou a perguntar, mas ele permaneceu sem dizer nada. Ouvir sua voz parecia o suficiente por hora. – Eu vou desligar. – ameaçou, mas sua voz soou um pouco longe, como se tivesse tirado o aparelho do ouvido para olhar o identificador de chamada e, novamente, ele se viu nervoso. Não havia mudado seu número. Era poderia reconhecê-lo e a enorme pausa que se seguiu logo depois, foi a prova de que ela havia se lembrado. – Siwon... – ela sussurrou após vários segundos e ele engoliu em seco.
Ele abriu a boca para dizer algo, mesmo que fosse apenas para dizer seu nome como ela havia feito, mas o som de uma porta batendo do outro lado chamou sua atenção.
- Amor, sabe onde deixei minha camisa? – outro homem falou e ele sentiu como se um balde de água gelada fosse jogado sobre ele.
“Amor”, casais se chamam dessa forma. Era possível também pensar em outras situações. Um pai, um irmão, talvez, mas não tinha nenhum dos dois e, mesmo que tivesse, eles não lhe perguntariam sobre sua roupa, o que o quebrou imediatamente.
Sem esperar uma resposta ou mesmo de dizer qualquer coisa, Siwon desligou o telefone, jogando-o de lado com raiva.
Ela tinha outro, era de se esperar que ela tivesse outro depois de tanto tempo, sendo a pessoa excepcional que era, mas isso não lhe deixou melhor, muito pelo contrário.
Havia perdido sua garota porque fora um estúpido e, odiando a si mesmo, finalmente deu partida no carro, deixando a casa para trás enquanto pensava em .

+++


A falta de esperança havia durado apenas três dias, quando Siwon descobriu que também iria ao Vietnã para o projeto Smile For U. A iniciativa consistia em levar educação musical para crianças com deficiência, mas os voluntários também visitariam as escolas do Schools For Asia, onde gravariam o novo vídeo promocional para angariação de fundos para o projeto que visava melhorar o acesso e a qualidade da educação para crianças desfavorecidas que vivem em toda a Ásia e Pacífico.
A viagem de avião, da Coréia do Sul até lá, havia sido de quatro horas e mesmo sem ter pregado o olho durante a noite, sentia-se agitado e, de certa forma, revigorado. Gostaria de dizer que era apenas pelo projeto, estava verdadeiramente ansioso por isso. Seria sua primeira atividade oficial como representante especial da UNICEF, a primeira atividade após sua dispensa e sentia-se vivo voltado a ativa, enchendo-se do trabalho que ele amava. Estava cheio de planos com as campanhas da organização, com o comeback do grupo e já estavam negociando seu novo trabalho como ator, mas a verdade era que ainda tomava metade dos seus pensamentos e ele sabia que não deveria, quando ela já tinha outro alguém.
O primeiro plano de Siwon, após a dispensa, era de recuperá-la, mas sabia que não era justo atrapalhá-la depois de ter desistido dela. Só não conseguia conter o pensamento de que nem tudo estava perdido, de que ainda tinha uma chance, mesmo sem saber, ao certo, o que fazer. Ou se deveria fazer, agora que ela tinha seguido em frente. Tinha certeza que não, na verdade. Sabia, mesmo sem conhecê-lo, que o cara escolhido por ela era um bom homem. nunca escolheria diferente e parecia errado interferir.
Siwon não podia se sentir mais confuso.
Suspirando, ele pegou a camiseta preta da UNICEF devidamente passada de sua mala, aberta sobre a cama da pousada simples onde haviam se instalado. Era um bom lugar. Agradável, aconchegante, mas simples. Não que o incomodasse, ele havia gostado e combinava com o que havia ido fazer. Não fazia sentido um hotel extravagante. Mesmo sua mala era pequena, uma sacola com algumas camisetas da organização, dois jeans, uma bermuda. Não era necessário muita coisa.
Siwon vestiu a peça, calçando em seguida os tênis brancos que havia usado do dia anterior, no desembarque. Havia levado outro, mais surrado, mas não lembrou dele e após terminar, apenas saiu do quarto. Haviam marcado de se encontrar para o café, toda a equipe, e ele sabia que a veria ali.
- Bom dia! – ouviu exclamarem logo atrás dele e se virou, sorrindo para o rapaz que saia do quarto ao lado, falando em um coreano carregado com um sotaque que ele não conseguia identificar. Ele usava a mesma camisa que Siwon, que logo imaginou que ele viera junto com o outro grupo, o mesmo do qual fazia parte. – Siwon, não é? – perguntou e ele concordou com um aceno educado, aceitando a mão que o homem estendeu em sua direção. –Joseph. Eu estava ansioso para conhecê-lo.
- Ah, é um prazer. – Siwon respondeu cordialmente antes de soltá-lo e o homem indicou o caminho a frente para que seguissem até o local onde seria servido o café. – Posso perguntar de onde você é? Fiquei curioso quanto ao sotaque.
- Dois anos e meu coreano ainda é péssimo. Eu sei. – respondeu, rindo ao colocar as mãos nos bolsos do jeans para caminhar.
- Morando há dois anos na Coréia? – Siwon perguntou amigavelmente, puxando assunto, e o outro concordou.
- É, fui a trabalho, mas conheci minha noiva e acabei ficando. – assim que o homem falou a palavra “noiva”, algo de acendeu como lâmpada florescente e Siwon soube, imediatamente. Era . Ele sentia que era e precisou de todo o seu alto controle para não demonstrar nenhuma reação quanto àquilo, ou desgosto. Especialmente quando, por um segundo, ele vacilou, mas voltou a andar antes que Joseph pudesse notar. – Sou francês. – respondeu, finalmente, a pergunta que ele havia feito, mas Siwon pouco prestou atenção na resposta.
Noiva, não era possível que estivesse realmente noiva, mas ele tentou manter em mente que era tudo mera dedução. Ele havia deduzido que estavam falando de . Podiam não estar e ele descobriria logo, assim que se juntassem aos outros. Não que ele tivesse conseguido conter a próxima pergunta:
- E como terminou aqui? Sua noiva participa do projeto também? – perguntou com toda a calma do mundo. Calma e simpatia mesmo que não se sentisse, de forma nenhuma, calmo.
Céus, ele estava surtando.
- Sim, ela que me apresentou a UNICEF. – respondeu e Siwon riu da resposta. Uma risada um tanto quanto irônica, embora não o suficiente para que o outro conseguisse notar. Siwon riu para si mesmo, para a irônica da vida, para ironia de ter conhecido logo ele primeiro e, pior, por Joseph realmente aparentar ser um bom cara.
Alto, atlético, educado, sociável... Droga, Siwon odiou não conseguir encontrar nenhum defeito aparente. Ele não podia, sei lá, ter uns dentes faltando? Podia ter mal hálito também, mas as forças do destino não pareciam muito a fim de colaborar com o seu lado.
- Que ótimo, é sempre bom participar. – respondeu automaticamente a primeira coisa que lhe veio em mente. Quando Joseph lhe encarou, se obrigou a pensar em alguma coisa para completar. – Fiquei dois anos longe disso e confesso, senti falta. – disse e o outro concordou com a cabeça, como se estivesse a par de tudo. Siwon se perguntou se teria falado dele. Ela não falaria, falaria? Logo para o seu noivo?
- Não consigo imaginar ter que simplesmente jogar toda a sua vida para o alto para embarcar nessa de alistamento obrigatório.
- Você passa tanto tempo lá que acaba se acostumando. – Siwon deu de ombros. Depois de vinte e um meses, sua vida antiga é que não se encaixa mais, parece estranha. Sabia que se tivesse que ficar em casa, que voltar aos poucos para sua rotina anterior, provavelmente estaria estranhando. Teria, com certeza, dificuldade em aceitar seus antigos hábitos novamente, pois não eram mais os mesmos. Sua vida antiga era agora a vida nova e estava grato por seu trabalho não lhe permitir que ficasse parado. Assim não tinha tempo para pensar sobre nada disso, as mudanças, diferenças. – Acho que a experiência vale a pena no final. – concluiu por fim. Siwon estava sempre envolvido com projetos sociais e conhecia aquela outra realidade, tentava manter seu pé no chão sempre, mantinha em mente o tipo de homem que queria ser, independente do dinheiro, mas somente com o alistamento ele teve a oportunidade de viver uma vida diferente da sua, sem o conforto com o qual sempre esteve acostumado.
- Eu imagino que sim. – o outro respondeu, lhe encarando com um sorriso como se entendesse exatamente o que Siwon queria dizer apesar de não ter dito e mais uma vez, Siwon desejou que fosse mais fácil não gostar dele.
Joseph transmitia uma certa cumplicidade que ele sabia que apreciaria se não fosse o fato dele estar noivo da garota que Siwon queria para si e torceu, secretamente, que tivesse deduzido tudo errado, mesmo que fosse improvável.
Por que tinha que ser improvável?
Antes que tivessem tempo de dizer qualquer outra coisa, no entanto, as vozes do resto do grupo se fizeram presentes ao final do corredor. Já estavam todos lá e Siwon sentiu novamente aquele mesmo nervosismo que se instalava sempre que ele pensava em .
Era agora.
- Vem, eu vou te apresentar a minha noiva. – Joseph falou e Siwon concordou de forma mecânica, deixando que seus pés lhe guiassem pelo resto do caminho.
Ele havia imaginado aquele reencontro diversas vezes em sua mente, todas as possibilidades de reação que ele imaginava ter, que imaginava que ela teria, mas todas se mostraram erradas no final. Quando pensou sobre o assunto ela não estava noiva e ele ainda tinha consciência o suficiente do que fazia para lembrar de dizer algo, o que não aconteceu. Tudo o que Siwon fez foi congelar onde estava. Esqueceu-se das pessoas ao redor, que se viraram para ele assim que o viram. Esqueceu-se de Joseph ao seu lado e esqueceu-se de que deveria fazer alguma coisa, falar, cumprimentar as pessoas que ainda não tinha visto. Siwon só teve olhos para ela ali, para , lhe encarando atentamente, com a mesma expressão de choque que ele provavelmente mantinha em seu rosto.
Siwon sabia que a encontraria ali, assim como também sabia que ele iria, afinal, se Joseph estava ciente era porque o assunto já havia surgido. Mas, de qualquer forma, nada disso o preparou para vê-la novamente, tão linda quando ele se lembrava mesmo com as roupas simples, jeans e camiseta da UNICEF, como todos os outros.
- Essa é minha noiva, . – Joseph falou quando notou que ambos se encaravam, quebrando o contato rápido demais antes que a situação se tornasse um tanto quanto constrangedora. Ou mais constrangedora, no caso. Apenas alguns poucos segundos haviam se passado, mas ele provavelmente não seria capaz de simplesmente desviar sua atenção dela se o outro não se pronunciasse. Teria ficado grato ao homem se ele não fosse exatamente o problema e apenas concordou com a cabeça enquanto ela sorria constrangida.
Nenhum dos dois disse mais nada. Não falaram que se conheciam, tampouco mentiram que não. Siwon não foi capaz de responder à apresentação de Joseph, também não e ambos foram salvos por Minggoo. Não que alguém tenha se quer escutado o que ela havia dito. Nenhum deles abriu a boca enquanto tomavam café, Siwon tentando decidir se deveria ou não procurar uma oportunidade para falar com ela a sós.
Era o que ele queria fazer, o que mais queria fazer, mas apenas suspirou antes de se obrigar a participar do assunto iniciado pelos outros na mesa.
havia seguido com sua vida, talvez estivesse na hora de fazer o mesmo. Era a atitude mais justa que podia tomar.

+++


Siwon não fora capaz de ler o nome da escola na placa de entrada. A comunicação, no geral, era algo complicado, mesmo ele tendo acabado de chegar. Siwon conseguia manter uma conversa em inglês e mandarim além do seu idioma nativo, mas não era como se crianças vietnamitas fossem saber outros idiomas além do seu próprio. Haviam tradutores na equipe para auxiliá-los nisso, mas eram crianças. Era uma droga ter que se comunicar com elas usando um tradutor.
A primeira escola era um abrigo para crianças deficientes em Da Nang, uma cidade com ótimos centros comerciais e pontos turísticos. Siwon tinha pesquisado um pouco sobre ela, tinha muitos lugares que valiam a pena serem visitados, mas não estavam lá para isso e ele não ficou nenhum pouco decepcionado, especialmente com a recepção calorosa das crianças que não costumavam ter muitas visitas.
Siwon havia ganhado duas perseguidoras de seis anos, eram gêmeas. Uma não escutava e a outra não podia falar, mas elas se viravam muito bem sozinhas. Eram ótimas na linguagem dos sinais e, para falar uma com a outra, nem era como se precisasse. Se entendiam com um simples olhar e estavam se divertindo com a confusão de Siwon. Ele até tentava se comunicar com a língua dos sinais também, mas não era como se eles fossem universais e Siwon tinha certeza de que não estava conseguindo falar exatamente o que queria. E não era como se elas estivessem ajudando.
- Não, com os dedos não. – ofereceu o pincel a uma das irmãs e ela apenas riu enquanto a outra sujava as mãos para continuar seu desenho a tinta. Estavam se divertindo em provocá-lo e, muito ciente disso, Siwon fez bico, olhando feio para as garotas que apenas riram novamente.
“Com os dedos não” – gesticulou, na linguagem de sinais que conhecia, mas imaginou ter falado qualquer outra coisa diferente disso quando as duas riram novamente. Dessa vez, ele riu também.
- O quê? O que eu disse? – ele perguntou, em inglês, e depois se amaldiçoou mentalmente por isso. Elas também não sabiam inglês.
“O que eu disse?” – gesticulou novamente, torcendo para estar certo, mas não foi capaz de entender a resposta que uma das gêmeas devolveu a ele.
- Quê? – perguntou, confuso e ambas riram novamente. Dessa vez ele imaginou que elas tivessem entendido, afinal, sua confusão era bem óbvia.
Ouviu outra risada próximo a eles e se virou para ver quem era, bem em tempo de ver tentar disfarçar, fingindo que não estava vendo nada. Siwon sorriu de lado em retorno, satisfeito em tê-la pego no flagra e notando que não tinha mais volta, mordeu o lábio inferior antes de se aproximar.
- Você disse “com os dedos sim”. – ela explicou, rindo fraco em seguida, parecendo um tanto quando sem jeito de uma forma que ele achou adorável, sorrindo ao encará-la. – Confundiu o “sim” com o “não”.
- Isso é totalmente a minha cara. – ele respondeu e ela concordou com um aceno de cabeça, sorrindo de forma cúmplice e ele repetiu o gesto.
Mesmo que não pudesse reconquistá-la, era bom saber que ainda podia vê-la pelo menos por perto e por um instante apenas lhe encarou, antes que uma das gêmeas puxasse a barra de sua camisa, tentando chamar sua atenção.
- Uhm? – resmungou, agradecendo mentalmente por pelo menos o seu “uhm” ser comum em todas as línguas, mas franziu o cenho quando a garota começou a gesticular algo, olhando para em sinal de socorro. Era péssimo com os sinais.
Rapidamente, a mulher negou, fazendo que “não” com a cabeça e Siwon olhou de uma para a outra, tentando entender o que havia acontecido.
- O que ela disse? – perguntou a que o ignorou, gesticulando novamente. Siwon voltou a fazer bico, agora emburrado. – Vocês bem que podiam me incluir na conversa. – resmungou, mas não surtiu muito efeito. – O quê?! – insistiu, mas as garotas apenas riram, conversando daquela forma com que acabou por fazer o mesmo. – ! – protestou, mas quando continuaram, inclinou-se sobre uma das irmãs para segurar os braços da outra ao seu lado, impedindo-a se continuar a conversa.
As duas riram em resposta, fez o mesmo, mas Siwon foi obrigado a se afastar quando a menina ao seu lado, com as mãos sujas de tinta, as esfregou em seu rosto, o manchando de azul.
- Ei, não pode! – a repreendeu, entre risos, enquanto tentava limpar o rosto e apontou para quando a notou rindo também. – A culpa é sua! – exclamou, mas ao distrair-se não notou quando a segunda irmã se inclinou sobre a mesa, manchado o dedo de vermelho para limpá-lo na ponta de seu nariz. – Ei! – protestou, levando as duas mãos para o nariz, o escondendo enquanto as duas riram.
Siwon olhou para elas fingindo estar muito ofendido e, enquanto riam dele, sujou os dois dedos de azul também, deixando uma macha na ponta do nariz de cada uma delas.
- Siwon! – o repreendeu, tentando conter o riso para fingir estar brava, não que ele levasse aquilo a sério. – Agora vai ter que limpá-las!
- Mas elas que começaram! – protestou, como uma criança, e a mulher riu. – Olha o seu tamanho e olha o delas.
Siwon lhe mostrou a língua, rindo da própria atitude e a garota ao seu lado puxou sua roupa novamente, fazendo com que ele lhe encarasse. Ela deveria já ter notado que não adiantava, ele não entenderia nada do que lhe fosse dito, mas ela o fez mesmo assim, tentando dizer alguma coisa em seguida. Infelizmente, Siwon só entendeu o “você” e o “nela” porque a menina apontou dele para . O resto era uma enorme incógnita.
- Há-há, engraçadinha. – respondeu, em voz alta, enquanto gesticulava para a menina que riu travessa, o fazendo estreitar os olhos.
- Ela disse que você deveria sujar a também. – Minggoo, que ele sequer havia notado observando, abaixou-se para dizer em seu ouvido e Siwon ergueu o olhar para em resposta.
- Ah, isso? – perguntou enquanto , notando onde aquilo iria dar, deu um passo para trás.
- Não. – avisou, mas Siwon já se levantava, sujando o indicador no caminho.
- Nada mais justo já que eu terminei assim por culpa sua. – falou, aproximando-se dela vagarosamente enquanto ela se afastava da mesma forma, os braços estendidos em sua direção como se tentasse mantê-lo longe.
- Minha culpa? Ficou doido?! – exclamou, mas ele ignorou. – Siwon... – falou em tom de aviso, mas como se aquilo fosse o gatilho necessário, o homem disparou em sua direção e as irmãs de levantaram, correndo as duas na direção de que não teve tempo de fugir. Cada uma delas agarrou um lado de suas pernas, permitindo que Siwon se aproximasse quando foi obrigada a parar. A mulher riu, mas tentou, em vão, se afastar e quando não conseguiu, tapou o rosto com as mãos. – Não, Siwon! – reclamou, entre risos, enquanto ele tentava afastar suas mãos.
- Se não deixar eu vou te sujar inteira antes de chegar no rosto. – ele tentou, mas ela se esquivou, tentando empurrá-lo enquanto as crianças ao redor, mesmo sem entender, riam.
- Elas estão torcendo por mim. Você vai mesmo deixar todas as crianças tristes só porque está com medo de se sujar um pouquinho? – dramatizou e ela afastou as mãos para olhar chocada para ele, não que Siwon tenha se deixado perder a oportunidade. Sujou seu nariz assim que conseguiu alcançá-lo.
- Siwon! – ela reclamou enquanto as crianças comemoravam e levou uma das mãos até o nariz para limpá-lo, mas ele a impediu, segurando seus braços.
- Não. – falou e ela olhou feio para ele por isso.
- Se você quer ficar manchado de tinta, problema seu! – retrucou, fingindo estar brava. Não que alguém acreditasse.
Antes que Siwon tivesse oportunidade de responder, no entanto, a porta foi aberta e outra pessoa entrou, mas eles só notaram quem era quando ouviram sua voz, atrás dos dois:
- ? – Joseph perguntou, se cenho franzido, e imediatamente Siwon a soltou, permitindo que ela passasse as mãos pelo nariz para limpá-lo.
- Ahn... Oi... – ela falou, sem graça, o que a denunciou, fazendo com que o francês olhasse de Siwon para ela desconfiado. – Eu... Nós só... – começou e Joseph apenas negou com a cabeça.
- Tudo bem. Estão te chamando. – falou, dando as costas sem esperá-la e após suspirar, o seguiu, parando na porta apenas um instante para acenar para as crianças, ignorando Siwon totalmente.

+++


Siwon se virava na cama, mas não conseguia dormir e depois de pelo menos meia hora, simplesmente desistiu de tentar, jogando as cobertas para o lado e se colocando para fora.
Estava abafado dentro do quarto. Não que esse fosse o motivo da insônia.
Buscando um pouco de ar fresco, Siwon vestiu uma camisa, calçou os chinelos e após passar uma das mãos rapidamente pelos cabelos, abriu a porta, saindo de lá para dar uma volta.
Já se passava das duas da manhã. Ele sabia que precisaria daquelas horas de sono no dia seguinte, da energia que estava desperdiçando, mas apreciou o ar puro, respirando fundo enquanto caminhava distraidamente até notar a silhueta familiar pouco mais a frente. A silhueta de , o que quase lhe fez rir da ironia.
Não entendia os planos do destino, se estava contra ele ou ao seu favor e apenas parou onde estava, tentando decidir se deveria e, principalmente, se era correto ir até lá.
Ela estava noiva, já havia perdido. havia escolhido outro homem e ele estava lutando para se fazer entender isso. Tentando encontrar alguma forma ou algum argumento para deixá-la ir e usou até mesmo seus fãs como desculpa. Os dois ficariam melhor sem ter que enfrentar os fãs do rapaz.
estará melhor com Joseph”, Siwon repetiu mentalmente, como se tentasse enfiar isso na própria cabeça, mas antes que pudesse se dar conta, seus pés já o guiavam até ela porque a verdade era que ele não se importava com Joseph. Ele precisava saber dela se era verdade, se realmente ficaria melhor com ele.
estava noiva, mas não casada ainda e se ele tinha uma chance, uma mínima chance na qual investir, essa era a hora. A última hora, a última chance e ele não podia desperdiçar.
- Também não consegue dormir? – perguntou ao se aproximar e , crente de que era a única acordada, pulou de susto ao ouvi-lo, levando a mão até o peito ao erguer o olhar em sua direção. – Desculpe, eu não queria...
- Tudo bem. – ela o interrompeu, suspirando um pouco mais aliviada ao notar que era ele ali.
Como se a presença de Siwon fosse totalmente irrelevante, no entanto, voltou a olhar para frente, para as flores logo adiante no pequeno jardim e ele acompanhou seu olhar por um instante, ainda parado onde estava.
- O que quer? – ela perguntou quando ele não se moveu e tampouco disse qualquer coisa. Siwon suspirou em resposta.
- Posso me sentar? – quis saber, apontando para o espaço vago ao seu lado e concordou com a cabeça antes de se levantar.
- Pode, eu já estava indo... – falou, mas ele a segurou pelo braço para evitar que se afastasse. Não era isso que ele queria e ela sabia muito bem. Não queria que ela fosse embora, queria conversar.
- ...
- Siwon, não. – ela falou, o interrompendo novamente ao soltar seu braço. – Eu estou noiva e não me sinto confortável em ficar aqui com você, no meio da noite. Tampouco fiquei confortável com a brincadeira essa manhã, Joseph também não. – explicou e Siwon concordou com a cabeça, dando um passo para trás a fim de lhe dar mais espaço. – Contei a ele sobre nós, sobre o que tivemos e agradeceria se ficasse longe. Somos colegas de trabalho e gostaria que não passasse disso.
- Está feliz com ele? – Siwon perguntou ao invés disso, como se não tivesse escutado suas palavras e ela o encarou com certa confusão antes de respondê-lo:
- Isso não é da sua conta, Siwon. Eu sinto muito. – disse ela, delicadamente apesar das palavras serem um tanto quanto rudes.
- Eu sei que não. – respondeu sinceramente e suspirou antes de continuar, decidindo por pra fora o que estava guardando para si. - Mas preciso saber. Eu sinto sua falta, eu me arrependo da escolha que fiz...
- Eu estou noiva. – repetiu, frisando a última palavra como se tentasse fazê-lo entender aquilo. – Vou me casar, Siwon. Você não tem o direito de me dizer isso.
- De dizer o que, ? Que eu ainda te amo? – soltou de uma vez, mesmo que fosse contra seu plano inicial, e ela negou com a cabeça, desviando o olhar para o chão. Siwon precisou se controlar para não diminuir novamente a distancia entre eles, para não segurar em seu queixo e fazer com que olhasse em seus olhos para ver neles que ele dizia a verdade. – Eu só preciso saber que está feliz, que isso é o que você quer e vou respeitar a decisão que tomar, não pretendo te atrapalhar se escolhê-lo.
- Eu o escolhi quando disse sim. – falou, voltando a encará-lo. mantinha-se firme, mas Siwon podia ver algumas lágrimas presas em seus olhos. – Siwon, foi você que fez isso, foi você quem me deixou. Não pode chegar e simplesmente bagunçar a minha vida porque mudou de idéia. Você quer o quê? Que eu abandone tudo para voltar para você? E com que garantia?
- Já se passaram anos, . Nada é mais como era antigamente, eu não sou mais o mesmo. A única coisa que permanece igual é o que eu sinto e por isso estou apenas te perguntando se é feliz com ele. Não estou pedindo que jogue tudo para o alto, não estou te pressionando. Eu poderia simplesmente te beijar agora, como estou louco para fazer desde que bati os olhos em você, mas eu estou aqui, parado na sua frente há passos de distância apenas te fazendo uma pergunta simples. Você está feliz com ele? – insistiu, realmente ansioso pela resposta.
- Vou ficar quando você for embora novamente. – ela falou por fim, sem tirar os olhos dos dele. – Satisfeito? – perguntou e ele sorriu.
- Demais. – respondeu e ela negou com a cabeça imediatamente ao se dar conta do que havia dito.
- Não. – o interrompeu rapidamente. – Você não tem que ficar feliz com isso. Não quer dizer que temos uma chance. Joseph é seguro, me faz bem.
- Apenas quando eu não estou por perto. – verbalizou o que ela havia admitido há pouco e dessa vez, ela não negou.
- Mas você não vai estar sempre perto, vai? – respondeu afiada e ele sentiu a dor de suas palavras. – Eu prefiro as coisas como estão, Siwon. Não temos mais chance juntos e mesmo que tivéssemos, não faria isso com Joseph.
- Vai limitar a sua felicidade por ele? Pra quem você acha que isso vai fazer bem? – perguntou e, novamente, ela lhe encarou com confusão. - Não acha que ele merece encontrar alguém que o ame de verdade se o seu coração não é dele?
- Quem disse que não?
- Se mesmo depois de anos eu ainda mexo com você a ponto de precisar estar longe para que você possa ser feliz com outro então não, seu coração não está com ele e insistir nisso não é justo com nenhum dos dois.
- Eu não vou discutir com você o que é justo ou não, Siwon. – respondeu, desistindo da conversa ao dar as costas para ele.
- Agora é você quem está desistindo. – ele disse antes que ela começasse a se afastar e parou onde estava, virando-se novamente para ele.
- Você foi o primeiro a fazer isso. Não pode me julgar. – respondeu, dando a conversa por finalizada ao se afastar.

+++


Siwon estava uma bagunça, mal havia conseguido pregar o olho durante a noite.
Sabia que aquela viagem era sua única oportunidade de tê-la de volta, de convencê-la a ser dele. Convencê-la do que sentia e por um momento, entre seus milhões de diferentes devaneios, se viu confuso entre fazer alguma coisa ou deixar tudo como estava.
Joseph parecia um cara legal e estava certa, ele era seguro, garantiria a ela um relacionamento confortável, companheirismo. Estaria sempre ao seu lado, viajariam juntos enquanto Siwon levaria uma vida de turnês e horas em estúdio, gravando, ensaiando. Uma parte da sua vida que ele não podia e nem saberia deixar para trás. Fazia parte do que ele era e não podia mudar isso tanto quanto não podia pedir a ela que se mantivesse em um só lugar quando ela gostava de ser do mundo.
Sua incerteza, afinal, não era a prova de que não estava pronto? Aquela pergunta o atormentou a noite inteira, mas ele não tinha dúvidas do que sentia porque aquilo, ela, fazia com que ele se sentisse vivo e se dar conta disso iluminou seus pensamentos.
Se ficasse com Joseph podia até ser feliz, mas não sentiria seu coração disparar sempre que ele chegasse perto, não saberia o que é estar ansiosa, contando os segundos para ver alguém. Não se derreteria com cada beijo e não sorriria sozinha pensando em cada momento que passavam juntos. Não saberia o que é poder ficar com a pessoa por quem está apaixonada, não viveria o amor de verdade pois Joseph e ela não tinham o que eles tinham, por mais que ela tentasse, por mais que se esforçasse. Podiam até ficar juntos para sempre, mas a felicidade do começo, que ela sentia em ter um companheiro, não duraria muito tempo. Sabia que um dia, olharia para trás e se arrependeria porque ela não era assim. Não se satisfazia com o que era seguro e por isso prezava tanto sua liberdade em poder ir para onde quisesse, quando quisesse.
Quando levantou aquela manhã, rumo a Kon Tum, Siwon soube que precisava fazer alguma coisa, que não podia deixá-la ir ou ambos estariam fadados ao arrependimento e ele sabia o quão terrível aquilo poderia ser. Passou dois anos se martirizando e ela faria o mesmo quando percebesse.
Estava certo de que, independente de suas carreiras, podiam fazer aquilo funcionar pelo que sentiam um pelo outro e precisava fazê-la confiar nele. Confiar que ele faria tudo por ela e não voltaria atrás novamente. Confiar no que ele sentia, no que isso significava e que ele não lhe decepcionaria novamente. Confiar que independente de suas carreiras profissionais, conseguiriam ficar juntos se assim quisessem e ele queria. Era o que mais queria.
era tudo que faltava para que ele se sentisse completo e Siwon sabia que era mútuo. Ele havia visto em seus olhos, antes mesmo que ela admitisse na noite anterior e precisava fazer alguma coisa para que ela chegasse àquela mesma conclusão, que ela acreditasse no que ele dizia, mas tentou não deixar que isso ocupasse sua mente durante todo o dia. Não era para isso que estava ali, afinal e tampouco era justo com as crianças que foram visitar.
Kon Tum era uma zona rural e a segunda escola, um pouco mais simples que a anterior. Da Nang era uma das principais cidades do Vietnã, era de se esperar uma melhor infraestrutura, escolas maiores, mas a recepção em Kon Tum foi tão calorosa quanto a anterior.
passou o dia o evitando. Se ele chegava perto, ela se afastava, mas ele preferiu deixar daquela forma. Não era hora e nem lugar para conversarem. Seu noivo estava lá, as crianças precisavam se atenção e Siwon se ocupou com elas, participando das brincadeiras sem se importar com a falta de comunicação. Depois do almoço, foi jogar futebol com o resto dos alunos. Ele não era muito bom, mas não importava e as crianças ainda se divertiram em vê-lo errar todos os passes e gols. Não que o seu time tenha ficado muito feliz com aquela parte e como prova, jogaram-se todos sobre ele no final do jogo.
Por fim, no final da tarde, Siwon estava exausto. Não estava acostumado com o clima tão quente e se jogou no chão gelado do refeitório, onde as crianças estavam reunidas. Estava de olhos fechados, mas não demorou muito para que sentisse gotas de água escorrerem por sua testa. Consciente de que não era suor, Siwon escondeu um sorriso, muito bem ciente de quem era o responsável antes mesmo de abrir os olhos ou ouvir a risadinha de Thuân, um garoto bagunceiro de dez anos.
Repentinamente, Siwon se virou, o agarrando pelas pernas para fazer com que caísse e o segurou para que não se machucasse. O menino gritou entre risos e ele o encheu de cócegas, dando a ele mais motivos para gargalhar. Ocupado com o garoto que se debatia, Siwon só notou que falavam dele quando foi chamado e parou o que fazia, sentando-se confuso ao encarar o senhor de mais idade, líder da excursão.
- Estão pedindo pra você tocar algo, antes de irmos embora. – o homem falou, erguendo o violão.
Siwon abriu a boca em um “ah” e uma das professoras falou algo para os alunos em seu idioma, fazendo com que as crianças batessem palmas, se acomodando de pernas cruzadas no chão. Por mais acostumado que Siwon estivesse com aquele tipo de atenção, ficou sem jeito, levantando-se vagarosamente para seguir em direção a eles, na frente do refeitório sem ter nem idéia do que cantar.
- Ahn, alguma preferência? – perguntou a professora em inglês, mas ela negou com a cabeça de forma simpática.
- O que preferir. – respondeu e Siwon concordou mesmo que aquilo não facilitasse em nada a tarefa, colocando a correia ao redor do pescoço enquanto tentava pensar em alguma coisa.
Mas foi só olhar para , um pouco mais a frente, que a música surgiu.
Não tinha certeza de que sabia tocá-la direito, mas podia improvisar. O importante era que sabia a letra, era uma música que costumava não só ouvir, como também que conhecera através de que gostava do artista.
Talvez devesse tocar algo mais animado na escola, em despedida dos alunos, mas pela primeira vez no dia colocou na frente deles. Era uma oportunidade excelente para desperdiçar.
Siwon respirou fundo, iniciando as notas, mas somente quando ele começou a cantar, reconheceu a música, arregalando os olhos assim que a primeira frase foi dita.
- Tell me that you'll turn down the man who asks for your hand… 'Cause you're waiting for me. [Diga me que você recusará o homem que pedir sua mão... Porque está esperando por mim] – começou, olhando atentamente para sem se importar se as pessoas ao redor podiam notar, ou se Joseph estava por perto. Joseph que o desculpasse, mas não pretendia dar para trás novamente. Não podia. Dar para trás era exatamente o tipo de coisa que o antigo Siwon faria, mas não ele. Não mais. - And I know [E eu sei] - continuou, respeitando a pausa da música. -, You're gonna be away a while, but I've got no plans at all to leave. Would you take away my hopes and dreams and just stay with me? [Você estará longe por um tempo, mas eu não tenho planos de ir embora. Você levaria meus sonhos e esperanças e ficaria comigo?] – quis saber, lhe encarando por um segundo a mais, independente da melodia original da música, e apenas depois desviou o olhar, voltando-se para o violão a fim de acertar os dedos antes de voltar-se para ela novamente, entrando no refrão e torcendo mentalmente para que a voz fina saísse corretamente:

All my senses come to life [Todos os meus sentidos ganham vida]
While I'm stumbling home as drunk as I [Enquanto tropeço pela casa mais bêbado do que eu]
Have ever been and I'll never leave again [Jamais estive, e eu nunca mais vou embora]
'Cause you are the only one [Porque você é única]
And all my friends have gone to find [E todos os meus amigos já foram encontrar]
Another place to let their hearts collide [Outro lugar para deixar seus corações colidirem]
Just promise me you'll never leave again, oh [Só me prometa que você nunca mais vai embora de novo]
'Cause you are the only one [Porque você é única]


Siwon viu, enquanto cantava, a expressão no rosto de se suavizar, indo de espanto para melancolia. Ed Sheeran era golpe baixo, ele reconhecia, mas tudo o que queria era fazer com que ela entendesse que ele estava ali e que ela era a única para ele. Mesmo depois de anos.
Minimamente, ele sorriu para ela. Um quase imperceptível levantar no canto esquerdo de seus lábios e sabia que ela entenderia a mensagem que ele estava tentando passar. A música se encaixava muito bem no que queria dizer e agora, ele estava dizendo em frente de todos que quisessem ouvir.
Siwon não teria mais qualquer problema para admitir a relação que queria ter com ela, muito pelo contrário. Queria que o mundo soubesse a mulher incrível que ele tinha consigo.
Exatamente como na versão original da música, Siwon iniciou pequenas batidas no violão e só então continuou, satisfeito com o resultado obtido:

Take my hand and my heart and soul [Pegue minha mão, meu coração e alma]
And I will only have these eyes for you [E eu só terei olhos pra você]
And you know, everything changes but [E você sabe, tudo muda mas]
We'll be strangers if we see this through [Vamos virar estranhos se nós dois continuarmos desse jeito]
You could stay within these walls and bleed [Você pode ficar entre essas paredes e sangrar]
Or just stay with me, oh, no [Ou só ficar comigo]


Siwon viu seus olhos marejarem e soube que havia tocado exatamente onde queria, que havia feito-a pensar e satisfeito com o resultado, cantou os dois próximos refrãos para finalizar a música. Assim que o fez, Joseph, que Siwon não havia feito a menor questão de procurar, ergueu-se de onde estava e seguiu apressado até a saída. Imediatamente, levantou-se também, perdendo um segundo para olhar de um para o outro antes de sair também, atrás do noivo.
Siwon quis, mais do que tudo, ir atrás, mas ao invés disso ficou onde estava, recebendo os aplausos do público completamente alheio ao que acontecia, diferente da maior parte dos seus companheiros de trabalho.
e Joseph precisavam desse tempo para conversar. Ela precisava desse tempo para decidir o que faria e mesmo sendo consumido pelo nervosismo, ansiedade e, claro, curiosidade, ele se obrigou a ignorar, sorrindo para as pessoas enquanto tentava fingir que não tinha absolutamente nada acontecendo.

+++


Siwon tentou disfarçar e até mesmo negar, mas procurou por toda parte antes de ir e só parou porque Minggoo lhe avisou que ela e Joseph já tinham voltado à pousada.
Aparentemente, Siwon não havia disfarçado tão bem quando tentara e sua desconfiança foi comprovada quando Minggoo ainda confidencializou que torcia por ele, piscando em sua direção antes de entrar na van para partir.
Quando chegaram à pousada, Siwon passou mais de uma vez pela porta do quarto que dividia com o noivo. Não sabia exatamente o que queria lá. Ouvir uma briga? Algo que indicasse que estava sozinha? Algum outro som mais comprometedor que indicasse que haviam feito as pazes? Se fosse a última opção, seria mais saudável não saber e ele fez uma careta, se escondendo em seu quarto onde passou o final da tarde.
Precisava falar com ela, mas não podia simplesmente invadir o quarto que dividia com o noivo. Não quando ele não sabia como as coisas entre os dois estavam.
Bufando, Siwon desligou o chuveiro. Tentou pensar em algo útil enquanto a água caia morna contra sua pele, mas decidindo que era inútil depois de pouco tempo ali, fechou o chuveiro, não se importando em secar-se direito antes de sair do quarto. Estava sozinho e, para ajudar, o lugar era quente demais, especialmente os quartos.
Siwon jogou sua mala sobre a poltrona, prestes a procurar uma roupa para se livrar da toalha em sua cintura quando a porta foi bruscamente aberta e invadiu o cômodo transtornada, sem importar-se em pedir licença.
- O quê...? – ele começou, virando-se confuso em sua direção, mas desviou o olhar para o seu próprio peito quando o esmurrou ali, duas vezes, o empurrando para trás. – O que houve? – perguntou, vacilando dois passos quando ela repetiu o gesto.
- Você! Foi você que houve! – ela devolveu, pronta para esmurrá-lo mais uma vez quando Siwon segurou seus braços, a impedindo de continuar. – Me solta! – vociferou, claramente irritada, mas ele não obedeceu.
- Me conta o que houve. – insistiu, mas não satisfeita, ela apenas puxou os braços agressivamente para livrar-se dele e dessa vez, Siwon deixou que se afastasse.
- Eu já disse! – ela respondeu, levando as mãos até os cabelos ao dar as costas para ele por um instante. – Você... Você não tem o direito de chegar e simplesmente colocar a minha vida de cabeça para baixo! – exclamou, avançando alguns passos em sua direção. Siwon não se moveu, mas preparou-se mentalmente para evitar mais alguns empurrões que não vieram, felizmente.
- E você não acha que o fato de conseguir isso prova que tem algo errado no seu relacionamento?
- Para! – ela o interrompeu, falando entre os dentes, furiosa. – Só para! Meu relacionamento não existe mais graças a você! Joseph mudou de quarto porque decidiu que eu estou confusa quanto ao que quero e preciso de um tempo para mim. Saber se devemos voltar atrás com o noivado porque você simplesmente não sabe de controlar!
- ...
- Cala a boca! – ordenou, apontando em sua direção ao dar mais alguns passos para perto. – Foi você que terminou comigo. Não pode esperar que eu simplesmente esteja a sua disposição, esperando que decida o que quer. Eu não sou um brinquedinho pra você deixar de lado quando quiser. Usar quando quiser!
- ... – tentou falar mais uma vez, mas ela negou com a cabeça, lhe empurrando novamente.
- Não! Eu mandei você calar a boca! – devolveu, com lágrimas nos olhos e Siwon suspirou, sentindo seu coração partir por vê-la daquela forma, ciente de que ele havia causado aquilo. Sequer sabia por onde começar a se desculpar. – Não me olha assim. – ela falou, lendo sua expressão sem que fosse necessário uma palavra. Siwon tinha aquele problema, o de ser expressivo demais. Começou a fazer teatro por isso. Ninguém precisava saber o que ele estava pensando o tempo todo, mas em momentos como aquele, não conseguia simplesmente evitar. – Não quando a culpa é sua!
- Eu sei disso. – ele respondeu. Tentou dar mais um passo para segurar suas mãos, mas ela se afastou. – , eu não teria feito isso se não tivesse certo do que quero. Eu tenho e passei horas tentando decidir se era justo ou não interferir porque eu sei que se não estamos juntos hoje, é por culpa minha. Eu escolhi viver a fama do que o amor com você e não tem um dia que eu não me arrependa dessa escolha.
- Se arrependeu e o que, uhm? Decidiu que podia voltar pra minha vida, sem se importar se eu estava bem com ela ou não? Eu ia me casar, Siwon! – se exaltou.
- Ia casar, mas não era isso que queria! – a interrompeu no mesmo tom embora no seu não tivesse aquela pequena dose de fúria. - , eu não teria insistido se você tivesse me dito que o amava, mas não disse! Se não quer ficar comigo, tudo bem, mas ache alguém de quem você goste e eu vou ficar feliz por você. Se casar com ele só porque é confortável também não é justo, com nenhum dos dois. Não estou feliz pela forma como interferi entre vocês, mas me desculpe se não estou arrependido por isso.
- Céus, eu queria tanto te odiar. – ela soltou um pouco mais baixo, em um suspiro, e as lágrimas imediatamente começaram a escorrer. Siwon desejou, mais do que tudo, puxá-la para seus braços e confortá-la, mas não achou seguro visto que ele as causara e apenas esperou, permitindo que ela continuasse. – Você me deixou arrasada quando foi embora, pior do que gostaria de admitir. Não pode simplesmente aparecer e achar que tudo vai ser como era antes, Siwon. Não é assim que as coisas funcionam.
- Eu sei. – ele respondeu em um meio tom, decidindo que, agora, era seguro se aproximar. Siwon segurou seu rosto com uma das mãos e ela não se opôs, segurando seu braço com a mão livre mesmo quando ele fez com que ela o encarasse. – Me desculpa. Te deixar foi a pior decisão que eu já tomei na vida. – sussurrou, acariciando sua pele. – Pareceu o mais correto naquela época. Eu queria estar com você, ficar com você, mas não tinha fundamento quando eu não podia assumir o que tínhamos. Sentia que estava te prendendo a mim sem ter o direito de fazer isso, que estava sendo injusto e tomei a decisão que pareceu mais certa, mesmo que agora seja capaz de ver a besteira enorme que eu fiz. Me desculpe, e eu entendo se não quiser me perdoar, se não me quiser de volta. Eu nem sei se mereço, mas tudo bem. Eu só quero que você seja feliz.
- Eu era feliz com você. – ela sussurrou e ele sorriu com ternura, concordando com a cabeça. – Eu quero ter perdoar, Siwon. Esse é o problema.
- Não precisa ser. – ele respondeu, colando suas testas e a viu suspirar. – Não precisa ser. Eu estou certo do que quero agora e nunca mais vou te deixar ir, independente de quanto tempo leve para que você confie em mim novamente.
Mais algumas lágrimas escorreram por sua face, mas Siwon viu sua falta de resposta como algo positivo e após mais um breve sorriso, selou seus lábios, finalmente a beijando como queria fazer há tempo demais. Sentia falta do seus lábios, do seu sabor, do seu toque e sentiu-se realizado em poder fazer aquilo novamente depois de tanto tempo.
Era completamente louco por tê-la deixando partir e jamais cometeria aquele erro novamente, não enquanto pudesse tê-la em seus braços.
Sem mais delongas, Siwon a puxou para mais perto, finalmente sentindo o calor de seus corpos.
segurou em seus cabelos com uma das mãos, subindo a outra até suas costas e mesmo sem fôlego, não deixou que ela se afastasse, sendo tomado pela familiaridade de satisfação de poder fazer tudo aquilo novamente. De sentir seu perfume, seu sabor e por saber que tinha outra chance de fazê-la ser dele, se entregar a ele exatamente como ele estava entregue a ela desde o primeiro dia que se viram.
foi a primeira a romper o beijo, afastando-se minimamente para recuperar o ar e Siwon, ao abrir os olhos, a viu morder o lábio inferior.
- Você está só de toalha. – falou, ainda sem abrir os olhos e ele riu baixo, beijando seu maxilar antes de morder a região.
- Uhum... – respondeu contra sua pele, segurando em sua cintura com mais firmeza já que não tinha como juntá-los ainda mais.
- Odeio essa toalha. – resmungou, o puxando pela nuca a fim de voltar a beijá-lo, mesmo que aquele não fosse mais os únicos planos dos dois para aquele fim de tarde. Especialmente quando a toalha finalmente foi ao chão.


Fim.



Nota da autora: Minha primeira fic de kpop! Yeeeeey!
E sim, a empolgação é verdadeira. Motivo: Conheci Super Junior e minha vida acabou. Não faço mais nada além de venerá-los. Hahahah
Mas enfim, conversas a parte, espero que tenham curtido. Sou nova nesse fandom, então me perdoem se eu tiver falado alguma besteira ai no caminho, ou pecado com algum costume coreano. Juro que estou tentando aprender mais sobre o assunto, então em caso de gafes, por favor, comentem também. XD



Outras Fanfics:
Phoenix [Restritas-Originais/Em Andamento] ● Lucky One [One Direction/Em Andamento]
Cheap Thrills [Restritas-Originais/Em Andamento] ● Fabulous [Restritas-One Direction/Em Andamento]
When Your Nightmares Come True [McFly/Em Andamento] ● Flashbacks de Verão [Originais/Finalizada]
Survive The Halloween [One Direction/Finalizada] ● Boy [One Direction/Finalizada]
Shout About It [The Vamps/Finalizada] ● My Dirty Secrets [Restritas-Originais/Finalizada]
01. Black Magic [Little Mix Ficstape/Finalizada] ● 02. DNA [BTS Ficstape/Finalizada]
03. Somebody To You [The Vamps Ficstape/Finalizada] ● 04. Raining Spell For Love [Super Junior Ficstape/Finalizada]
03. It's You [Zayn Ficstape/Finalizada] ● 05. You Gotta Not [Little Mix Ficstape/Finalizada]
06. Heart Attack [One Direction Ficstape/Finalizada] ● 06. This Is Love [Super Junior Ficstape/Finalizada]
08. Yeah, I Said It [Rihanna Ficstape/Finalizada] ● 06. Skit: Billboard Music Awards Speech [BTS Ficstape/Finalizada]
08. OMG [Little Mix Ficstape/Finalizada] ● 09. Honest [Shawn Mendes Ficstape/Finalizada]
12. They Don't Know About Us [One Direction Ficstape/Finalizada] ● 12. She Was The One [The Vamps Ficstape/Finalizada]
12. Too Much To Ask [Avril Lavigne Ficstape/Finalizada] ● 14. Lovestruck [The Vamps Ficstape/Finalizada]
15. Smile [The Vamps Ficstape/Finalizada] ● 17. Like I Would [Zayn Malik Ficstape/Finalizada]
Mixtape: Cartas Pra Você [Mixtape: Brasil 2000/Finalizada] ● Mixtape: Erva Venenosa [Mixtape: Brasil 2000/Finalizada]
Mixtape: Na Sua Estante [Mixtape: Brasil 2000/Finalizada] ● Mixtape: Don't Cry [Mixtape: Classic Rock/Finalizada]
Father's Little Girl... Or not [Restritas-Originais/Finalizada] ● By Our Hearts [Super Junior/Finalizada]


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus