What the love made for?

Última atualização: 17/04/2022

Capítulo 1

Estou no meu apartamento em Londres, olho para ele mais uma vez, um aperto no coração surge, foram 5 anos que passei da minha vida aqui, os melhores 5 anos da minha vida!
Depois que acabei a faculdade em Londres, decidi tentar ficar por mais 2 meses para ver se conseguia emprego na minha área - Engenharia Civil - o que não consegui e sou "obrigada" a voltar para Téramo, na Itália... Mesmo da Itália, quero tentar voltar para Londres, preciso voltar, meus amigos estão todos aqui.
Olho mais uma vez para o apartamento e o fecho, tranco a porta, coloco a chave no meu bolso e pego minha mala de rodinha.
- , não fica assim, pensa que você está tirando férias, vai visitar os seus pais e logo volta! - diz Andy tentando me animar, ele sempre foi super atencioso comigo, o considero como meu melhor amigo, não que Andy não seja bonito, porque ele é um arraso! Seus olhos são azuis, cabelo loiro com um corte meio arrepiado, com um monte de tatuagem pelo corpo, se ele não tivesse namorada, Juliet, tinha certeza que seria muito garanhão. - Você vai voltar né? - Ele pergunta e eu reviro os olhos e olho.
- Claro que vou voltar, meu lugar é aqui, com você, Juliet, Wesley, Drew, Louis, Ian e Nina - quando digo o Wesley ele dá uma risadinha pra mim, eu e o Wesley temos um "passado" nada de mais, mas eu acho que gosto dele e ele não gosta de mim da mesma forma... - Não enche Andy! - Digo e ele ri da minha cara.
Pego minhas coisas e vou encontrar com meus amigos que estão no estacionamento para se despedir de mim.
O primeiro a me dar um abraço foi Ian, ele é bem musculoso e eu pareço uma folha perto dele, eu tenho a sorte - ou azar - de todos os meus amigos serem extremamente lindos, Ian tem cabelo preto e olhos azuis, seu sorriso é seu maior charme. A próxima foi Nina, minha melhor amiga e namorada do Ian, ela é maravilhosa, não só como pessoa, mas fisicamente também, seus cabelos são curtos, na altura do ombro, castanhos com mechas naturais mais claras e seus olhos são cor de mel. Depois vem o Drew, ele tem olhos azuis e cabelo loiro, um pouco mais comprido que os de Andy, e todo musculoso também. Louis me abraça com tanto carinho que quase choro, sempre que tenho um problema - emocional - recorro a ele, pois ele sempre foi o mais racional e o mais brincalhão, então se estou triste, é só falar com ele que esqueço meus problemas. Juliet é a próxima, ela é toda tatuada como o Andy, seus cabelos são loiro escuro e seus olhos castanhos, ela é linda.
Por último, vem o Wesley, ele me abraça e me beija no pescoço durante o abraço, o que me deixa totalmente arrepiada, aperto mais o abraço e o solto logo em seguida. Meus olhos estão embaçados pelas lágrimas, não quero nem pensar em ficar longe deles, eles foram minha família durante 5 anos. Foram meu porto seguro.
- Amo todos vocês e pretendo voltar logo - digo sentido meu estômago embrulhar de nervosismo, mas preciso voltar pra casa.
Casa... Aqui é minha casa, com eles, mas meus pais precisam de mim também, então preciso ir. Tento lutar contra os meus sentimentos de querer ficar. Estou com saudade da minha família da Itália, então lá vou eu... Quando o táxi chega, os meninos me ajudam a colocar a minha mala no porta malas e vou com uma mochila no colo quando entro.
Todos estão parados olhando para mim.
- Vamos até o aeroporto - digo ao motorista que assente com a cabeça e eu aceno com a mão um tchau para todos.




Passei quase 3 meses na Itália até conseguir um trabalho em Londres, foram os 3 meses mais longos da minha vida, toda hora minha mãe ou minhas tias ficavam fazendo festa por eu ter voltado. Sempre tinha alguém em casa que queria me ver, me abraçar ou 'só dar uma passadinha', não que eu não goste disso, mas todos os dias, durante 3 meses, eu não consegui ficar sozinha, passear ou ver meus amigos de infância. Eu amo muito minha família, senti muito a falta deles, das nossas brincadeiras, mas meu coração não pertencia mais à Itália. Nesse tempo, os únicos que entrei em contato foram a Nina, Andy e Louis.
- Mãe, não precisa fazer esse drama todo! - Digo e dou uma risada para tentar acalmá-la. - Você não queria que eu fosse independente? - Pergunto e ela assente, minha mãe é uma mulher linda, cabelos loiros e olhos azuis e, como toda italiana, baixinha e fofinha. - Então, estou indo para Londres de novo para trabalhar, continuar minha vida lá! Não fique assim, eu volto... Prometo, para visitar vocês, tá?
- Mas dessa vez você não tem motivo para voltar para Itália - ela diz e seus olhos enchem de lágrimas, meu coração aperta com o desespero na sua voz.
- Vocês são minha razão para voltar, mas aqui não é mais meu lugar, vocês sabem disso, sempre vou querer voltar para ver vocês, meus irmãos, minhas sobrinhas... minha família - digo e ela abre um sorriso maravilhoso - Isso! Eu quero te ver assim! Sorrindo! E não chorando, estou feliz mãe, você deveria estar feliz por mim também! - Ela abaixa a cabeça e limpa os olhos.
Meus pais me levam até o aeroporto e esperam comigo até fazer o check in.
- Agora é minha deixa! Desejem-me sorte! - Digo indo abraçar minha mãe que tem os olhos marejados novamente. - Pai, cuida dela, tá? - Dou um abraço apertado nele, eu e meu pai temos uma relação muito boa, sempre conversamos de tudo e sempre brincamos um com o outro. Ele revira o olho.
- Deixa que da minha baixinha cuido eu! - Ele diz abraçando minha mãe de lado e eu dou risada da situação, meu pai rindo da minha mãe e ela chorando horrores. - Vai logo pra ela parar de chorar! - Meu pai diz e dá risada quando minha mãe ela olha feio para ele.
- Tá bom, tá bom, estou indo! Amo vocês! - Digo e pego o carrinho com as minhas malas e eles dizem que me amam de volta.

Londres, I'm back!
Quando chego em Londres, estou um caco, o que eu mais queria agora era chegar no meu apartamento e dormir até amanhã. Preciso ter um tempinho pra mim.
- Amanhã vejo meus amigos - digo rindo da minha preguiça de ver eles, não é por mal, mas na Itália, sempre tinha alguém comigo, sentia falta de ficar um pouco sozinha.
Chego no meu apartamento e está exatamente do mesmo jeito que eu deixei, coloco minhas coisas na sala e vou direto para o quarto, tiro os sapatos, minha calça jeans e coloco uma blusa grande de banda que uso pra dormir - e algumas vezes pra sair, mas quem nunca - não ligo muito para roupa, sempre tive meu estilo conforme o meu humor, se eu quero me arrumar, uso vestido salto, maquiagem e tudo mais... Agora se não quero me arrumar, quase pareço mendigo... Depois de me trocar, me jogo na cama para dormir.
- Como eu senti falta disso! - Digo pra mim e dou risada por estar falando sozinha.
Quando estou prestes a dormir, escuto um barulho muito no vizinho e levanto na hora de susto, será que eu vou lá ver o que está acontecendo? Não conheço esse vizinho, esse apartamento estava vazio quando saí. Quando estou pensando se devo ir, escuto mais um barulho na parede agora parece que algo de vidro quebrou. Então decido ir até o vizinho. Vou do jeito que estou mesmo.
Bato na porta e não escuto nada, espero mais uns 5 minutos e bato de novo, quando estou quase voltando pro meu apartamento, escuto alguém abrindo a porta.
- Eu já mandei você ir embora, não entendeu? - Diz um homem dentro do apartamento.
- Oi, desculpa, sou , sua vizinha de porta, queria saber se está tudo bem, escutei algo quebrando - digo voltando na frente da porta, quando o homem abre a porta e posso ver quem é, nunca tinha visto ele na minha vida, ele parece ser um pouco mais velho que eu, seus olhos que aparentemente são verdes, estão vermelhos.
- Está tudo bem, tchau - ele fecha a porta na minha cara, claramente bêbado. Reviro os olhos e entro no meu apartamento, deito na minha cama novamente e finalmente consigo dormir.


Capítulo 2

Quando acordo, vou direto tomar um banho quente, demoro um pouco mais que o normal, saio do banho e vou secar meu cabelo, ele é castanho com mechas loiras naturais. Meu celular toca, vejo na tela e o nome da minha mãe aparece:
- Oi mãe - digo ao atender.
- Oi filha, queria saber como estão as coisas aí, já estou com saudades - dou risada de como minha mãe é tão carinhosa comigo quando estou longe.
- Também estou com saudades de vocês e por aqui está tudo certo - digo com a voz mais doce que consigo fazer.
- Ah, então tá bom, filha... Fica bem e se precisar de qualquer coisa me liga, seu pai mandou um beijo - ela diz.
- Manda outro beijo para ele, amo vocês! - digo, ela diz que me ama também e desligamos o telefone.
Termino de secar o meu cabelo e me troco, coloco uma calça de moletom cinza e uma blusa de manga comprida branca. Começo a arrumar minhas roupas no closet, coloco no banheiro o resto dos meus produtos e vou até a cozinha, ligo a geladeira e abro o armário de comida que está vazio.
- Preciso fazer compras - digo assim que fecho o armário vazio.
Coloco um tênis, pego uma blusa de moletom e minha bolsa, vou até um mercadinho que fica na esquina do meu apartamento, pego algumas coisas que acho necessário de primeiro momento, pago e volto para o apartamento.
Deixei o meu celular em cima da cama, quando chego, tem várias mensagens dos meus amigos.
'Desistiu de voltar ou só não quer ver a gente?' - Louis mandou e eu dou risada, respondo: 'Eu voltei, mas cheguei tarde. O que vamos fazer hoje?'
'Espero que a viagem tenha sido cansativa, você chegou e dormiu' - Andy manda e penso que ele me conhece muito bem 'Exatamente isso... Olha só como você me conhece muito bem! O que faremos hoje? Fiz a mesma pergunta para o Lou'
Não recebi nenhuma resposta deles, então guardo as coisas na geladeira e armário para depois sentar na sala e ver um pouco de TV. Passo os canais e paro na série Grey's Anatomy - uma das melhores séries que já assisti. - Assisto um episódio e, quando está para começar o segundo, alguém bate na porta, vou até lá, vejo pelo olho mágico e já abro em seguida.
- Não acredito que você veio aqui! - digo toda feliz abraçando Nina.
- Você não ligou ontem e quis fazer uma surpresa! Trouxe tranqueiras para comermos assistindo Grey's, o que acha? - Ela diz erguendo a sacola cheia de chocolate, sorvete e salgadinho.
- Ai que saudade que senti de você! - Digo abraçando-a de novo.
Ela entra, senta no sofá e coloca as sacolas em cima da mesinha em frente ao sofá.
- Você quer coca ou água? - Pergunto e escuto uma risada quando digo água, entendo que ela prefere coca. Pego uns potes, colheres, coca para Nina e água pra mim.
- Você ainda não toma refrigerante, amiga? - Nina diz quando vê meu copo. Balanço a cabeça negativamente e ela revira os olhos.
Coloco as coisas nos potes e entrego uma colher para ela. Ficamos vendo uns 3 episódios até ela levantar, ir à cozinha e me olhar com uma cara sorridente.
- O que foi sua louca? - Pergunto.
- Acho que quero ir uma festa hoje, vai todo mundo que era da faculdade, nossos amigos... - Ela diz aumentando o sorriso e me cutucando para que eu aceite o convite.
- Acho que seria uma boa, estou no pique de festa mesmo - digo e ela faz uma cara de chocada - Cala a boca - digo e ela ri. Não sou uma pessoa que gosta muito dessas festas universitárias, com bebida e droga, nunca acaba bem...
- Amiga, lembra aquela vez que você ficou transtornada na festa da fraternidade dos meninos de engenharia eletrônica e pulou na piscina, quase se afogando e se não fosse o Wes, você provavelmente teria parado no hospital - ela diz e gargalhamos. - Qual foi a outra vez que você quase foi pro hospital... - ela para e pensa - Na verdade você foi pro hospital aquele dia, de tanto que você tinha bebido! - Ela diz e minha barriga até dói de tanto rir com ela.
- E a vez que nós subimos na mesa com a garrafa de vodka e dançamos um monte! - Digo e ela gargalha. - O Ian ficou bravo com você e te tirou de cima da mesa!
- E o Wes tirou você da mesa! -Eela diz me olhando um pouco mais cuidadosa agora. - E vocês? Se falaram enquanto estava na Itália? - Balanço a cabeça negativamente e ela suspira, querendo me contar algo. - Parece que ele começou a namorar - ela diz e eu dou de ombros, sabia que isso ia acontecer mais cedo ou mais tarde.
- Chloe? - Pergunto já sabendo a resposta e ela afirma com a cabeça. - Eu já imaginava - digo e mais uma vez dou de ombros - Que horas é essa festa? - mudo de assunto e ela parece se animar.
- O pessoal está combinando de chegar lá 21 horas... O que acha? - Afirmo com a cabeça e ela completa - Então se troca e vamos comprar nossas fantasias!
- Fantasia? - pergunto surpresa, mas muito feliz, adoro festa a fantasia! - ADOREI! - digo animada e ela ri.
Fomos comprar nossas fantasias, Nina escolheu a de vampiro, já que Ian ia de vampiro também. Decido escolher de gatinho - sei que é clichê - mas não tive muito tempo para pensar em algo mais detalhado.
Fico satisfeita com minha fantasia, assim como Nina. Voltamos até o meu apartamento por volta das 19 horas e nos arrumamos.
Faço uma maquiagem bem meiga de gatinha, coloco a tiara, as luvas, o body preto, a gravata borboleta e por fim minha bota de salto que vem até a coxa. Fico satisfeita com o resultado. Quando saio do banheiro, Nina está linda, uma vampira bem sexy, Ian vai pirar!
- UAL! - dizemos juntas.
- Amiga, você quer que o Wes se arrependa por não ter mantido contato né? - Nina diz e eu dou de ombros, essa noite não será sobre ele, será sobre reencontrar meus amigos, penso.
- Quem perdeu foi ele! Mas estou fazendo isso por mim, provavelmente Chloe vai estar de coelhinha da playboy, muito previsível - reviro os olhos, nunca gostei da Chloe, ela sempre se achou mais do que é... Só porque a família dela é podre de rica, acha que pode tratar todo mundo mal. Nina da risada da minha reação, mas concorda comigo.
São 21h30 quando saímos do meu apartamento, perdemos hora por ter tirado várias fotos e rindo das caretas.
Chegamos na fraternidade onde está acontecendo a festa, entramos e logo encontramos nossos amigos, quando olho para Chloe, ela está de coelhinha e não seguro riso, Nina cai na gargalhada junto comigo e seguimos para perto dos nossos amigos.
Andy estava de roqueiro junto com Juliet, Wesley estava de roupão e pantufa - típico cafetão - Louis estava de marinheiro, Nina e Ian de Vampiros e Drew estava de gogoboy, sunga dourada e uma blusa toda transparente.
Quando Nina está perto do pessoal, fico atrás dela para tentar me 'esconder' e ela ri.
- Olha quem eu trouxe! - Ela diz e eu saio de traz dela sorrindo.
- Hello, people! - digo e Andy corre para me abraçar.
- Ual! Você está maravilhosa! Que saudades! - Andy diz fazendo eu dar uma voltinha, sei que Juliet não tem ciúmes da gente porque sempre fomos assim e o considero como meu irmão.
- Estava com muita saudade de vocês! - Digo abraçando todos, deixo Louis por último para sentar ao seu lado, de frente pro Wesley, que desde que cheguei, não tira os olhos de mim.
Ficamos conversando e contando as novidades, quando Chloe conta que ela e o Wesley estão juntos, ele desvia o olhar do meu e abro o sorriso mais sincero que consigo. Continuamos conversando, dando risada e bebendo com todos.
- Pessoal, tenho um amigo meu de infância que voltou para Londres e está chegando, vocês não se importariam dele ficar aqui com a gente, né? - Louis diz e todo mundo concorda do amigo dele se juntar com a gente. - Ah, beleza, ele chegou, vou ver se o encontro - Lou diz e sai a procura do amigo.
- E você , como foi na Itália? - Andy pergunta.
- Ah, o mesmo de sempre... Sempre fazendo 'festa' porque voltei, minha mãe ficou arrasada quando falei que queria voltar... Mas ela entendeu - digo e dando uma risadinha.
- Gente, esse é Harry. - Lou chega com o amigo e quando olho pra ele o reconheço na hora, mas ele não está mais com a cara de que estava... Ele é meu vizinho. A minha cara é de surpresa e de Harry também. Sua fantasia era de pirata, e um pirata bem sexy por sinal.
- , né? - Ele pergunta e todos me olham estranho, junto com Lou, afirmo com a cabeça respondendo sua pergunta. - Desculpa pela outra noite, eu estava... bom, não estava bem. - Ele diz e coça a nuca. - Sou Harry - ele diz, pega minha mão e beija, olhando nos meus olhos, fazendo com que uma sensação estranha passe pelo meu corpo.
- Tudo bem... - digo um pouco constrangida, pois todos estão olhando para mim, querendo entender, mas ignoro e acabo não explicando nada.
- Oi pessoal, posso me juntar a vocês? - Todos dizem que sim e ele senta entre mim e Lou que ainda não parou de encarar e tentar entender o que aconteceu.
- Vou pegar uma bebida - digo depois que o silencio constrangedor toma o nosso grupo e vejo que alguém me segue.
- O que foi isso? - Lou se aproxima de mim rindo e dou de ombros - Você... e o... Harry? - Ele pergunta coçando a nuca e eu dou risada.
- NÃO! Ele é meu vizinho e foi super estupido comigo ontem a noite, por isso ele pediu desculpa - digo e ele solta um 'ufa' que me faz dar risada.
Harry é muito bonito, mais bonito que todos os meus amigos - por incrível que pareça - e quando sorri mostra seu maior charme, suas covinhas. Tem um ar misterioso nele, meio sexy, não sei explicar. Bom, deixa pra lá... Volto ao meu lugar com a bebida e voltamos a conversar, Harry parece se enturmar um pouco mais. Quando está no final da festa, todos estão muito bêbados, menos Harry, ele bebeu, mas não muito como os outros.
- Nina, você me da carona? - Pergunto para ela que afirma.
- Se quiser ir comigo, estou morando lá também... - Harry diz vindo atrás de mim.
- Se não for incomodar, aceito a carona sim! - Digo agradecendo.
- Você nem conhece o cara e já vai pegar carona com ele? - Wes diz aparentemente bravo e Chloe o encara fuzilando.
- Ele é meu vizinho, Wes... Está tudo bem. - Explico para ele, sei que não deveria, mas achei necessário nesse momento.
- E daí que ele é seu vizinho, você não o conhece - Wes diz vindo na minha direção e me puxando mais pro lado para que só eu escute o que ele vai dizer - Não vai com ele, você não o conhece - ele diz baixinho.
- Melhor você voltar para a Chloe, você entrou em uma encrenca desnecessária com a sua namorada - digo e enfatizo o 'namorada' e me afasto dele.
- Podemos ir? - pergunto para Harry e ele afirma com a cabeça, me despeço de todos e os olhos de Wes me seguem até entrar no carro. Harry parece ser muito gente boa e se não fosse, Lou teria falado algo, né?
Acho que sim...


Capítulo 3

O caminho até o apartamento foi tranquilo, Harry escutava uma música suave no carro, mas como o volume estava baixo e ficamos conversando, não conseguia parar para prestar atenção - aliás, a companhia me distraia de qualquer coisa.
- Então, Lou disse que você voltou recentemente para Londres... - digo depois de Harry ter contado alguma história engraçada quando passamos por uma loja de sapatos.
- Eu estava estudando, fiz engenharia na Universidade de Harvard. - Ele diz e sorri tímido depois do meu 'nossa'. - Pois é, consegui uma bolsa lá, então fui estudar e fiquei morando por lá nesses 5 anos.
- Muito legal! Parabéns! - Digo e ele sorri mais uma vez, mas agora seu sorriso é mais claro e mostra suas covinhas. - Também terminei a faculdade, fiz aqui na UCL. - Digo toda orgulhosa.
- Você fez o que? - Harry pergunta curioso.
- Engenharia civil, junto com o Lou. Bom, junto com aquela galera toda.
- Ah, que legal! Também fiz Engenharia Civil. - Dou um sorriso pra ele. - E você é de onde? Pelo sotaque, da pra perceber que não é daqui.
- Nasci na Itália. - Ele me olha com uma cara de 'nossa' como eu tinha feito antes pra ele, o que faz com que os dois caíssem na gargalhada. - Mas... Voltei para trabalhar e ficar na Inglaterra - ele solta um 'legal' e volta sua atenção para a pista.
Quando chegamos no estacionamento, saímos do carro e vamos até o elevador em silêncio.
- O que deu naquele cara da festa que não queria que você viesse comigo? - Ele pergunta, quebrando o silêncio, sem me olhar e olho para baixo. - Desculpa, se não quiser responder...
- Não, tudo bem... É... Complicado... - o interrompo e chegamos no nosso andar. - Eu... Ele... Bom, ele está namorando agora. - Quando digo isso Harry cai na gargalhada. - O que foi? - Pergunto sem entender nada.
- Não fez sentido o que você falou. - Quando percebo o que disse, caio na risada também.
- Desculpa... Não sei explicar... Na verdade nem eu sei porque ele fez aquilo - digo pegando a chave do meu apartamento e olhando para ele.
- Foi estranho, a namorada dele ficou muito brava! Dava pra ver na cara dela - ele diz rindo, o que me faz rir também e mexo nas chaves que estão em minhas mãos. - Você quer entrar? - Ele pergunta abrindo a porta do seu apartamento.
- Obrigada pelo convite, mas outra hora? - Digo meio sem graça.
- Tudo bem, muito bom conhecer você. - Digo e ele me da um beijo no rosto, mais uma vez aquela sensação surge em meu corpo. - Mais uma vez, me desculpa por ontem... - ele diz antes de eu terminar de abrir a porta.
- Tudo bem... Boa noite! - Digo e entro no meu apartamento.
Harry é engraçado e parece ser uma boa pessoa. Troco de roupa e tiro toda maquiagem do meu rosto, deito na minha cama e ligo a TV para ver o que está passando, quando estou quase dormindo, chega uma mensagem no meu celular.
'Não consigo acreditar que você pegou carona com esse cara... Você chegou?' Wesley manda e eu simplesmente ignoro, sinto raiva dele por ter feito aquilo na festa - com a namorada do lado - e agora vem mandar essa mensagem pra mim... É o cúmulo.
Deito minha cabeça no travesseiro e não consigo dormir, viro de um lado para o outro inquieta por conta da mensagem que ignorei, até que o sono vem forte e finalmente consigo dormir.




Hoje é Domingo, preciso arrumar as minhas coisas para amanhã, começo no novo trabalho. Pego os documentos que eles me pediram, escolho uma roupa bonita para o primeiro dia, uma calça jeans com lavagem clara, uma blusa social fina preta e um salto fino preto. Como vou ficar no escritório, não vejo o porque ir de bota de segurança.
Depois de ter arrumado tudo para amanhã, faço algo para tomar de café da manhã, já que ainda são 9 horas, coloco o café na cafeteira para fazer, ligo o som no volume médio e começo a fazer meu pão e o coloco na sanduicheira.
Coloco café na xícara, pego meu pão e sento na bancada para comer. Olho a tela do meu celular e tem uma mensagem da Nina e uma do Lou.
'Amiga, o que vai fazer hoje, queria fazer comprar e o Ian não vai, queria ver se estava afim de ir...' Nina mandou e no final colocou um emoji das duas mãos juntos como se pedisse por favor.
'Ahhhh, amiga, amanhã começo o trabalho, quero deixar tudo pronto para que eu não precise correr amanhã. Podemos ir na sexta fazer compras, o que acha?' envio já sabendo que ela vai me chamar de preguiçosa.
', como foi ontem? Harry foi muito estupido com você?' Lou escreve.
'Foi tudo bem, por que ele seria estupido? Ele foi um amor de pessoa!' respondo a mensagem do Lou sem entender porque ele perguntaria isso.
Assim que termino de responder, volto a comer o meu pão e tomar meu café. Não entendi o porquê Lou perguntou isso... Quando estou lavando a pouca louça que sujei, Lou me liga:
- Oi Lou, tudo bem?
- Oi , sim e você?
- Estou bem... - digo meio sem entender porque ele me ligou.
- Então, sério que ele foi gente boa? Vocês conversaram? Foi de boa mesmo? - Lou pergunta preocupado.
- Foi! Conversamos sobre um pouco de tudo... Lou, não estou entendendo! Por que está me perguntando isso?
- Tá ocupada? - Ele pergunta ignorando minha pergunta e eu digo que não. - Beleza, estou indo aí, para conversarmos.
- Tá - só digo isso e desligamos o celular.
Espero o Lou chegar para poder conversar com ele, depois de 15 minutos, alguém bate na minha porta e, sem ver no olho mágico, abro a porta e Harry está na porta do meu apartamento olhando pro chão.
- Harry? - Pergunto surpresa.
- ? Posso entrar? - Ele diz e parece mais bêbado do que quando nos despedimos de madrugada, saio da frente da porta para que ele entre e aponto para o sofá, ele senta e balança a perna como se estivesse nervoso.
- Está tudo bem, Harry? - Pergunto preocupada, ele afirma com a cabeça, mas não tirava os olhos das mãos. - Harry, o que foi?
- Calma preciso colocar meus pensamentos em ordem... - ele diz e fico confusa - Eu... Quer saber, nada, não sei porque vim aqui... - ele diz super estúpido comigo como na noite que bati em sua porta. Ele simplesmente abre a porta do meu apartamento e entra no seu.
'QUE?' foi a única coisa que consegui pensar. Até baterem na porta de novo, meio irritada com o que acabou de acontecer, abro a porta com tudo e falo:
- Olha, não sei o que aconteceu, mas se quiser conversar, não precisa sair assim... - Digo e quando vejo que é Lou, dou risada sem graça. - Oi Lou... Entra.
Digo e ele se senta no sofá com uma cara de interrogação.
- Quem você achou que era? - Lou pergunta e por um momento tinha esquecido que ele viria aqui para conversar sobre o Harry.
- Harry, ele apareceu aqui do nada, pediu para entrar, sentou no sofá, quando perguntei o que tinha acontecido, ele simplesmente foi embora, não entendi nada... - digo ao Lou que me olha atentamente.
- Que? - Foi a única coisa que Lou conseguiu dizer.
- Exatamente o que pensei quando ele saiu do meu apartamento - digo dando risada e Lou se junta a mim.
- Bom, não sei o porquê, mas depois disso, o que tenho para te falar dele, foi por água abaixo...
- Por que, Lou?
- Porque o Harry é complicado, ele é todo durão, seco, mau humorado, não liga pra ninguém além dele mesmo e dos seus amigos mais próximos que somos eu e Ed. Tirando a família dele, ele só tem 2 amigos mais próximos mesmo. Eu já tinha achado estranho ele te oferecer carona ontem na festa, ele nunca fez isso. Geralmente ele vai embora e não liga pra ninguém que não esteja de carro, mesmo se pedem carona, se ele não conhece a pessoa, se recusa - olho assustada para ele. - Pois é, estou assim também... Em festa, quase nunca vejo ele, pois sempre está pegando alguma menina, leva até o apartamento dele e no meio da noite, expulsa ela do quarto e se a menina ficar irritando ele, ele a assusta...
- Assusta? - Pergunto para Lou, será que ele estava assustando alguma menina quando quebrou algo no seu apartamento na outra noite?
- Sim, ele fica muito irritado e fala coisas horríveis sobre a pessoa, tipo, muito pesadas as coisas que ele fala. - Ele fala me olhando - Não entendi porque com você ele não foi estúpido.
- Ele costuma quebrar coisas? - Pergunto e ele me olha assustado - Na outra noite, escutei algo quebrando no apartamento dele, e por isso fui lá, queria saber o que tinha acontecido.
- Sim, costuma... Provavelmente ele estava com alguma menina no apartamento e cansou dela. - Olho pasma pra ele.
- Sério que ele é escroto assim? - Digo dando risada e Lou afirma com a cabeça. - Oh God! Nunca imaginei que ele poderia ser assim.
Eu e Lou ficamos conversando mais um pouco, mas não do Harry, a pessoa que ele esta descrevendo para mim, não foi o que conheci.
- Quer beber algo, comer algo? - Pergunto para Lou que balança a cabeça negativamente.
- Vou almoçar com a Eleanor. - Ele diz tímido e eu dou risada.
- ALELUIAAAA. - Digo em voz alta para ele que revira os olhos e da risada comigo.
Lou e Eleanor sempre estavam indo e vindo, ele gosta muito dela e já namoraram por uns 3 anos, até que terminaram de vez há uns meses. Fico muito feliz por ele.
Ficamos rindo sobre coisas aleatórias e me despeço do Lou.
Nina me responde um 'Preguiçosa! Maaaas pode ser sim!' e mando um joinha pra ela.
Fico assistindo um pouco de TV até que levanto e vou fazer meu almoço. Faço um pouco de macarrão com molho branco e bastante queijo. Uma das minhas comidas favoritas. Almoço assistindo TV e quando termino, desligo e vou arrumar a cozinha.
Vou tomar um banho para relaxar. Depois de sair do banho, coloco uma blusa de banda maior do que meu número, então ela fica até metade da coxa e seco o cabelo.
Quando termino de secar, escuto umas batidas fortes na porta do meu apartamento e penso 'Meu apartamento está movimentado hoje heim?'
Quando olho no olho mágico, vejo Wesley meio impaciente.
- Oi Wes... Quer... - ele não espera nem eu terminar de falar e entra - Ok... - Digo e me viro pra ele que está me encarando - Que foi?
- Por que não respondeu minha mensagem? - Ele pergunta se sentando no sofá e eu reviro os olhos.
- Wesley, você não tem mais nada pra fazer do que vigiar sua amiga? - Pergunto e ele me olha bravo.
- Não é só minha amiga. – Ele diz e dou risada.
- Claro que sim, você querendo ou não, agora somos amigos... - digo e ele apoia sua cabeça nas mãos.
- Não é fácil pra mim... – ele fala e o encaro sem entender - Você estava longe, não sabia quando voltaria e voltou logo que a Chloe disse que queria ter um relacionamento sério e eu aceitei.
- Wes, você aceitou e agora namora com a Chloe... Não entendo o que está fazendo aqui... - Digo e dou de ombros.
- Não sei o que estou fazendo aqui! - Ele diz alterando a voz comigo.
- Então vai embora! Vai para sua namorada e me deixa em paz! Não quero arrumar confusão! Não sei porque continua isso - digo e me arrependo no modo que grito com ele.
- Eu... - ele diz com a voz falhada - , por que você teve que voltar justo agora que estava conseguindo te esquecer?
- Wesley, por favor, não fala isso, não agora! Você teve 5 anos para me dizer isso e não disse... Então não, não quero escutar mais isso... Você precisa ir embora - digo diminuindo a voz.
- ...- ele diz chegando perto de mim e pega minhas mãos. - Vamos conversar sobre isso - tiro minhas mãos das suas e me afasto dele.
- Você precisa ir embora... Não temos nada a conversar - digo o mais calma que consigo, mas não estou nada calma.
Ele vai até a porta e se vira de novo pra mim.
- Por favor, ... - balanço a cabeça negativamente e ele sai com a cabeça baixa.
O QUE ESTÁ ACONTECENDO?
Primeiro Harry aparece aqui todo estranho e agora o Wesley querendo conversar, estou muito confusa, muita coisa aconteceu em um dia só.
Falando em Harry, o que será que ele queria? Será que devo perguntar? Acho melhor não... Chega de estresse por hoje, preciso estar plena para o novo trabalho amanhã.
O resto do dia fiquei assistindo série, comendo e vou dormir cedo para estar disposta no dia seguinte.

Capítulo 4

Acordei 7 horas para me arrumar, tomar uma xícara de café e sair. Meu horário para entrar é 9 horas, mas como gosto de me trocar com calma, decidi acordar mais cedo, fiz uma maquiagem leve, nada muito elaborado, arrumei o cabelo que estava liso com as pontas cacheadas. Peguei minha bolsa e os documentos que separei no dia anterior, passei o olho por cima da minha cômoda para ver se não me esqueci de nada, dei mais uma olhada no espelho e saio do apartamento 8h20.
Desço para a portaria e chamo um Uber, o lugar não é tão longe do meu apartamento, mas com esse salto, não quero correr o risco, sei do meu potencial de estabanada, então melhor não correr o risco de me sujar no primeiro dia de trabalho. 5 minutos depois o motorista chega e vou para o local de trabalho.
Chegando lá, vejo um prédio de 4 andares com o nome na lateral dele 'Lewis Engenharia'. Não tinha vindo ao local ainda, pois fiz minha entrevista via Skype, então foi um choque ver aquele prédio tão lindo de vidro. Saio do carro, entro no prédio e vou até a recepção.
- Bom dia! Meu nome é , hoje é meu primeiro dia - digo para a moça simpática.
- Bom dia , seja bem vinda! Aguarde um minuto aqui na recepção que o Sr. Lewis já está vindo para recebê-la.
Agradeço e vou sentar no banco que tem ao lado do balcão, olho no relógio e ainda são 8:40, fico feliz com a minha pontualidade. Espero uns 5 minutos e um homem com os cabelos arrumados pra trás aparece na minha frente.
- Senhorita Gatti? - O homem me pergunta e afirmo com a cabeça. - Sou Thomas Lewis - me levanto e aperto sua mão educadamente.
- Muito prazer em te conhecer, Senhor Lewis, e por favor, me chame de .
- Tudo bem, ... Seja bem vinda! E como você irá ser um dos meus braços aqui, podemos dispensar as formalidades. - Ele diz e rimos suavemente. - Me chame de Thomas, por favor.
- Combinado, Thomas - digo, ele chama o elevador e aperta para o 4º andar.
- Vou te mostrar o andar e depois sua sala, tudo bem? - Ele pergunta e eu afirmo com a cabeça.
O prédio é tão lindo por dentro quanto por fora. Conheci algumas pessoas que o Thomas me apresentou sendo alguns estagiários, coordenadores e supervisores. Serei supervisora da área de projetos.
- Essa será sua sala... A minha é no final do corredor, qualquer dúvida, estou à disposição, vou pedir para a Angel do RH vir aqui pegar os seus documentos - ele diz e sai da minha sala. Começo a organizar minhas coisas e espero a Angel vir até minha sala, assim que ela chega, entrego meus documentos, ela pede para que eu a acompanhe para fazer o cadastro de biometria.
Fazemos todos os procedimentos e volto para perto da minha sala e decido conhecer minha equipe.
- Boa tarde pessoal, meu nome é Gatti e serei a nova supervisora de projetos. Qualquer dúvida que vocês tiverem, podem me chamar! Estou aqui para ajudar vocês! - Digo e todos me cumprimentam.
- ? O que você esta fazendo aqui? - Assim que escuto a voz dele, sinto um gelo passar pela minha espinha.
- Harry? - Digo me virando para ele. - Comecei aqui hoje - o cumprimento com um beijo no rosto e um abraço.
- Sério? Voltei de Massachusetts para trabalhar aqui há 2 meses. Sou coordenador de obras - ele diz alegre.
- Que legal! Sou a mais nova supervisora de projetos - digo feliz em ter alguém conhecido - bom, vou voltar para minha sala, preciso organizar as coisas, até mais - digo e entro na minha sala.
Tento ignorar o que acabou de acontecer, que Harry trabalha na sala do lado da minha e tento concentrar nas minhas atividades. Quando estou mexendo no meu email e cadastrando minhas coisas, um chat abre e é o Harry.
'Me passa seu número?'
Dou risada e passo meu número para ele e fecho a tela da conversa voltando a focar nas minhas coisas.
Quando estou concentrada com as atividades, alguém bate na porta e peço para entrar.
- , que horas vai almoçar? - Harry diz entrando e fechando a porta atrás dele.
- Não sei, que horas são? - Pergunto sem tirar os olhos do computador.
- Meio dia e meia, estou saindo para almoçar agora e se quiser ir comigo, conheço um restaurante bem legal aqui perto.
- Claro! Adoraria! - Digo e finalmente olho pra ele com um sorriso, ele parece... Com vergonha?
Pego minha bolsa e meu celular que tinha colocado na gaveta e desbloqueio-o.
'Quer almoçar comigo? É o Harry' ', se não quiser almoçar comigo, é só me falar, não precisa me ignorar'
Dou risada e olho pra ele, que está sem graça.
- Desculpa, eu estava entretida com as coisas e acabei não olhando o celular - digo.
- Percebi, desculpa pela última mensagem achei que estava me ignorando de propósito - ele diz meio cabisbaixo.
- Não, claro que não! Obrigada por ter me chamado para almoçar, eu teria ido sozinha, já que não conheço mais ninguém - ele dá risada quando falo mais baixo para o pessoal não escutar.
- Eu também não conheço o pessoal e por ser coordenador, eles ficam com receio de vir falar comigo. - Ele revira os olhos - Vamos? - Afirmo com a cabeça, ele abre a porta. - Por favor - ele diz para que eu saia primeiro.
Vamos até um restaurante que tem na esquina do prédio, comemos, conversamos bastante sobre coisas aleatórias e sobre o serviço. Harry é uma companhia muito agradável, mas o que aconteceu ontem, não saia da minha cabeça.
- Harry, porque você foi ao meu apartamento ontem? - Pergunto e ele fica um pouco impaciente. - Aconteceu alguma coisa? - Ele desvia o olhar do meu e fica mudo - Harry... Está tudo bem... Se não quiser falar, não tem problema, vamos mudar de assunto - digo e ele me olha curioso.
- Você simplesmente deixaria isso pra lá? - Ele me pergunta e eu dou de ombros soltando um sorriso em direção a ele. - Sério? - Ele parece surpreso.
- Sim, se você não quiser me falar, tudo bem... Por que parece tão surpreso? - Pergunto terminando de comer o que tem no meu prato. – Nossa, muito boa a comida daqui.
- Porque não é todo mundo que é de boa assim, - ele dá de ombros - venho aqui quase todos os dias, desde que comecei a trabalhar na Lewis.
- Onde mais você costuma comer? - Pergunto sem querer voltar no outro assunto.
- Tem outro restaurante Italiano, maravilhoso, a massa deles é magnífica. - Ele diz e para por 2 segundos e dá risada. - Desculpa, pra você deve ser totalmente 'normal' - ele faz as aspas com os dedos.
- Bom, me sentir em casa de vez em quando. - Digo dando risada. - Quando você vai me levar lá pra comer? - Pergunto amigavelmente.
- Quando a senhorita quiser - ele diz fazendo uma voz totalmente sexy e me encarando, sinto minha bochecha queimar e olho para baixo tentando disfarçar. - O que foi? - Ele pergunta com uma voz mais doce agora, como ele consegue fazer isso?
- Nada... Desculpa, acho que está na hora de voltar, né? - Pergunto olhando para o relógio e pegando minhas coisas e indo para o caixa.
- , me espera... - ele diz e para atrás de mim.
- Não vou fugir, só vim pagar a conta - digo rindo para amenizar meu desconforto, porém, seu rosto parece ficar tenso.
- Tudo bem, se quiser ir na frente, eu vou depois, preciso passar em um lugar - ele diz.
- Ok, até mais tarde - ele não fala nada e sai na minha frente, indo no sentido contrário do prédio.
Volto para o prédio como se nada tivesse acontecido - mais uma vez - e volto ao trabalho, coloco meu celular na gaveta e volto a mexer nos projetos que o Thomas quer que eu revise.
Não vi o Harry desde que saímos do restaurante, durante a tarde a porta dele permaneceu fechada o tempo todo depois que voltou, decidi não mexer com ele. Quando deu o meu horário para sair, Thomas passa pela minha sala, animado.
- E aí? O que achou? Gostou? - Ele pergunta.
- Adorei! - Digo tímida.
- Estava ansioso com a sua chegada, tenho várias ideias novas e quero que você faça parte disso, amanhã tenho uma reunião, pode participar comigo? - Afirmo com a cabeça - Perfeito! 15 horas, passo aqui para te levar até a sala de reunião. - Ele diz saindo da minha sala, mas quando quase fecha a porta, ele volta. - Ah, mais uma coisa, sei que é o seu primeiro dia, mas gostaria que soubesse que tive muitas indicações boas sobre você! - Assim que termina de falar, nós dois sorrimos e ele sai da minha sala.
Fico muito feliz com o que Thomas me falou, sempre fui uma boa aluna... Sei que meu esforço ia valer a pena, agora vejo que me esforçar desde o começo, me recompensou com esse emprego maravilhoso...
Pego minhas coisas e, quando estou saindo, dou de cara com o Harry saindo de sua sala também. Dou um sorriso na direção dele, que só me encara e olha pra baixo saindo de perto de mim.
O que mordeu esse cara? Credo, nunca vi! Não fiz nada pra ele...
Saio do prédio me despedindo de todos e decido voltar a pé para o apartamento.
Quando chego, tomo um banho quente e relaxante, coloco uma camisola e deito na minha cama ligando a TV, deixando no canal que está passando Friends - adoro essa série - mas como já vi todos os episódios, deixo nesse canal para pegar no sono.

Capítulo 5

Acordei com o despertador tocando 7h30, tomei um banho rápido, me troquei colocando uma calça preta, bota preta, blusa de manga comprida branca e uma jaqueta de couro preta. Arrumei os cachos do meu cabelo com babyliss e passei um pouco de maquiagem, mais do que ontem, hoje tenho reunião, então preferi me arrumar um pouco mais.
Pego minhas coisas para deixar na sala e vou colocar o café para fazer enquanto faço umas torradas, tomo meu café da manhã e quando estou escovando os dentes, escuto minha campainha.
Termino de escovar os dentes, pego minhas coisas e vou até o olho mágico da porta para ver quem é... Harry.
- Bom dia, Harry - digo indiferente abrindo a porta para sair e trancando depois.
- Bom dia, ... Você está muito bonita - ele diz sorrindo.
- Obrigada, Harry - digo indo para o elevador e ele me acompanha.
- Quer carona? - Ele pergunta e me olha atento.
- Não precisa, Harry... - digo e ele me interrompe.
- Desculpa por ontem, se você puder ir comigo até o trabalho, tento explicar o que aconteceu, ou talvez no almoço - ele diz com uma voz bem suave e sorri no final.
- Isso é um convite para almoçar com você? - pergunto e ele afirma com a cabeça - Tudo bem... - digo e dou de ombros.
- Obrigada por aceitar, vou tentar te explicar no almoço então, mas mesmo assim, posso te dar carona? - Ele pergunta quando saímos do elevador. - Por favor.
- Ok, obrigada pela carona - digo e o acompanho até o carro, sei que estou sendo grossa com ele, mas ele me irritou.
Por que o Harry fica tanto indo e vindo? E por que está tentando 'tanto' se aproximar de mim... Lou não disse que o Harry é todo antissocial e estupido com todos? - Não que ele não tenha sido comigo - mas não estou o entendendo.
No caminho inteiro Harry tenta puxar assunto comigo e eu estava dando respostas curtas como: legal, está bom, aham, nossa... O que deve ter irritado ele.
- , você quer falar algo pra mim ou vai continuar dando respostas curtas assim? - Ele pergunta e sua voz é ríspida.
- Olha Harry, eu juro que queria te entender, mas está difícil... Um dia você é todo legal, gente boa e no minuto seguinte você é totalmente estranho. Não sei mais o que pensar de você - digo o encarando.
- Eu sei que sou uma pessoa difícil. Só não quero que...que... - ele pensa antes de começar a falar de novo.
- Não quer o que? - Pergunto cortando-o.
- Que... Aconteça a mesma coisa que em Harvard... - ele diz baixo - Chegamos, no almoço eu te conto, pode ser?
- Tudo bem... Obrigada pela carona - digo saindo do carro e esperando ele para entrar junto.
- Se quiser vir comigo todos os dias, não vejo problema, já que vamos pro mesmo lugar. - Ele sorri simpático.
- Claro! Agradeço muito - digo e entramos no prédio - até o almoço - digo ao Harry que acena pra mim entrando na sua sala e eu faço o mesmo. Bom, já um começo ele querer explicar isso pra mim, certo?
Na parte da manhã tento terminar as revisões dos projetos que estão parados. Quando deu meio dia, paro para mandar uma mensagem para Harry.
'Vamos almoçar que horas? Já estou com fome' digo e deixo o celular em cima da mesa esperando uma resposta que, ao invés de vir pelo celular, vem pessoalmente.
- Esta pronta, dragãozinho? - Ele diz abrindo a porta e rindo.
- Já é meio dia, estou com fome, vamos logo - digo pegando a minha bolsa e rindo também.
Vamos no mesmo restaurante que o dia anterior. Pedimos nossas comidas e bebidas e enquanto esperamos chegar Harry começa:
- Então... Sobre o que aconteceu em Harvard... - ele começa e olha pra mim, nesse momento, minha atenção é toda dele. - Eu conheci uma menina, ela era muito minha amiga, muito mesmo... E do nada ela sumiu, simplesmente sumiu, não atendia minhas ligações, não respondia minhas mensagens, eu fui até onde ela morava e falaram que ela se mudou sem me falar nada e eu realmente me importava com ela, ela era minha única amiga lá, e fiquei sozinho pelo resto da faculdade... ela me deixava confortável, eu podia falar com ela em qualquer hora... Como você... E do nada ela desapareceu. - Ele respira fundo. - Bom, essa foi a 'gota d'água' de eu não confiar em mais ninguém, porque todos me abandonaram... A outra vez foi aqui em Londres, depois já de ter conhecido Louis e outro amigo Ed - lembro que Lou me falou desse amigo deles. Paramos a conversa, pois nossos pratos chegaram e quando íamos comendo, ele ia me contando mais - Então, uma outra amiga que eu me importava muito, um dia foi brincar no parque, nós éramos bem pequenos, mas lembro perfeitamente... Em um sábado a tarde, ela sumiu e nunca mais voltou, até que os pais dela a acharam, mas ela já estava... - Seus olhos estavam cheio de lágrima.
- Ah meu Deus! - Digo e pego em sua mão. - Desculpa te fazer contar isso... Desculpa mesmo... - aperto mais sua mão e ele me olha, limpando as lágrimas - Está tudo bem... - ele afirma com a cabeça e solta um sorriso forçado.
- Ontem, quando falou que não ia fugir, senti um peso gigantesco, por mais que você não soubesse, fiquei mal... Não consegui me controlar e fui grosso, estupido, escroto ou qualquer adjetivo ruim... É esse jeito que acho para afastar as pessoas de mim, mas gosto da sua companhia... Por isso estou sempre indo e vindo... - ele sorri tímido - Não sei porque, mas você me deixa confortável.
- Também gosto da sua companhia e muito obrigada por contar essas coisas pra mim... - digo sorrindo.
Terminamos de comer, conversando sobre coisas do trabalho e levantamos para ir embora. Subimos, me despedi de Harry e continuei a revisão dos projetos, quando acabo está perto das 15 horas.
Vou até o banheiro, dou uma ajeitada na maquiagem e volto para minha sala, onde encontro Thomas me esperando do lado de fora.
- Pronta? - Afirmo com a cabeça e ele anda em direção à sala de reunião - Por aqui - ele diz e entra em uma sala que não conhecia.
Quando entro, parece que estavam nos esperando, quando olho para a mesa, não conheço ninguém e sento ao lado de Thomas, até que vejo Harry de pé com um lazer na mão, ele que ia apresentar?
- Boa tarde, pessoal. Sou Thomas Lewis e o Harry irá apresentar para vocês o novo projeto dele, eu chamei vocês até aqui para que participem junto com ele desse projeto incrível, Harry... - Thomas diz e no final passa a palavra para Harry.
- Boa tarde a todos, meu nome é Harry Styles e sou coordenador de obras. Trouxe para vocês um projeto de expansão da Lewis, mas não será uma expansão normal... - Ele começa todo confiante.
A apresentação dele é sensacional e sua ideia ainda mais! Sua ideia é de fazer tudo com a empresa funcionando ao mesmo tempo, tentando reduzir os ruídos, a sujeira e trabalhar somente no horário comercial e junto com essa expansão, trabalhar em levar para outra cidade uma unidade da Lewis.
- E para que isso seja possível, irei precisar muito da sua ajuda Senhorita Gatti, depois podemos conversar melhor sobre isso, mas preciso que você faça os dois projetos... - Thomas começa a falar e eu afirmo com a cabeça. - Pessoal, fico muito feliz com o empenho de vocês e agora vou precisar mais do que nunca da ajuda de cada um... Harry, fiquei muito feliz com o seu projeto, agradeço o empenho!
A reunião durou umas 2 horas, então quando saímos já eram 17 horas, vou até a máquina e pego um café para levar até a minha sala, quando chego, Harry está lá, com um sorriso muito bonito no rosto.
- Eu não sabia que você iria participar da reunião, Thomas me pediu para não comentar com ninguém até a reunião, por isso não comentei nada... O que achou? - Ele pergunta animado.
- Eu imaginei mesmo que ele queria ter feito surpresa para todos, porque sua ideia é brilhante, Harry! - Digo feliz e seu sorriso aumenta mais, mostrando suas covinhas.
- Que bom que gostou!! Deixa eu voltar para minha sala para mandar a pauta da reunião a todos... - ele diz e antes de fechar a porta da minha sala, ele volta - Me espera para ir embora, você vai comigo - ele sorri e fecha a porta, só solto um 'Sim, senhor!' e ele ri.
Quando está na hora de ir embora, pego minhas coisas e alguém bate na porta e abre.
- Vamos? - Harry aparece todo contente, é legal ver ele desse jeito, um lado que não conhecia ainda e gostei.
Fomos até o carro dele conversando sobre o projeto e assim que chegamos no carro, ele liga o som um pouco mais alto que o normal.
- Canta comigo! - Ele diz para uma música do Aerosmith e eu canto junto com ele... Sua voz é linda demais cantando, fico abismada de como ele canta bem.
- Harry, você poderia ser cantor! Olha que voz linda você tem! - Digo e ele me lança uma piscadinha e eu caio na gargalhada.
- Não posso falar o mesmo pra você! - Ele diz e eu dou um tapinha no seu braço dando risada e fingindo estar brava. - E esse bico aí? - Ele diz e eu faço uma cara mais de brava - Se esse bico continuar, não vou me responsabilizar pelos meus atos - ele diz com os olhos na estrada e eu fico vermelha dando risada e tirando o bico de brava, quando ele tira os olhos da estrada para me olhar, diz - Que pena - ele lança uma piscadinha pra mim.
- Para que estou ficando com vergonha - digo dando um tapinha no seu braço.
- É sério, você não sabe como fica linda com cara de brava, nem eu sabia que alguém poderia ficar tão linda assim... Brava - ele da risada quando meu rosto fica vermelho de vergonha.
- Harry, para - digo rindo quando ele estaciona o carro na garagem do prédio.
Descemos do carro e vamos até o elevador em silêncio com Harry me olhando. Quando chegamos ao nosso andar, pego a chave do meu apartamento e Harry está atrás de mim.
- Você está me deixando sem graça, Harry - digo e ele está se aproximando cada vez mais - Harry... - digo e ele esta me olhando fixamente e com um sorriso esperto no rosto, ele está tão perto que consigo sentir seu cheiro.
- Precisamos comemorar, - ele diz, só que baixo, por estar perto, perto demais - aceita uma cerveja? - ele diz saindo de perto de mim e abrindo a porta de seu apartamento. - Entra, prometo te levar pra casa depois - ele diz divertido.
- Mas só se você me levar pra casa depois... - digo entrando na brincadeira e entro em seu apartamento. O apartamento dele é bem diferente do meu, ele parece bem maior que o meu, quase não tem parede, é bem espaçoso, só seu quarto que fica de lado 'mais escondido'.
Ficamos sentados no sofá e ele me traz uma cerveja, conversamos sobre os projetos, bebendo e comendo uns salgadinhos que ele trouxe, quando olho no relógio, vejo que já está tarde.
- Nossa, não vi a hora passar, preciso dormir - digo levantando do sofá que já estava quase deitada.
- Eu disse que te levaria até sua casa depois - Harry diz e se levanta comigo, me acompanhando. - Obrigada por ter ficado, gostei muito da sua companhia - ele diz sorrindo e mostrando as covinhas, e meu Deus, provavelmente eu bebi demais, pois Harry está começando a ficar mais irresistível que o normal.
- Sim, eu também gostei da sua companhia... - digo e me viro para abrir a porta, Harry me acompanha com os olhos, saio do apartamento dele e pego as chaves do meu. Em 5 segundos, Harry está próximo de mim de novo, um pouco mais perto que antes. - Harry... - digo virando e o encarando.
- Eu não ganho nem um tchau ou um boa noite? - Ele pergunta e apoia as mãos na minha porta ao lado da minha cabeça, ficando a centímetros de distância de mim. - ... - ele diz chegando perto do meu ouvido e passando seu nariz no meu pescoço. Eu estou apenas curtindo a sensação que meu corpo sente com seu toque - Boa noite... - ele diz, depositando um beijo na minha bochecha e sorri pra mim.
- Boa noite, Harry - digo sorrindo sem tirar os olhos dele, nos encaramos e sua boca foi chegando cada vez mais perto da minha, até que meu celular toca e faz com que a nossa 'conexão' pare. Olho para o celular, é Nina falando que vai ter uma festa no fim de semana, para me preparar. Olho para Harry e ele esta tão sem graça quanto eu - Nina me mandou mensagem falando que vai ter festa no sábado... Quer ir? - pergunto quebrando o gelo e ele afirma que sim com a cabeça, nos despedimos com um aceno e eu entro no meu apartamento...
O QUE ACABOU DE ACONTECER? OU MELHOR, O QUE QUASE ACONTECEU?

Capítulo 6

A semana passou voando no trabalho, eu e Harry, digamos que estamos nos aproximando cada vez mais, ainda não consegui decifrar se as minhas intenções com ele são mais que amigo, estou deixando rolar e ver o que acontece, parece que ele também, então não estou me incomodando. Gosto de conversar com Harry, ele é atencioso, carinhoso e quando quer é bem pervertido, o que estou acostumando a lidar, já que sempre que estamos sozinhos, ele faz algum comentário.
Como no outro dia que ele foi no meu apartamento depois do trabalho para assistir série comigo, porque ficou teimando comigo sobre um episódio de Grey's Anatomy e como sempre, eu estava certa e joguei isso na cara dele a semana inteira. Ele ficou vendo outros episódios novos comigo e no meio de um ele solta dos seus comentários, do nada! - E aquela fantasia de gatinha que você foi na festa, você estava sensacional, heim? - Eu caio na gargalhada. E assim está sendo nossa amizade, vou e volto do trabalho com ele e vamos almoçar juntos todos os dias.
É gostoso ficar perto dele, não preciso ficar fazendo sala, não tenho que ficar tentando agradar, não preciso ficar puxando papo, sua companhia é muito agradável. Cheguei a contar para ele sobre o meu passado com o Wesley e da última vez que o vi que foi aqui na minha casa.
Hoje é sexta e já voltamos do trabalho, amanhã terá aquela festa que a Nina comentou comigo, eu e Harry vamos. Chegamos no meu apartamento, pedimos algo para comer e vou até a cozinha pegar algo para nós bebermos.
- Hoje é sua vez de decidir o que vamos fazer - digo sentando no sofá do meu apartamento, entregando um copo de coca para Harry.
- O que estou pensando, talvez, posso estar errado, mas você não ia querer - ele diz com um sorriso malicioso no rosto e pisca pra mim.
- Harry! - Digo rindo - É sério! Tô cansada de só ficar vendo série toda noite - digo fazendo bico de 'por favor'.
- , esse bico só aumenta o que quero fazer - ele diz e seu sorriso aumenta, o que faz com que eu olhe para sua boca e olhos. - Algo me diz que não sou o único que tem essa vontade" ele sorri vitorioso e desvio o olhar sem graça.
- Cala a boca, Harry - digo levantando do sofá e indo na cozinha pegar água e não vejo que ele me seguiu, até sentir sua respiração no meu pescoço - Harry... - digo, mas ele não deixa eu me virar.
- ... - ele diz e ri suavemente contra meu pescoço. - Eu vou fazer um teste com você, se você não passar, vai ter que me beijar - ele não espera nem eu falar e começa depositar beijinhos no meu ombro, pescoço, o que faz com que meu corpo pegue fogo, eu nunca tinha sentido essa sensação antes, já estive sim com outros caras, mas com Harry era diferente, o toque dele faz com que meu corpo reaja muito rápido. Quando ele vai subindo os beijos, para embaixo do lóbulo da orelha, meu corpo arrepia inteiro e solto um suspiro, que faz com que eu jogue a cabeça para trás pousando no peito de Harry. Seus dedos tocam suavemente meu pulso e ele vai subindo devagar até chegar no meu ombro, e eu estou totalmente fora de mim, meu corpo pede mais por ele, mais do toque dele.
- Perdi - digo me virando e encostando minha boca na sua. Na hora, Harry aperta minha perna e me coloca em cima da bancada, ficando entre minhas pernas, nossa sincronia é maravilhosa e quando vejo, estou tirando sua blusa, ele beijando meu pescoço, segurando meu cabelo com uma mão e a outra faz carinho na minha coxa. Ele vai parando aos poucos o nosso beijo, terminando com um selinho e colocando sua testa na minha.
- Foi bem melhor do que imaginei - ele diz sorrindo mostrando suas covinhas.
- Eu também - digo dando outro selinho nele e descendo do balcão - Bom, agora, o que vamos fazer... - digo divertida e ele me olha confuso.
- Podemos curtir um pouco isso? - Ele diz se aproximando e me abraçando por trás. - Desde que te vi na festa quero ficar com você e estou me segurando perto de você no trabalho todos os dias, no dia que bebemos na minha casa e te trouxe aqui na porta, não foi fácil - dou um tapinha no seu braço. - É sério, e não sou o único não viu... - ele diz e eu reviro os olhos - Não acredita em mim? , todos os homens que trabalham lá te acham linda, sério, sem exceção.
- Até parece - digo indo sentar no sofá de novo e batendo do meu lado para ele se sentar também.
- , ou você é tapada ou se faz - ele diz rindo e se sentando do meu lado virado pra mim. - Sério, você não faz ideia do quão linda é - ele passa o dedão na minha bochecha e me beija de novo, dessa vez um pouco mais calmo, sua mão está no meu pescoço e a outra depois de um tempo vai até minha coxa e minha reação é sentar em seu colo, fazendo ele soltar um suspiro dessa vez.
- Não me chama de tapada, outra vez - digo sorrindo e beijando Harry um pouco mais depressa. As mãos de Harry estão entre meu quadril e pescoço. Quando percebo que o clima está esquentando mais do que devia, vou acalmando o beijo e beijando seu pescoço.
- Porra, , não faz isso comigo. - Ele diz quase soltando um gemido quando beijo seu pescoço. Como estou sentada em seu colo, sinto que ele está totalmente duro embaixo de mim, o que me faz sentir subir um calor pelo meu corpo. Tento sair do seu colo depois que paramos de nos beijar, mas ele não deixa. - Fica só um pouco - ele diz fazendo carinho na minha bochecha.
- Você acha que o que aconteceu vai mudar alguma coisa? - Pergunto um pouco preocupada e ele entende que é sobre nós.
- Não, talvez eu me apaixone mais por você e vamos ter que fazer isso mais vezes, mas de resto, nada muda - ele diz e da de ombros me fazendo rir.
- Mais apaixonado? Quer dizer que está apaixonado por mim? - Pergunto com um sorriso esperto.
- Como se você não estivesse por mim - ele diz e em um movimento rápido, ele me deita no sofá e fica por cima de mim. Quando ele está prestes a me beijar de novo, a campainha toca, deve ser a nossa comida. - Quer que eu atenda? - Harry diz e eu afirmo com a cabeça, ele passa as mãos pelo cabelo e vai abrir a porta sem olhar no olho mágico. Ele está só de calça preta o que me faz dar risada. - ... - Harry começa a falar, mas um Wesley vermelho, de raiva entra no meu apartamento gritando.
- Que porra é essa, ? - Ele entra e eu levanto do sofá imediatamente.
- O que você está fazendo aqui? - Pergunta ignorando sua pergunta. - Se veio começar outra briga, pode ir embora Wesley, não estou afim - digo e Harry vem para perto de mim, sussurra 'vou ao banheiro' no meu ouvido e beija minha bochecha, fazendo o Wesley ficar mais puto da vida, filho da mãe, ele fez isso de propósito.
- , sério? Ele? Que porra é essa? O que ele está fazendo aqui com você sozinha numa sexta à noite? - Ele pergunta vindo mais perto de mim, eu não aguento e dou risada.
- Eu que tenho que perguntar que porra é essa, Wesley. Cadê sua namorada? - Pergunto sentando no sofá e ligando a TV.
- Não sei... Ela não larga de mim, então dei um perdido nela - ele diz e bufa. - Não era que nem quando a gente estava junto, que a gente se divertia - ele diz sentando no sofá ao meu lado.
- Wesley, sério que veio reclamar da sua namorada pra mim? Eu tenho que lembrar que você decidiu ficar com ela e me ignorou por 2 meses inteiros e agora vem querer o que comigo? Poupe-me. - Digo e Harry aparece encostado no corredor, me olhando de braços cruzados.
- A gente precisa conversar, , não conversamos desde que você voltou... Sinto sua falta - ele diz, não percebendo que o Harry está parado no corredor, ele tenta pegar minha mão que tiro na hora e Harry vem na nossa direção.
- Está tudo bem, Harry - digo e ele assente, indo para a cozinha pegar sua blusa e a colocando - Wesley, não tenho nada para conversar com você, ou caso queira conversar, pode falar o que você quer me falar - digo dando de ombros.
- Gostaria de falar com você em particular - Wesley diz.
- O que quiser falar, pode me falar com o Harry aqui. - Digo olhando pra ele e sorrindo, pedindo ajuda com os olhos.
- Você está de brincadeira com a minha cara, né? - Wesley fala irritado.
- Wesley, não te conheço cara, mas conheço a , se ela me quer aqui, eu vou ficar. Só saio se ela quiser, caso contrário, supera - Harry diz abrindo a geladeira e pegando coca. Adorei o jeito que ele falou com o Wesley, o que me faz sorrir para Harry em agradecimento. Quando Wesley ia começar a falar, nossa comida chega, Harry pega e paga o motoboy. - Nossa janta, . - Harry diz em tom brincalhão para mim.
- Wesley, olha, se quiser continuar com a minha amizade, beleza, adoro você como amigo, caso contrário, não posso fazer nada, quem deu o primeiro passo, foi você. - Digo e dou de ombros.
- Não é assim, , eu quero conversar com você, para poder conversar com a Chloe...
- Por que? Eu não tenho nada a ver com o seu relacionamento. Não quero ter influencia por nenhuma atitude sua. Quem entrou em um relacionamento que não queria foi você e não eu.
- O dela ela quis, pelo menos... - Harry comenta e eu arregalo o olho em direção a ele - O que? Estou mentindo? Ou não era para falar que estávamos em um relacionamento ainda? - Harry diz e entendo seu jogo.
- O que? Você está com ele? Desde quando? - Wesley me pergunta cabisbaixo, mas ao mesmo tempo surpreso.
- E o que isso interessa? Ela está comigo agora, está feliz e você está estragando nosso jantar - Harry diz chegando perto de mim, me abraçando por trás e deposita um beijo no meu rosto, involuntariamente meu corpo se arrepia todo.
- É sério isso, ? - Wes pergunta olhando pra mim triste.
- Sim, é sério... Agora, por favor... Fala o que quer falar ou me deixa em paz com isso, Wes - digo.
- Eu... Eu não sei mais o que te dizer... Desculpa... Só isso que tenho que te falar - Wes diz baixo e começa a sair do meu apartamento.
Quando Wesley sai do meu apartamento, Harry me encara e começa a gargalhar e eu vou na onde dele.
- Obrigada! Você não precisava ter feito isso por mim. - Digo e abraço Harry, ele deposita um beijo no topo da minha cabeça.
- Eu sei, mas ele não teria ido embora se não fosse isso, então foi a única coisa que veio na minha cabeça de fazer - ele dá de ombros. - Vamos comer, antes que esfrie - ele diz e nós jantamos rindo do que acabou de acontecer.
Eu realmente estou gostando do Harry, talvez mais do que deveria, ele cuida de mim como se fosse realmente meu namorado, ele é atencioso, carinhoso, beija muito bem, mas vou guardar pra mim tudo isso, por enquanto. Vamos ver até onde isso vai dar...

Capítulo 7

Eu e Harry jantamos, assistimos mais série e ele foi para seu apartamento.
Deitei para dormir e acabei pegando no sono bem rápido, a noite foi bem agitada...


Acordei com o meu celular tocando e é a Nina:
- Oi Nina! - Digo com uma voz sonolenta.
- Bom dia, flor do dia! Está na hora de acordar, tomar um banho e ir fazer compras comigo - ela diz toda animada, tinha me esquecido que íamos fazer comprar hoje.
- Daqui 30 minutos estou pronta! - Digo levantando da cama em um pulo.
A gente se despede e vou correndo tomar banho. Saio, seco o cabelo, passo uma maquiagem de leve e coloco uma calça jeans, uma blusa básica e um casaco por cima, escolho colocar no pé um tênis branco, um dos meus favoritos.
Desço até a portaria e espero até ela chegar para me buscar, o que não demora.
- Oi, amiga - Nina diz quando entro no carro abraçando-a. - Você está radiante hoje, o que aconteceu? - Pergunta rindo
- Ah, deve ser o novo emprego... Gosto muito de lá, amiga - digo animada e conto algumas coisas que aconteceram na semana. Contei sobre eu e o Harry, e sobre a aparição de Wes ontem...
- Eu vou ter que dar uma cortada nele, não é possível! - Nina diz rindo. - Falou com o Lou sobre você e o Harry? - Nego com a cabeça - Por que?
- Não sei, não deu tempo e tudo isso aconteceu ontem... Não deu nem para contar para o Andy ainda - digo rindo.
Chegamos ao shopping e decido comprar um vestido preto para usar hoje na festa, procuro em um monte de loja, mas não acho. Quando desisto de procurar, Nina quis entrar em uma última loja e eu encontro o vestido perfeito . Provo, gosto muito de como fica em mim, levo até o caixa e pago.
Nina acha o look dela e ficamos muito satisfeitas com as escolhas.
Passamos para pegar um sorvete antes de ir embora. Nina me deixa em casa para me arrumar para a festa. Olho no relógio e são 17 horas, vou até o banheiro, ligo o babyliss, lavo o rosto para tirar a maquiagem e passar outra mais elaborada. Quando termino, arrumo o cabelo com o babyliss e mando uma mensagem para Harry perguntando se ele está pronto.
Depois de 10 minutos, alguém bate na minha porta e provavelmente é Harry para irmos. Pego minha bolsa e um sobretudo e vou abrir a porta e encontro Harry todo lindo.
- Oi ... Você está maravilhosa - ele diz pegando minha mão, dando um beijo e fazendo eu dar uma volta, o que me faz rir. - Como vamos 'fingir' que estamos juntos, estou liberado para te beijar, né? - Ele diz com um sorriso malicioso no rosto.
- Obrigada, Harry, você não está nada mal - digo piscando para ele. - Não recusaria se quisesse me beijar - dou um sorriso tão malicioso quanto o dele. - Vamos? - Fecho a porta do meu apartamento e Harry está atrás de mim.
- Recusaria se eu quisesse algo a mais? - Ele diz mordendo o lábio inferior e em seguida beijando minha bochecha.
- Não começa, Harry - digo rindo da sua pergunta e involuntariamente, mordo o lábio inferior também quando olho para o seu.
- Não vou conseguir esperar até chegar na festa - ele diz e me beija. Um beijo que retribuo sem pensar duas vezes.
Ele se afasta de mim e passa o braço por minha cintura, me fazendo ficar do seu lado, Harry é mais alto que eu, bem mais alto, eu de salto, bato na sua orelha. Então apoio minha cabeça no seu ombro esperando o elevador chegar no nosso andar.
Vamos até o carro e ele coloca uma música calma para tocar e fica conversando comigo o caminho todo. Quando chegamos, a festa está lotada. Respiro fundo e saio do carro, Harry vem até mim e passa seu braço pela minha cintura de novo me fazendo rir. Quando entramos na casa que está acontecendo a festa, vou na frente procurar meus amigos e Harry está logo atrás de mim. Encontro todos eles sentados no sofá em um canto da casa.
- Olá pessoal, cheguei! - Digo chamando atenção do meu grupo.
Wesley e Chloe estão sentados um do lado do outro, Wes com a maior cara de bosta quando me vê com o Harry.
Andy e Juliet levantam para me abraçar, Juliet está com o cabelo maravilhoso e eu comento com ela como está linda.
Nina e Ian estão sorrindo pra mim e para Harry, eles estão se divertindo com o meu 'fingimento'.
Lou estava em uma poltrona e quando viu eu e o Harry abriu um sorriso gigantesco.
Drew é muito amigo de Wes e quando vê que estou com o Harry, levanta na hora, olhando para mim e para Wesley.
Cumprimento todos e sento com Harry nos dois lugares que estão vagos. Ninguém pergunta sobre mim e o Harry, mas como ele está sempre ou com o braço na minha coxa ou no meu ombro, todos perceberam e ficaram quietos.
- Alguém quer algo para beber, vou buscar - digo e levanto, todos negam com a cabeça menos o Harry que pede uma cerveja. - Tá bom. - Pego uma cerveja pra mim e uma para ele, quando estou quase saindo, um cara extremamente bêbado para na minha frente. - Dá licença - digo tentando passar e ele se coloca na minha frente de novo.
- Como se chama, gracinha? - O ser que está na minha frente diz e eu bufo, tentando passar de novo. - Só quero saber seu nome, princesa - ele diz e tenta colocar sua mão no meu rosto, mas eu afasto.
- Não se atreva tocar em mim, se quiser seus dedos inteiros na mão - digo puta da vida e ele tenta passar a mão no meu rosto de novo. Pego seu dedo e em um movimento rápido, viro ele e coloco sua mão nas costas, subindo cada vez mais até ele pedir para eu parar. - Eu disse pra você não tocar em mim - digo e saio para pegar outro copo de cerveja, já que os que estavam na minha mão, eu derrubei no chão. Quando passo pelo cara que machuquei a mão, ele fala choramingando.
- Hey, você machucou minha mão - ele diz.
- Se não tivesse tentado encostar-se a mim, sua mão estaria bem. - Digo e sorrio, saindo de lá e voltando para perto dos meus amigos, no meio do caminho encontro Harry rindo.
- Você fez isso com ele? - Ele diz apontando para o cara que está choramingando para os amigos e afirmo com a cabeça dando de ombros. - É isso aí! Essa é minha garota - ele diz e estende a mão para fazer hi-five e eu bato na mão dele rindo.
Wesley e Drew tinham me ensinado um pouco sobre proteção pessoal, já que sempre estava em festa com eles, eles viam que os meninos eram folgados.
- Isso aí, ! - Drew diz e me abraça de lado, vejo que ele está começando a ficar alterado, ele da risada sem parar e me puxa para dançar.
Tenho saudades de como costumavam ser nossas festas, nossas brincadeiras, nossos jogos loucos e das nossas conversas. A amizade de todos era super respeitosa, já fiquei com todos os meninos do meu grupo em alguma festa ou em algum jogo de verdade ou desafio, até Ian e Andy, mas eles não namoravam ainda. Acho que por essa 'conexão' com todos, nossa amizade é tão diferente.
Sinto os olhos de Harry pesar em mim depois de um tempo dançando com Drew. Paro de dançar com Drew aos poucos e puxo Harry para dançar comigo, ele nega com a cabeça e eu faço bico, estou um pouco alterada por conta da bebida, ele pega minha mão e começa a dançar comigo, seus olhos estão me encarando, nossas bocas estão a centímetros de distância, sua mão que esta em minhas costas me puxa mais perto de seu corpo, sinto as tão famosas borboletas no estômago e disparo um sorriso para ele.
- Não consigo - ele diz baixinho para que só eu escute e me beija, quando seus lábios finalmente tocam os meus, esqueço-me do mundo e sinto que só existe ele e eu naquela sala. A minha mão que estava em seu ombro, vai até seu pescoço e a outra acompanha apoiando o outro lado do pescoço de Harry. As mãos dele estão no meu quadril, ele vai subindo a mão até minhas costas e depois desce de novo, repetindo esse movimento. Quando paro de beijar Harry, encaro ele e sua testa apoia na minha.
- Eita! - Ian solta como se fosse um grito e eu desvio o olhar de Harry. Todos estavam vendo a cena minha e do Harry, inclusive Wesley que está com a cara vermelha de raiva e os punhos cerrados, olho para Harry de novo que está tão sem graça quanto eu.
- Vem aqui! - Nina me puxa para longe de Harry e, quando estamos longe o suficiente, ela começa. - Amiga, eu achei que fosse encenação a relação sua e do Harry - assim que ela fala, olho de canto de olho para Harry que está olhando pra mim também. - Você está se gostando dele... - ela diz.
- Eu sei... - é a única coisa que consigo falar pra ela e ela solta um gritinho dando pulo e me abraçando - Não dá alarme! - Digo fazendo com que ela pare de pular.
- Amiga, não é te dando esperança, mas ele também está todo caidinho por você - ela diz e olha para ele que está nos olhando, mas desvia o olhar. Dou de ombros e a pego pela mão para voltar onde nossos amigos estão.
- Ela está irresistível com esse vestido né, Harry? - Wesley diz quando chego perto de Harry de novo.
- Que?- Harry diz bravo para Wesley - Sério que você é ESSE tipo de babaca? - Ele diz com o punho fechado e pego em sua mão.
- Tanto faz, já estive no lugar onde você está... Com ela nos braços, como você está... Aproveita, ela vai te largar logo por qualquer outro - Wesley dá de ombros bebendo mais da garrafa de vodka.
- Escuta aqui, Wesley, não sou essas putas que você sai não viu - digo e vejo que Chloe não está, agora entendo o porque está fazendo isso - Já contou para sua namorada que você foi na minha casa ontem, querendo conversar comigo? Ah, quer saber, que você se foda, Wesley! Você me ignorou por 2 meses e vem me falando essas bostas? Me poupe do seu show! - Digo pegando a mão de Harry tentando sair, mas ele me segura.
- Se você só deu valor quando perdeu, o problema é seu, Wesley. Sei que você não é esse babaca que quer mostrar, me contou sobre vocês. Não queira perder a amizade com ela também. Nunca mais fala dela desse jeito, esse é o único aviso que dou - Harry diz me puxando para seus braços e começo a chorar involuntariamente.
- Vem aqui - Andy diz e me puxa de Harry, me abraçando e levando para a varanda. - Calma, ele tá com raiva que você está bem com o Harry... Falando nisso... Harry, hãn? - Ele diz me fazendo rir e segura minha cabeça contra seu peito. - Você conhece o Wesley, ele está com ódio dele mesmo por ter feito a maior cagada da vida dele, você sabe disso... - afirmo com a cabeça.
- Posso falar com ela um momento? - Lou diz e Andy me larga e entra na casa. - Pequena, relaxa... - ele diz e me puxa para sentar no muro.
- Lou, posso te perguntar uma coisa? - Digo secando minhas lágrimas e ele assente. - É pra eu tomar cuidado? - Pergunto e olho para Harry, que está de costas pra gente.
- Não... Conhecendo o Harry que conheço... Pode investir - ele diz e dá risada. - É sério, se fosse qualquer outra pessoa, ele nunca defenderia desse jeito - por um momento fico mais calma e agradeço-o.
Ele me puxa para entrarmos e quando chego, Harry passa seu braço por minha cintura e beija o topo da minha cabeça.
- Quer ir embora? - Ele pergunta e eu nego. - Tudo bem - ele diz e sentamos de novo em roda, só que dessa vez sem o Wesley e Drew. Quando olho para a entrada da casa, Chloe está chorando e olhando para o Wesley bêbado, falsa, nem lágrima está caindo e Drew está tentando pacientemente pegar a chave do carro dele, que logo consegue e passa para Chloe. Eles vão embora.
- O Wes bêbado é um pé no saco - Drew diz sentando no sofá e bufando. - Até passou a minha brisa - ele revira os olhos - , me desculpa pelas coisas que ele falou, ele não falou sério - ele diz.
- Tudo bem, Drew, você não tem nada a ver com as coisas que o Wesley acabou de falar... - digo e sorrio para ele.
O resto da noite, o pessoal não tocou mais no assunto, ficamos bebendo, conversando e dançando como costumávamos fazer. Eu bebi muito mais do que poderia, queria esquecer o que o Wesley me falou e consegui...
- Hey, quer ir? - Harry diz e eu afirmo com a cabeça. - Pessoal, vou levar essa bêbada para casa, tá? Tchau para todos - eu faço tchau com as mãos e rindo.
Quando chegamos ao apartamento, Harry pega a chave do meu apartamento na minha bolsa e abre. Ele entra e fecha.
- Vai tomar um banho, pequena - ele diz e senta no sofá ligando a TV. Não me aguento e sento em seu colo segurando seu rosto e beijando.
- Gosto quando me chama de pequena - digo no meio do beijo e ele sorri.
- Você está muito bêbada, vai tomar um banho e depois conversamos, pode ser? - Ele diz dando um tapa na minha bunda de leve e eu reviro os olhos. Gosto demais dessa intimidade que tenho com ele.
Tomei banho, coloquei uma calcinha, uma blusa grande que vai até metade da coxa e fui para sala. Quando chego, Harry me olha com os olhos arregalados.
- Que foi? - pergunto assustada.
- Puta que pariu... ... É melhor eu ir pra casa - ele diz e coça a nuca. - Senão eu vou fazer besteira - ele diz rindo.
- Eu não estou mais bêbada - digo e é verdade, estou só alegre, não bêbada. - Fica aqui hoje? - Pergunto e ele nega. - Por favor... - digo e sento ao seu lado.
- , eu que peço por favor... Não tem como você ficar feia só um pouco? - Ele diz rindo. - Não me responsabilizo por meus atos, você terá que me segurar, é sério - ele diz e me encara.
- Por que te segurar? - Digo com um sorriso malicioso no rosto. - O que um não quer, dois não fazem - digo beijo o seu pescoço.
- Você tem certeza? Se eu começar, não vou parar... - ele diz e eu afirmo. - Vou querer mais, estou falando não só de hoje - ele diz e eu dou risada.
- Vamos ver o que acontece hoje e depois pensamos - digo e ele me puxa para eu sentar no seu colo de novo.
Quanto mais eu o beijava, mais eu rebolava e ele apertava minha coxa, de novo em um movimento rápido ele me colocou de costas no sofá e subiu em cima de mim, sem parar de me beijar, quando tirou seus lábios dos meus, continuou me encarando e desviou seus olhos para sua mão que subia pela minha coxa até a barriga.
- Vem cá - digo levantando e indo para o meu quarto. Quando Harry chega, tiro sua blusa e jogo ele na cama, que cai de costas e eu subo em cima dele. Ele puxa minha blusa para que eu tire, quando faço isso, seus olhos vão para meus seios e massageia-os com as mãos. Passo as mãos pelo seu peito e barriga, redesenhando suas tatuagens enquanto sinto suas mãos nos meus seios. Desço minhas mãos para o fecho da sua calça e ele segura minha mão. - O que foi? - pergunto com a voz rouca.
- Você é tão gostosa, - ele diz e me coloca deitada de novo, ficando em cima de mim. Ele tira a calça ficando só de cueca boxer preta, passo a mão pelo seu membro duro e ele solta um gemido. - Porra, , você está judiando - ele diz e eu começo a masturbar ele. Ele tira minha calcinha e coloca dois dedos dentro de mim, solto um pequeno gemido para ele de incentivo e sorrio. - Você esta tão molhadinha, - ele diz com uma voz extremamente rouca e sedutora.
- Harry... na primeira gaveta tem camisinha - digo sem conseguir me concentrar direito, pois seus dedos estão mexendo mais rápido agora, ele me olha e começa a beijar meu seio esquerdo e logo depois descendo com beijinhos molhados pelo meu corpo, até chegar na minha parte mais sensível, ele começa a lamber e chupar o meu clitóris e com uma mão introduz 2 dedos em mim, quase me levando ao orgasmo, ele para de propósito e pega a camisinha e coloca.
- Você está me deixando louco, - ele diz e me penetra, segura meu quadril para cima e começa a acelerar. Quando ele para, deita e eu subo em cima dele, jogando a bunda cada vez mais rápido, suas mãos estão no meu quadril e de vez em quando ele da uns tapas leves na minha bunda me incentivando a continuar. - Isso, ... Porra, você vai me fazer gozar - ele diz e eu aumento a velocidade me fazendo gozar, mas não paro, até que ele aperta mais meu quadril me fazendo parar e solta um gemido muito gostoso, com meu nome.
Quando paramos, me jogo de lado, os dois estão suados e cansados. Ele tira a camisinha, joga no lixo, lava seu membro e começa a colocar a cueca e quando vai pegar a calça o impeço.
- Você vai dormir comigo - digo puxando seu braço para que ele deite na cama.
- Tem certeza, ? - Afirmo com a cabeça, coloco minha calcinha e a blusa.
- Acho que estou gostando muito de você, Harry - digo e me viro para ver sua reação, ele está sorrindo, ele beija a ponta do meu nariz e me da um selinho depois.
- Eu também acho que estou gostando muito de você, - ele diz e me abraça - Vem cá - ele diz e passa seu braço para debaixo do meu pescoço para dormir abraçado comigo.

Capítulo 8

Quando acordei no Domingo de manhã, Harry não está na cama comigo, levanto e o encontro na cozinha sem camiseta, fazendo o café na cafeteira, quando me vê, abre um sorriso.
- Bom dia, pequena... Dormiu bem? - Ele pergunta vindo até mim e depositando um beijo na minha testa.
- Bom dia, Harry... Dormi e você? - Pergunto pegando uma xícara de café.
- Dormi bem... - ele diz e me olha de cima a baixo.
- Que foi? - Pergunto divertida, gosto de como o Harry me olha, me desejando.
- É muito ruim falar que não quero mais ir embora? - Ele diz e coça a nuca.
- Claro que não é ruim... Quer dizer que quer ficar perto de mim - digo me aproximando dele. - Também não quero que vá embora.
- É estranho pra mim, sabe? - Ele começa a falar e se senta no balcão, olho para ele atenta o incentivando a continuar. - Não costumo nem dormir na casa de outras pessoas, quando transo com elas, expulso do meu apartamento... Como na noite que te conheci - ele sorri sem graça com a última parte.
- Por que faz isso? Trata-as mal para que saia do seu apartamento? - Ele dá de ombros.
- Nunca fui de me apegar, gosto de transar com a menina que tenho vontade e depois tchau - ele diz indiferente. - Não gosto de a pessoa dormir na minha casa ou eu na casa dela depois que transamos... Tenho a impressão de que... sei lá... Estou me relacionando demais - ele diz tentando achar as palavras certas, no fundo isso me cutucou.
- Harry, se não quisesse ter dormido aqui, era só ter falado... - digo, mas ele me interrompe.
- Aí que tá... Eu quis, por isso fiquei. Vou ser sincero com você, estou com um pouco de receio do que estou sentindo por você e como sabe, tenho problemas em confiar - ele diz e sorri.
- Eu estou sendo muito sincera com você, gosto de você, até um pouco mais do que devia... Mas não quero pensar muito nisso, sabe? Quero deixar rolar e ver o que acontece... - digo o encarando.
- Só quero te pedir uma coisa, pode parecer estranho, mas não me abandona, tá? - Ele diz e olha para a xícara que está na sua frente. - Mesmo que não fiquemos juntos, quero continuar com a sua amizade, você me traz segurança. - Quando ele me olha, estou sorrindo feito uma boba, e ele retribui o sorriso.
- Não vou te abandonar... Quero estar por perto, independente de qualquer coisa, você também me traz segurança - digo levantando e beijando sua bochecha. - Vou tomar um banho - digo e vou até o banheiro, quando vou fechar a porta, Harry coloca a mão.
- Isso foi um convite? - Ele pergunta abrindo um pouco mais a porta e entrando.
- Não era, mas pode virar um... - digo e ele me encosta na pia, tirando minha blusa e me beijando com todo desejo que vejo em seus olhos, ele me levanta e me senta na pia gelada ficando entre minhas coxas, passo minhas pernas no seu quadril puxando-o para mais perto. Abro sua calça com uma mão e ele a desliza para baixo rindo. Eu passo a mão no seu pênis por cima da cueca e ele começa a beijar meu pescoço. Seus dedos vão para dentro da minha calcinha me fazendo senti-los gelados dentro de mim e solto um gemido, ele acelera o movimento e eu abaixo sua cueca para que eu consiga sentir melhor o seu 'amiguinho'. Quando estou quase gozando nos dedos de Harry, meus gemidos começam a ficar mais frequentes - Harry, meu Deus, isso é bom demais, eu vou gozar - eu digo e ele mantém a velocidade e chupa um de meus peitos. Minhas mãos estão rápidas masturbando Harry, que geme quando passo o dedo no lugar mais sensível de seu pênis. Finalmente eu gozo e meu corpo involuntariamente se encolhe, mas continuo segurando seu pênis. Quando a sensação diminui, volto a masturbar Harry mais rápido.
- ... Puta que pariu... Que gostoso! - Ele diz e suspira. Desço da bancada e ajoelho na frente dele, seus olhos estão observando cada movimento meu. - Caralho... Como você é gostosa... - ele diz e bate na minha bunda antes de eu começar a chupar ele. - , eu vou gozar - ele diz e não tiro a boca do seu membro e quando ele goza, engulo e dou risada da cara dele de satisfeito. - Puta que pariu, ... Eu já transei com várias meninas, mas esse foi o melhor boquete que eu já recebi na vida.
- Obrigada - digo agradecendo e rindo do seu comentário. - Quando quiser é só falar - digo e pisco pra ele.
Ligo o chuveiro, tiro a calcinha e entro para tomar banho com o Harry me acompanhando, nós tomamos banho, brincamos um com o outro, jogamos água e sabão no outro e rimos muito.
- Preciso passar no meu apartamento - Harry diz com a toalha enrolada na cintura. - Depois eu volto - ele diz me dando um selinho e saindo do banheiro, eu me troco e decido não secar o cabelo hoje, quando estou saindo do meu quarto, já trocada, escuto uma conversa na sala
- Harry, você... - Apareço na sala penteando o cabelo e sou interrompida por Wesley, Drew, Andy e Lou na minha sala, me encarando e encarando Harry, ambos de cabelos molhados, Harry só de toalha e eu de blusa e calcinha. Minha reação é rir e Harry ri me acompanha.
- , já venho - ele diz e sai do meu apartamento rápido indo para o seu.
- Filho da puta - digo mais alto para que ele escute e rindo. - Olá, meninos - digo para os meninos que estavam na minha sala.
- Eu não sei nem o que falar - Lou diz e começa a rir, eu dou risada com ele também, Andy entra na nossa onda. Wesley está tão vermelho de raiva que poderia fritar um ovo na cabeça dele, Drew está sem reação encarando o amigo e morrendo de vontade de rir.
- Ué, qual o problema? - Pergunto dando de ombros e pegando uma água na geladeira.
- Nenhum problema... Wesley quer... Queria... Pedir desculpas, mas duvido que ele queira fazer isso agora - Drew diz não se segurando e rindo da cara do amigo.
- Ah - foi a única coisa que consegui dizer e tento ficar séria - Wes? - Pergunto e ele olha para mim, seus olhos que normalmente já são verdes, estão mais claros que o normal.
- É sério que pra vocês está tudo bem? - Ele diz e olha para os amigos.
- Wes, ela é grandinha o bastante para saber o que faz... - Andy diz me defendendo.
- Wesley, relaxa, eu sei o que estou fazendo - digo e sento no sofá.
- Não, não sabe... Se soubesse não estaria com ele - ele diz ignorando os amigos. - E... E não teria... Transado com ele... - ele diz e sua voz está derrotada.
- Ah, você queria que eu ficasse esperando você pro resto da vida, enquanto você tá lá comendo a Chloe, feliz da vida e vivendo a sua vida e eu aqui infeliz? Ah, me poupe Wes, agora que finalmente encontrei alguém que gosta de mim, que gosta da minha companhia e não está em cima do muro por outra garota, não posso ficar com a pessoa? Você está sendo muito egoísta, não acha? – Digo, a porta do meu apartamento se abre e Harry aparece vestido dessa vez.
- Ele? Ele que gosta e se importa com você? - Wesley aponta para Harry que cruza os braços - Ele só quer te comer e vai sair fora - Wesley debocha de mim.
- Ele tinha todo o direito de ir para a casa dele e ficar lá até vocês irem embora, mas parece que não foi isso que ele fez, não é mesmo? - Digo olhando para Harry que sorri vitorioso com a minha defesa em seu nome. - Você nem conhece ele, Wes, e se conhecesse, ia gostar muito dele - digo e Wesley revira os olhos. - Quando isso vai parar, Wes? Eu estou cansada de você ficar brigando comigo por uma escolha que você mesmo fez...
- Isso mesmo, joga tudo nas minhas costas, porque eu que dei o primeiro passo, né - ele diz incrédulo.
- Exatamente isso! Mas o que eu o Harry temos, não tem nada a ver com vocês, então como disse, sei o que estou fazendo. - Digo aumentando minha voz. A minha briga com Wesley me fez esquecer que os meninos também estavam aqui.
- Dude, não é por nada não, mas a tem razão. - Drew diz e coloca a mão no ombro do amigo. - Ela tem todo o direito de escolher com quem ela fica e quem não... Ela tem esse direito, não você - ele finaliza e eu olho para Drew agradecendo.
Wes parece derrotado com as palavras do amigo, odeio ver ele desse jeito, mas quero ser feliz... Como o Harry disse outro dia: "supera".
- Desculpa, ... Eu não sei o porque faço essas coisas... Ver vocês juntos é torturante pra mim, eu queria estar com você - Wes diz e na última parte arregalo o olho e olho para Harry que agora parece um pouco puto.
- Wesley, se você continuar falando isso para ela, prometo que faço de tudo para que você não chegue perto dela até que esse sentimento doentio seu passe - Harry diz e eu vou em sua direção. - Você deveria estar feliz por ela - ele diz e me abraça pela cintura.
- Concordo com o Harry - os meninos dizem e Wesley parece surpreso.
- Tudo bem... - Wesley diz derrotado.
Os meninos ficaram conversando e rindo comigo, enquanto Drew e Wesley conversavam na cozinha. Quando eles voltam, ficamos em silêncio, até que Wesley quebra.
- Eu vou tentar ficar na minha, ... Se você está feliz com ele, eu tenho que aceitar, não quero perder sua amizade também - ele me diz e eu o abraço.
- Obrigada, Wes! - Digo feliz. Espero que essa situação com o Wesley passe.
Os meninos ficam mais um pouco, pedimos algo para almoçarmos e depois vão embora. Wesley tentou se enturmar com o Harry que está super paciente com a situação. Quando eles vão embora, Harry me puxa para meu quarto e me joga na cama.
- Você fica tão sexy com essa camiseta, se quiser uma minha qualquer dia, só me falar - ele diz e nós rimos.
- Eu aceito pegar umas emprestadas - digo sorrindo para ele.
- Que droga que você fez comigo? - Encaro ele com uma cara de interrogação que faz ele dar risada. - Eu não consigo ficar um minuto sem querer te tocar, te beijar, você realmente é irresistível - ele diz me beijando.
Ficamos nos beijando e trocando carícias, mas nada mais que isso. Ele deita na cama comigo e ligamos a TV, assistimos umas séries ou melhor, tentamos, pois Harry fazia piada com tudo, o que fez com que eu parasse de prestar atenção na série e prestar atenção nele.
Quando começa anoitecer, Harry vai para o apartamento dele, arrumo minhas coisas para o dia seguinte e como alguma coisa.
A companhia do Harry é muito boa, fico tão confortável com ele do meu lado que parece que conheço ele há anos, mas faz semanas... Que loucura! Estou me apegando rápido demais, uma das boas notícias é que ele também está se apegando a mim.
Mais uma vez digo para mim 'deixa rolar para ver o que acontece' e com esse pensamento, pego no sono.

Capítulo 9

O começo da minha semana foi bem tranquilo, Harry e eu continuamos indo e voltando do trabalho juntos, mas como eu tinha muita coisa para fazer, não fui almoçar com ele todos os dias. Na quinta-feira almocei com ele e quando estávamos voltando, demos de cara com uns caras do trabalho, eles ficaram me encarando e isso incomodou muito o Harry.
- Nem disfarça - ele diz para mim e um pouco mais alto para que os caras escutem também.
- Harry, relaxa - digo e dou risada. - Que fofo, você com ciúmes - digo e ele revira os olhos.
- Não estou com ciúmes, não tenho ciúmes - ele diz e olha para o grupo de homens de novo. - É falta de respeito - ele diz e cerra os punhos.
- Eu sei que é falta de respeito, também não gosto disso, mas tem homem que é assim mesmo... - digo e dou de ombros.
Continuamos andando em direção ao prédio, entramos e voltamos ao trabalho.


Na sexta-feira, Harry teve que sair mais cedo e quando estava saindo para voltar a pé, Thomas me oferece carona para casa e eu aceito.
- Então, você e o Harry... - ele pergunta tentando não parecer intrometido.
- Não, somos amigos e vizinhos - digo dando de ombros. - Como estão os preparativos para iniciar a obra? - Tento mudar de assunto.
- Bom, estamos um pouco atrasados com algumas coisas, mas como queremos fazer certo desde o começo, prefiro atrasar a fazer errado - ele diz e eu afirmo com a cabeça. O resto do caminho conversamos sobre a obra e o que podemos melhorar, quando estou saindo do carro, ele diz. - Aceita almoçar comigo na segunda? - Ele diz tímido.
- Claro! Será um prazer - digo e entro no meu prédio.
Entro em casa, vou me trocar e arrumar a casa, decidi que vou chamar meus amigos para uma 'festinha'. Mando mensagem a todos e eles confirmam que topam a ideia, menos Harry respondeu.
Saio para comprar uns salgadinhos e bebidas no mercadinho da esquina e quando volto, dou de cara com o Harry entrando em seu apartamento.
- Oi love, recebeu minha mensagem? – Pergunto, deixando as sacolas na frente da minha porta e vou até ele.
- Oi pequena, desculpa não responder, sai agora do compromisso... Que horas o pessoal chega? - Ele pergunta.
- Mais tarde... Até eles chegarem, dá pra gente curtir um pouco - digo me aproximando dele, que faz cara de safado.
- Eita... Vou pegar umas roupas e vou pra sua casa, deixa a porta aberta - ele diz e me beija. Ele entra no apartamento dele e eu no meu, colocando as coisas em cima da mesa e indo me trocar.
Coloco um short jeans, uma blusa branca, uma meia calça até metade da coxa, uma bota e uma blusa de manga comprida leve por cima (https://br.pinterest.com/pin/795659459145417564/).
Depois de uns 20 minutos, Harry aparece com uma mochila, me dá um beijo na testa e coloca a mochila no quarto.
- Vai beber hoje? - Ele me pergunta rindo e olhando minha roupa. - Uau, tá gata em - depois de dizer, foi chegando mais perto de mim para me beijar.
Cada toque dele meu corpo reage de um jeito diferente, o simples tocar do dedo dele no meu braço, faz com que o local fique sensível e arrepie. Acho estranho esse tipo de reação, já tive noites maravilhosas com outros caras, mas nada se compara com esse homem que está me beijando. Vou parando o beijo que está calmo e o encaro.
- Você já percebeu que cada vez que você me toca, eu arrepio? - Pergunto divertida e ele sorri. - É sério, faz o teste - digo e abaixo a blusa de frio até o cotovelo, deixando meu ombro a mostra.
Ele passa os dedos suavemente e na hora arrepio, fazendo-o sorrir. - Você também tem esse efeito em mim - ele diz e sua voz está muito rouca. Faço o mesmo teste com ele, passando minhas mãos no seu braço, ele arrepia na hora.
- Nunca tive isso, sei lá, é estranho... - digo e ele me encara. - Já tive noites maravilhosas com outros caras, mas a que tive com você, meu Deus, parecia sonho - digo e ele sorri de lado mostrando sua covinha.
- Está em dizendo que a melhor transa da sua vida foi comigo? - Ele pergunta e passa o dedão na minha bochecha, afirmo com a cabeça. - Gostei de saber disso - ele diz e me beija, seu beijo não está mais calmo como antes, ele está cheio de desejo, na verdade, ambos estamos.
Quando estamos começando a acelerar para a próxima etapa, meu celular toca, dizendo que chegou mensagem. Paro e dou uma olhada: 'Daqui 10 minutos estamos aí' Andy manda.
- Vamos ter que deixar para mais tarde - digo para Harry, que faz biquinho e olha para baixo.
- Vai me deixar assim? - Ele pergunta e aponta para seu membro que está marcado na calça. - Temos 10 minutos ainda... - ele diz me puxando de volta e segurando minha cintura.
- Prometo que compenso depois - digo e dou um selinho nele e saio dos seus braços. - Preciso passar maquiagem - digo e ele revira os olhos.
- , você não precisa disso... Você já é gata demais, quando se arruma assim, eu tenho que me segurar muito perto de você - ele diz e para na porta do banheiro me vendo fazer a maquiagem básica.
- Quem disse que é para se segurar? - Digo e pisco para ele.
- , não vou transar com você na frente de todo mundo - ele diz rindo.
- Não estou falando de transar, mas se quiser me beijar, não passa vontade - digo e ele sorri de novo do jeito sexy dele. - E eu também tenho que me segurar perto de você, com esse seu jeito sexy... Me deixa louca - digo e ele me abraça por trás, beijando meu pescoço, finjo que não está acontecendo nada e continuo fazendo minha maquiagem, mas meu corpo está pegando fogo, pedindo por ele. Quando estou passando batom, a campainha toca e ele suspira derrotado.
- Vou para sala - ele diz, eu o sigo que senta no sofá, vou abrindo a porta e todos chegam juntos, com comidas e bebidas nas mãos.
O pessoal se acomoda na sala, fazendo uma roda no chão, colocando as bebidas e comidas no centro. Vamos comendo e bebendo, Harry está sentado do meu lado, eu já bebi uns 4 copos de vodca com energético, então estou 'alegre' e dou risada de tudo. Pego a mão de Harry e coloco em cima da minha coxa para fazer carinho. Deito minha cabeça em seu ombro e a mão que estava na minha coxa passa para minha cintura me abraçando.
Conversamos um pouco de tudo, de como eu e o Harry estamos no trabalho, o Lou e a Eleanor, Andy com Juliet e Nina com Ian que estão em uma vida quase de casados, Wesley e Chloe que parece que se acertaram, Drew que está solteiro fica revirando os olhos e fazendo drama por estar sozinho. Damos risadas e lembramo-nos dos velhos tempos, Lou e Harry lembram coisas do passado deles, eu e Nina também contamos uns podres nossos e rimos horrores, parece que nosso grupo resolveu todos os problemas, fico feliz com isso, gosto de todos. Wes voltou a ser aquele cara bacana de sempre. E Harry me dava uns beijos de vez em quando e estava super confortável com a situação.
Colocamos música e as meninas começaram a dançar, Harry quis vir dançar comigo e eu ensinei alguns passinhos para ele, que pegou rápido. Demos muita risada, bebemos muito e quando todos foram embora, Harry me olha com uma cara sexy dele e eu mordo o lábio inferior.
- Estava esperando ansiosamente esse momento - ele diz e eu solto um gritinho rindo e corro pro quarto, ele vem atrás de mim rindo. Ele consegue me pegar pela cintura antes da gente chegar no quarto, ele me pega no colo e me coloca na cama, subindo em cima de mim. - Que feio, correndo de mim - ele diz e eu cubro meu rosto com a mão. - Está com vergonha? - Ele diz e eu afirmo com a cabeça. - Por quê? - Ele pergunta e tira minha mão do rosto sorrindo de lado.
- Não sei ao certo... Acho que é a bebida... Eu ter dançado pra você... - eu digo e ele sorri mais.
- Falando em ter dançado pra mim, quero mais vezes... - ele diz e ergue uma sobrancelha. - Mas só pra mim dessa vez - meu rosto começa a ficar vermelho e eu dou risada sem graça.
Ele deita do meu lado e faz carinho na minha bochecha, quando fecho os olhos para sentir seu carinho, tudo gira e eu dou risada. - Esta tuuuudo girando - digo e Harry ri.
- Vamos tomar um banho, pequena - ele diz e eu dou uma risada sapeca pra ele. - Você precisa melhorar... - reviro os olhos, mas levanto.
- Você vai entrar comigo? - Pergunto e ele afirma com a cabeça. - Eba! - Digo e coloca a mão na boca, não era para ter falado isso alto, o que faz com que ele dê uma risada muito gostosa e espontânea.
- Você é bipolar - ele diz rindo e eu olho feio para ele. - Você estava com vergonha até agora, e do nada, você está toda safada de novo.
Ele me dá banho e no meio do banho, fico fazendo carinho no membro, beijando e ele fazendo carinho em mim, mas não passa disso no banho, ele me enrola na toalha e me leva na cama, ela está com a toalha na cintura e por conta das caricias, seu pênis está duro e fica a mostra na toalha. Quando ele vai se afastar de mim para pegar minha roupa, puxo ele para perto e o sento na cama, ficando de cara para seu amigo, tiro a toalha devagar e o encaro, seus olhos estão quase implorando para que eu faça alguma coisa.
- O que você quer, Harry? - Digo fazendo caricias e encarando ele.
- Quero você, , de todos os jeitos... Meu Deus, você me deixa louco - ele diz num sussurro. Pego sua mão e coloco no meio da minha perna, mostrando que quero tanto quanto ele.
- Você também me deixa louca, olha como estou molhadinha por você - digo e ele imediatamente tira minha toalha, coloca a mão nas minhas costas e me puxa mais pra cima da cama.
Ele pega uma camisinha na gaveta, coloca e me penetra, sem enrolação. Enquanto me penetra, ele com uma mão está massageando meus peitos e outra no meu quadril, sua boca está no peito que está livre.
- , caralho, você é demais - ele diz e eu solto um gemido. - Isso, geme pra mim... Geme meu nome - ele pede e eu obedeço gemendo seu nome até chegar no meu orgasmo, que não demora, e para que Harry chegue no dele gemendo meu nome e me beijando, depois tira a camisinha.
Fico deitada na cama esperando ele voltar, quando ele volta, deita pelado ao meu lado e me abraça, ficando de conchinha comigo.
- Boa noite, pequena - ele diz e beija minha cabeça.
- Boa noite, love - digo, sorrio e ele começa a fazer carinho na minha cabeça para que eu durma
Depois de um tempo, estou quase dormindo e ele fala baixinho - O que você está fazendo comigo, pequena... - finjo que estou dormindo e não demora muito para que eu realmente comece a dormir em seus braços.

Capítulo 10

Quando acordei, sinto o peso da cabeça do Harry na minha barriga, dou risada de como ele está deitado em mim, faço carinho no seu cabelo com a intenção de acordá-lo, estou morrendo de vontade de ir ao banheiro.
- Bom dia, pequena - ele diz com uma voz incrivelmente rouca e sexy, ele sai de cima de mim e se espreguiça.
- Bom dia, coisa linda - digo levantando, mas ele segura meu braço. - Já vou voltar, só preciso ir no banheiro. - Ele me solta e sorri pra mim sem dizer nada. Vou ao banheiro e quando volto, ele está deitado de bruços, não aguento e subo em cima dele, sentando no seu quadril e abraçando suas costas. - O que vamos fazer hoje? - Pergunto contra a pele de suas costas.
- O que está a fim de fazer? - Ele pergunta e eu dou de ombros. - Podemos ir em alguma festa ou em algum lugar... O que acha? - Ele pergunta e eu afirmo com a cabeça.
Ficamos vendo se encontramos alguma festa para ir e não achamos nada interessante, então ficamos de jantar fora.
- Posso considerar esse jantar um encontro? - Ele pergunta acariciando minha bochecha.
- Harry, não precisa... A gente já está saindo... - digo, mas ele me interrompe.
- Eu quero ter um encontro certo com você... Conhecemo-nos em uma festa... Quero um encontro com você - ele diz sorrindo.
- Tudo bem então, aceito o seu convite do encontro - eu respondo e ele da um beijo rápido na ponta do meu nariz e se levanta - aonde vai? - Pergunto o vendo pegar as coisas dele.
- Pro meu apartamento, pois tenho um encontro mais tarde com uma das mulheres mais gatas que já vi na vida - ele diz piscando pra mim e saindo do meu quarto. Quando escuto a porta da sala fechar, vou para a cozinha preparar meu café e fazer nada até a noite, agora que tenho um encontro com o Harry.
Assisto TV até dar a hora do almoço, faço alguma coisa para comer, ligo a música e enquanto vou fazendo as coisas, danço e canto com a música.
Às 17 horas, começo a me arrumar para o encontro com o Harry e escolho minha bota favorita, um vestido preto e uma jaqueta preta também. Faço minha maquiagem mais marcante que o normal com delineador e um batom rosa queimado, no cabelo faço babyliss nas pontas. 19 horas em ponto, Harry bate na minha porta e vou atender já pronta.
Roupa: https://br.pinterest.com/pin/800655639991538714/
Maquiagem e cabelo: https://br.pinterest.com/pin/563935184583417869/
Harry: https://br.pinterest.com/pin/757519599794656960/
- Olá - Harry diz e me olha de cima a baixo, colocando a mão no coração, fazendo graça. - Você está maravilhosa - dou risada da sua reação.
- Oi, love... Você está lindo - digo e fecho a porta do meu apartamento, quando me viro de novo para ele, sou surpreendida com um beijo.
- Uau, ainda bem que aceitou o convite do encontro - ele diz, pega minha mão e me faz dar uma volta na sua frente.
- Ainda bem mesmo - digo segurando a gola de sua blusa azul e puxando ele para mais um beijo, logo que nos afastamos, passo as mãos por suas tatuagens que estão a mostra. - Você sabe ser sexy, meu Deus - digo e ele pisca para mim.
Vamos até o carro do Harry, ele abre a porta para mim, como um verdadeiro cavalheiro. Vamos até o restaurante que ele escolheu, para minha surpresa, ele não me levou até o italiano que tem perto da Lewis. Entramos em um restaurante super romântico de comida japonesa, eu particularmente amo comida japonesa. Entramos, nos sentamos e pedimos nossa bebida, eu pedi uma água e Harry pediu um suco de limão.
Depois de um tempo conversando sobre coisas aleatórias e tirando sarro de algumas coisas, Harry começou a ficar sério e decido perguntar: - Aconteceu alguma coisa?
- Não... Sim... Talvez... Sei lá - ele diz e ri de nervoso.
- Pode conversar comigo, você sabe, né? - Ele afirma com a cabeça e da uma respirada longa antes de começar.
- É que eu vejo que eu não conto das coisas pra você... Da minha vida, por exemplo, as coisas que aconteceram, para que eu me tornasse a pessoa que sou hoje. Contei sobre aqueles 2 casos, mas não contei do meu namoro passado. Que depois dele, prometi para mim que nunca mais ia namorar ninguém na vida e desde então, nunca mais fui a um encontro, não passo o dia junto, é só ficar, transar e tchau... - ele diz olhando para as mãos.
- E por que você está querendo contar essas coisas para mim? - Pergunto colocando a mão em cima da sua.
- Porque quero ser sincero com você, não quero que saiba de nada da boca dos outros, quero que confie em mim.
- Eu confio em você, se não quiser contar... - eu digo e ele me interrompe.
- Não, eu quero contar... Não quero estragar nada... - ele diz, sinto que está dizendo mais pra ele do que pra mim, ele coça a nuca, sorrio incentivando para que continue. - Bom, namorei uma menina quando estava terminando o colégio e, para encurtar o assunto, fui traído, todos meus amigos sabiam e ninguém quis me contar, só descobri depois que um vídeo dela com o outro cara vazou na internet... Fiquei arrasado, ela nem tentou se explicar e quando eu vi o vídeo, ela estava rindo da minha cara... - ele diz cabisbaixo.
- Como existe gente escrota no mundo... - digo e tampo a boca, falei no impulso - Desculpa, eu não quis falar isso... - digo e ele ri me tranquilizando. Como alguém consegue machucar a outra pessoa desse jeito, sem mais ou menos?
- Está tudo bem... Xinguei ela de coisa bem pior, acredite... - dou risada junto com ele e ele continua: - Depois disso tudo, ela queria se fazer de vítima disse que só fez isso porque descobriu que eu a traí... Só que eu nunca a traí... Por isso que fui para Harvard... - ele diz com um meio sorriso tímido.
- Não entendo como alguém poderia ter feito isso com você... - ele dá de ombros.
- Por conta disso tenho meu temperamento... Estranho... - ele diz tentando achar as palavras certas.
Depois de ele ter contado isso, tentei mudar de assunto para que ele se sentisse um pouco mais tranquilo... Conversamos sobre o trabalho e sua escolha por Engenharia civil e sobre a minha escolha também por essa área.
O jantar em si foi muito bom, conversamos muito e ele fez questão de pagar a conta. Quando estamos saindo, um cara que está na rua mexe comigo enquanto espero o Harry voltar com o carro.
- Hey gatinha... Qual o seu nome? - Ele diz chegando mais perto de mim, finjo que não é comigo, até ele parar do meu lado. - Estou falando com você, princesa - assim que o carro do Harry está na nossa frente, ele salta do carro se colocando na minha frente para que o cara não chegue mais perto de mim.
- Vai para o carro, - ele diz com a voz rouca e autoritária.
- Hummm, então tem dono... - o cara diz e fica me olhando entrar no carro, abro o vidro para poder escutar o que estão falando. - Ela obedece sempre assim? Ela é sua putinha? - Quando o babaca fala isso, Harry fecha a mão e soca o rosto do cara.
- Você é louco? Nunca mais fala isso de nenhuma mulher que você não conhece! - Harry grita com o cara que está no chão depois de uns 4 socos que Harry acertou no seu rosto.
- Harry, já chega! Vamos para casa - digo ainda no carro, mas Harry não me escuta - Harry, vamos pra casa - saio do carro e tento fazer com que o Harry pare de socar o cara que está apagado - Harry, já chega - digo um pouco mais alto e ele se vira para mim, sua mão está cheia de sangue, seu rosto está vermelho e com uma expressão que nunca vi no rosto dele, era raiva.
Ele levanta, me olha e olha para as mãos - Está tudo bem - ele diz, mas não tenho certeza se é para mim... - , vamos para casa, por favor... Você... Poderia dirigir? - Ele pergunta e eu afirmo com a cabeça.
- Você está bem? Se machucou? - Pergunto e pego sua mão, ela está fria e tremendo muito. - Acho que se cortou... - digo e entro no carro. Ele está pensativo e não abre a boca no caminho para casa.
Quando chegamos, Harry para na frente do apartamento dele e tenta pegar a chave no seu bolso. - Não, vem cá... Eu cuido do seu machucado... - digo e abro a porta para Harry entrar.
- Desculpa, eu perdi o controle... Eu... Fazia umas 2 semanas que não tinha acesso de raiva - ele diz pensativo.
- Não tem que se desculpar, você estava me protegendo, eu agradeço por isso - digo e seguro seu rosto com minhas mãos. - Hey, está tudo bem? Quer conversar? - Pergunto e ele nega, dou um selinho nele e saio de perto dele para pegar o kit de primeiros socorros, pego sua mão, lavo os ferimentos, faço um curativo e quando termino, o rosto de Harry está um pouco melhor, ele me observa, cada movimento que faço.
- Preciso ir pra casa... - ele diz pegando seu casaco.
- Harry! - Digo e ele para na porta do meu apartamento - Fica aqui... Você não está bem... Não vou deixar você ficar sozinho - digo e ele solta um meio sorriso. - Se você não ficar, eu vou até o seu apartamento... - digo cruzando os braços e seu sorriso aumenta.
- Tudo bem, eu fico... Obrigada, pequena... - ele diz e coloca seu casaco em cima da mesa.
Não digo nada, apenas pego sua mão que não está machucada e o guio para meu quarto, começo a desabotoar a camisa de Harry, mas ele segura minha mão. - Não estou fazendo você transar comigo - digo rindo e ele me olha curioso. - Você precisa de carinho... E eu vou te dar... Só tenta relaxar.
- Quem disse que não quero transar? Isso também me faria relaxar - ele diz me olhando com malicia e eu dou risada.
Termino de desabotoar a camisa de Harry, passo minhas mãos nas suas tatuagens do peito, contornando os passarinhos, depois indo para sua barriga, olhando atentamente aos detalhes dele e da sua tatuagem de borboleta na barriga. Subo de novo as mãos para o peito de Harry e vou para o ombro, abaixando sua blusa, a fazendo cair no chão. Continuo passando as mãos em seus braços musculosos até chegar em suas mãos, pego a que não está machucada e deposito um beijo. Próximo passo é tirar sua calça, desabotoo a calça, abaixo o zíper e sinto que Harry está tão excitado quanto eu, mas estou gostando de ter esse controle sobre ele. Abaixo devagar a calça dele, passando a mão no seu quadril, suas pernas, até chegar ao pé, subo de novo e deposito um beijo em sua bochecha e saio para o banheiro.
Troco-me, colocando uma lingerie e volto para o quarto, quando Harry me vê, fico feliz com a sua empolgação - Meu Deus... Vem aqui - ele diz e bate do lado da cama onde ele está deitado.
- Relaxa, querido... Ainda não acabei... - pego um frasco de óleo que tenho para massagem, peço para Harry deitar e subo em cima dele para massagear seu peito.
- Eu não consigo pensar em mais nada, além de você em cima de mim e eu não estou transando com você - ele diz de olhos fechados e para provocar dou uma rebolada, ele segura meu quadril na hora e me encara. - Não provoca que já estou cheio de tesão - ele diz e abaixo ele para deitar na cama.
Faço uma massagem relaxante no Harry e vou provocando ele no meio do caminho... Quando acabo, saio de cima dele, guardo o óleo e vou deitar ao seu lado.
- Boa noite, babe - digo ficando de costas para ele.
- Não, não e não... Você me provocou demais para me deixar, olha como estou - ele diz e sua voz rouca é carregada de tesão.

Capítulo 11

Harry percebeu que estou 'tentando' ignorar ele, ele passa a mão pela minha coxa, subindo para meu quadril, cintura e parando nas minhas costas, me virando para ele, escondo o meu rosto no travesseiro e dou uma risada abafada e viro para olhar para ele.
- Você tem noção do quão linda é? - ele diz passando os dedos na minha bochecha que começa a esquentar. - Está com vergonha?
- Você me pegou desprevenida - digo rindo e tentando me esconder. Ele tenta pegar meu rosto para que eu olhe em sua direção, mas como não deixo, então ele começa a fazer cosquinha em mim.
Ficamos assim por um bom tempo e quase fico sem ar. Quando Harry para, ele está com um sorriso lindo em seu rosto. - Você também não faz ideia do quão bonito e charmoso você é, né? - o sorriso dele aumenta cada vez mais.
- Faço ideia, sim - ele diz rindo de mim e me dando um selinho para deitar de barriga para cima. - Deita aqui - ele diz e bate em seu peito.
Deito nele, conversamos mais sobre coisas aleatórias e acabo dormindo em seu peito.


Acordo com o Harry levantando da cama, me espreguiço e lanço um sorriso em sua direção, que vem até mim e beija minha testa. - Vou para casa, ta? - ele diz e eu afirmo com a cabeça.
Vou tomar um banho e quando saio, tem uma ligação perdida do Drew. Retorno a ligação.
- Oi Drew, tudo bem? - digo assim que ele atende.
- Oi , tudo e você? O que vai fazer hoje? - ele diz animado.
- Estou bem... Ia ficar em casa, por quê? - pergunto.
- Então, vou fazer umas pizzas aqui em casa mais tarde, vem pra cá... Pode chamar o Harry... Se quiser... - ele diz rindo.
- Aaah beleza, eu vou! Vou ver se ele quer ir... Mas daqui a pouco estou aí - digo desligando o telefone depois dele concordar.
Me arrumo, o dia hoje está um pouco mais quente que os outros dias, coloco uma blusa, um short e por cima um moletom, arrumo meu cabelo com um coque, pego minhas coisas e vou até o apartamento do Harry, passo em sua porta e ele logo atende.
- Oi, babe - ele estava só de shorts e sem camisa.
- Oi, love... Estou indo lá na casa do Drew, ele vai chamar a nossa galera e fazer umas pizzas, quer ir? - pergunto animada.
- Hoje não sei se consigo, pequena... Eu estou tentando resolver um negócio... Qualquer coisa eu passo lá mais tarde, mas duvido que consiga - ele diz e sorri para mim - Muito obrigada pelo convite, quer entrar? - ele pergunta coçando a nuca.
- Não, obrigada... Estou indo pra lá... Qualquer coisa, aparece lá - digo e pisco para ele, saindo. Ele corre até mim e me dá um beijo.
- Para não ficar com tanta saudade - ele diz e volta para seu apartamento.
Vou até a casa de Drew de uber, quando chego, bato na porta e ele vai abrir para mim.
- Chegou rápido - ele diz me abraçando e beijando o topo da minha cabeça. Entramos e meu grupinho quase inteiro está lá, Andy, Juliet, Wes e Lou. Nina e Ian não tinham chegado ainda. Cumprimento todos e sento perto deles.
- O Harry não vem? - Lou pergunta e eu nego com a cabeça - E a Chloe? - Lou pergunta para Wes que revira os olhos e sai de perto da gente.
- Eiiita, tem alguém de mau humor hoje - digo e dou risada, fazendo vodca com energético pra mim.
- Eles brigaram... E parece que foi feio... Pelo o que Drew disse... - Andy diz dando de ombros.
Ficamos conversando sobre outras coisas até que a Nina e o Ian chegam, se juntam com a gente e mais uns 3 caras chegam depois de uns 10 minutos. Reconheço um deles, ele trabalha na Lewis, ele me vê e me cumprimenta.
- ! Não achei que te encontraria aqui! - ele diz e me abraça.
- Digo o mesmo! - ele sorri. - Sou muito amiga dos meninos - digo e aponto para Wes e Drew.
- Sério? - ele pergunta e eu afirmo com a cabeça. - Nunca tinha visto você nas festas - ele diz e eu dou risada - Sempre estava nas festas deles... - ele diz querendo puxar assunto.
- Eu também, e sempre estava com eles... - digo e Wes se aproxima.
- Wes, por que nunca me falou que conhecia a ? - Kenny diz e olha para ele.
- E da onde você a conhece? - Wes pergunta e parece irritado.
- Trabalhamos na mesma empresa... - Kenny diz e olha para mim.
- Hum... Não sabia que vocês se conheciam - Wes diz um pouco mais relaxado e dá de ombros.
- Vamos almoçar qualquer dia desses... - Kenny diz e eu só balanço a cabeça sorrindo e ele sai quando um dos amigos dele chama.
- Está tudo bem, Wes? - pergunto quando estamos só nós dois.
- Onde está o Harry? - ele pergunta, ignorando completamente a minha pergunta.
- Na casa dele - digo dando de ombros - Sério, Wes? Estou perguntando se está bem... Se não quiser falar, tudo bem... Achei que isso já tinha passado - digo me virando e indo para o nosso grupinho.
- Espera... - ele diz e segura meu braço - Desculpa... Eu não sei como estou... Não consigo mentir para você, por isso ignorei a pergunta.
- Você pode conversar comigo, você sabe disso... - digo e suspiro.
- Eu sei... Mas não quero falar com você sobre isso... - ele dá de ombros.
- Ok... - digo e me viro de novo para me juntar aos meus amigos, só que dessa vez, ele não me interrompe.
Converso com o pessoal e Drew coloca música, agora as meninas estão dançando enquanto os meninos fazem as pizzas. Estou bem distraída com a música, que não percebo que Wes e Drew estão dançando com a gente, começo a rir com eles e eles dançam comigo. Ensino alguns passos para eles e fazemos uma coreografia, Lou grava e posta no instagram dele. Depois da dança, resolvo fazer outro drink para mim e recebo uma mensagem de Harry perguntando onde é a casa do Drew, mando a localização para ele e em menos de 10 minutos, ele aparece, dou risada de canto de boca para Harry, assim que o Drew vai abrir a porta.
- Achei que você não vinha - digo dando um selinho nele.
- E perder essa belezura dançando? - ele pisca pra mim e me da um beijo mais longo.
- Ficou com ciúmes, Styles? - Digo indo até onde as meninas estão dançando. Seus olhos não me largam enquanto eu danço, o que faz eu ficar cada vez mais animada.
Ele cumprimenta todos e senta do lado do Lou, quando eu paro de dançar vou em direção ao Harry de novo, Kenny me para.
- Você e o Style? Estão juntos? - ele pergunta e ele se atropela nas palavras, suponho que esteja bêbado.
- Sim, achei que sabia - digo dando de ombros e ele olha para Harry de novo.
- Não, não sabia... Na verdade, a gente achava que ele era só seu amigo porque você foi educada com ele...- eu dou risada do que Kenny falou.
- Não, nós estamos... Juntos... Acho - digo e dou de ombros.
Vou em direção ao Harry e apoio em seu ombro, ele passa seu braço por minha cintura e coloca a mão no meu quadril. Converso um pouco com Lou sobre a Lewis e enquanto falo com ele, Harry não tira os olhos de mim. Lou sai para ir ao banheiro e Harry me coloca no meio das suas pernas.
- Você não acha que está me devendo alguma coisa? - ele pergunta no meu ouvido, me fazendo arrepiar inteira.
- Não... Não me lembro de nada, não - digo rindo para ele.
- Você sabe que dançar assim do jeito que você estava dançando, me deixa doido - ele continua falando no meu ouvido e dando beijinhos no meu pescoço.
- Você que foi embora cedo - digo e me viro para ele.
- Não foi muito escolha minha... Mas queria muito ter ficado lá com você - viro para ficar em sua frente e o beijo, só que por conta do álcool que está no meu sangue, o Harry sendo ele como sempre, me deixa doidinha só de encostar-se a mim. Meu beijo é de desejo, do mesmo jeitinho que ele retribui meu beijo.
Quando paro de beijar Harry, Wes está nos olhando, mas dessa vez, seus olhos são tristes, ele desvia o olhar e entra no quarto do Drew.
- Preciso ir ao banheiro - Harry diz e eu mostro onde é o banheiro. Enquanto Harry está no banheiro, bato na porta do quarto onde o Wes está.
- Wes? - pergunto e abro a porta. Ele está chorando e olhando para o celular.
- Ela terminou comigo, disse que não aguenta mais essa obsessão que tenho por você - ele diz de cabeça baixa.
- Obsessão? - pergunto assustada.
- Sim, é o que ela sempre fala... Mas ela não entende que me apaixonei por você e não consigo te esquecer - ele diz ainda sem olhar para mim, estou parada na porta, sinto alguém passar a mão por minha cintura e vejo que é Harry, solto um sorriso para ele - Cara, nunca magoe ela, se você fizer isso, eu quebro você - Wes diz e sai do quarto passando pela gente e saindo da casa do Drew.
- Eu estou preocupada com o Wes... - digo para Harry.
- Ele sempre está puto por eu estar com você e agora fala isso... Eu também estou preocupado - ele diz e não consigo não rir.
Ficamos até tarde e vou embora com o Harry, ele me da um beijo de boa noite e cada um vai para o seu apartamento.
Entro e mando uma mensagem para Wes: 'Wes, como você está?'
Logo ele me responde: 'Estou saindo da casa da Chloe, realmente terminamos'
'Quando chegar, me avisa' mando e aguardo a resposta, a casa dos dois é perto, então em menos de 10 minutos, ele está lá.


Depois de quase uma hora não tenho nenhuma mensagem do Wes, tento ligar e ninguém atende.
Na 4ª tentiva, alguém atende.
- Olá, gostaria de falar com o Wesley - digo sem entender o que falaram antes.
- Ele está indo para o Hospital, sofreu um acidente - uma moça diz.
- Qual hospital ele está indo? - pergunto começar a ficar desesperada.
- Hospital St. Thomas - ela diz e desliga.
AI MEU DEUS.

Capítulo 12

Assim que desligo o telefone, pego minhas coisas e saio correndo do meu apartamento, no caminho até a calçada peço um Uber para o hospital. O Uber não demora a chegar e estou a caminho do hospital. Minha cabeça está a mil, não consigo pensar em mais nada do que o Wesley todo ensanguentado. Não sei qual vai ser minha reação quando ver ele. Enquanto estou perdida nos meus pensamentos, o motorista estaciona em frente ao hospital e eu desço correndo.
- Por favor, preciso saber sobre o moço que acabou de sofrer acidente de carro, me falaram que ele viria pra cá - digo ofegante para a recepcionista. - O nome dele é Wesley - digo antes dela me perguntar.
- Ele está fazendo raios-X na perna. Vou te acompanhar até a sala de espera - ela diz e sai de trás do balcão. Ela me leva para uma sala de espera do raio x. Depois de uns 15 minutos, uma maca sai de lá, não consigo ver se é Wesley.
- Com licença... Esse é o Wesley? - pergunto para um enfermeiro, ele pega a prancha com os dados dele, lê e afirma com a cabeça. - Sou amiga dele, gostaria de saber como ele está - digo angustiada.
- Ele quebrou a perna, está com alguns roxos pelo corpo e por conta da batida ele desmaiou, estamos esperando ele acordar - o mesmo enfermeiro me responde. - Estamos levando ele para um quarto agora, você gostaria de nos acompanhar? - ele pergunta e eu afirmo com a cabeça. Eles levam a maca de Wesley até um quarto e eu os sigo, eles ligam o Wesley em um monte de aparelhos que estão presos na parede. - Assim que ele acordar, por favor, nos chame - o enfermeiro pede.
- Pode deixar, muito obrigada, precisam de alguma informação dele? - pergunto e o enfermeiro nega sorrindo.
Olho para Wesley pela primeira vez e meus olhos enchem de lágrimas, seu rosto está com alguns cortes, alguns roxos, mas sua expressão parece estar serena. Fico sentada na poltrona do quarto esperando Wes acordar, o que não demora muito.
- O que? - ele diz abrindo os olhos. - O que estou fazendo aqui? - ele tenta olhar ao redor, mas coloca a mão no pescoço.
Eu me levanto e vou em direção a ele - Wes? - digo chegando perto e ele me olha. - Vou chamar os enfermeiros - digo e saio do quarto para procurar o enfermeiro. Volto para o quarto quando encontro.
- Boa noite, Wesley, né? - o enfermeiro pergunta e ele afirma com a cabeça. - Você sofreu um acidente de carro há alguns minutos e te trouxemos para cá.
- Acidente? Eu estava indo para casa... Ah meu Deus - ele diz e passa a mão pelos cabelos que estão bagunçados.
- Você está bem? Sente dor em algum lugar, além da perna? - Wes nega e o enfermeiro completa. - Bom, perfeito, iremos analisar você durante a noite e caso ocorra tudo bem, estará liberado amanhã à noite - ele sai do quarto e eu me viro para Wes.
- Como você está? - pergunto me aproximando dele de novo.
- Estou tonto, com dor... Não acredito que sofri um acidente de carro... - ele diz irritado.
- Está tudo bem... Não fica nervoso, você precisa relaxar e descansar para ter alta amanhã, ok? - digo sorrindo para ele.
- Como soube? - ele me pergunta confuso. - Eu te liguei? - ele pergunta tentando lembrar-se de alguma coisa.
- Não... Depois que não respondeu mais minha mensagem, te liguei e em uma das tentativas, a socorrista atendeu e me disse que estava vindo pra cá... Então eu vim - digo e Wes só olha para o teto. - Você lembra o que aconteceu? - pergunto e ele nega - Entendi... Quer que eu ligue pra alguém? Drew? Sei lá... Pelo menos alguém faz companhia pra você a noite - digo.
- Você poderia ligar para o Drew, por favor? - ele diz e me olha. - Obrigada! Se você puder ficar até ele chegar, agradeço - ele diz tentando sorrir.
- Claro que fico... Vou ligar e explicar o que aconteceu, me dá 5 minutos... - digo, pego meu celular e saio do quarto para ligar para o Drew. - Oi Drew - digo assim que ele atende.
- ? Aconteceu alguma coisa? Você está bem? - ele pergunta confuso e com uma voz sonolenta.
- Eu estou bem, Drew... Estou te ligando por que... Olha, deixa-me explicar tudo de uma vez e depois você fala - digo e ele confirma com um 'aham' e eu continuo. - Então, o Wes sofreu um acidente de carro, estamos no hospital St. Thomas, você poderia passar a noite com ele? - digo meio rápido.
- Meu Deus, ele está bem? Estou indo aí... Vou levar algumas coisas pra ele... Chego em 10 minutos - ele diz e antes de desligar consigo dizer.
- Vem com cuidado, por favor! - ele concorda comigo e desliga o telefone. Volto para o quarto e Wes está mais uma vez fitando o teto - Wes, o Drew disse que chega em 10 minutos... - digo e ele me olha.
- Obrigada, . Que merda em... Já estava tudo uma merda... Agora isso... Era só o que me faltava... - ele diz revirando os olhos e eu dou risada. - Está rindo porque não é com você, né? - ele diz divertido.
- Que absurdo, Wes! Você está bem... Só esta um pouco... - ele me interrompe.
- Arregaçado - ele diz rindo e eu dou risada com ele. - Ai, não me faz rir que dói - ele diz colocando a mão na barriga.
- Sorry... - digo e dou uma risadinha baixa. - Está precisando de alguma coisa? - pergunto.
- Você faz ideia de onde estão as minhas coisas? - ele pergunta e eu nego.
- Não, mas posso ver com o enfermeiro... Pera aí - digo e ele ri.
- Como se eu fosse sair correndo para algum lugar, né? - ele diz apontando para a perna, o que me faz rir da sua piada.
Vou à recepção do andar onde o Wes está e pergunto para a moça que está no balcão.
- Boa noite, estou acompanhando o paciente do quarto 256 e queria saber onde estão as coisas dele... - pergunto e ela sorri para mim.
- Vou pedir para que tragam até o quarto, pode ser? - ela pergunta simpática, eu afirmo e agradeço, voltando para o quarto.
- Eles vão trazer aqui... O Drew está ligando - digo olhando o meu celular que estava na minha mão. - Oi Drew.
- Qual quarto vocês estão? - ele pergunta ofegante.
- Quarto 256 no 2º andar... Correu uma maratona, foi? - digo e ele tenta rir, mas tosse.
- Engraçadinha... Estou chegando aí - ele diz e desliga o telefone.
- Drew está chegando - aviso Wes que tenta sentar na cama sozinho, mas geme de dor - NÃO! - digo e ele para de forçar para levantar. - Você não pode sentar... Fica deitado descansando, Wes... Não vai virar uma criança de 5 anos, né? - pergunto colocando a mão na minha cintura e ele sorri de lado.
- Não... Mãe - ele diz e eu dou risada.
Depois de uns 5 minutos que estou tentando ver algum modo para que sente a maca, acho o botão e começo a levantar, quando ele está satisfeito, me avisa. Drew chega no quarto e já vai entrando.
- Cara, não me assusta mais assim, não - ele diz chegando perto de Wes, ele está todo descabelado, mas sempre com seu charme. - Obrigada por me avisar, ... - ele diz e me abraça.
- Imagina, Drew, desculpa não avisar antes, mas eu nem pensei em ligar pra ninguém... - digo e coço a nuca. - Bom, eu vou indo então, Drew, daqui a pouco é para trazerem as coisas do Wes e não o deixa forçar para sentar, a maca faz todo o esforço por ele... - digo e pisco para Wes que revira os olhos.
- Está bom, mãe - Drew diz e eu dou risada. - Mais uma vez, obrigada ... Eu vou te avisando - ele me abraça.
- , obrigada por ter vindo aqui... - Wes diz e eu vou abraçar ele, tomo todo cuidado para não o machucar.
Saio do hospital e vou para meu apartamento de Uber... Sim, eu ando de Uber para cima e para baixo, tenho medo de dirigir... Só dirijo se for muito perto e alguém me pede...
Quando chego ao meu apartamento, tiro minha roupa, vou tomar um banho - odeio chegar do hospital e não tomar banho - e depois deito para dormir, quando olho no relógio, são 3 da manhã. Que merda! Tenho que acordar cedo para trabalhar amanhã, hoje, no caso.
Como estou cansada demais, não demoro para dormir.




Acordo no mesmo horário, me arrumo o máximo que consigo, passo um pouco mais de maquiagem para cobrir as olheiras e vou para o trabalho com Harry. Conto para ele do Wesley, do acidente, que fui para o hospital e que depois chamei o Drew para passar a noite com ele. Parece que ele ficou com... Ciúmes, eu diria... Pois depois que falei isso, ele só falou 'aham, sim, não, talvez', decido ignorar essa mudança de humor e tento brincar com ele na hora do almoço, mas ele continua emburrado.
- Que foi, Harry? - pergunto por fim.
- Você foi até o hospital sozinha e a primeira pessoa que pensa em ligar é o Drew? - ele diz cabisbaixo.
- Liguei para ele porque o Wes pediu... Senão, ele ficaria sozinho - digo com toda paciência que existe dentro de mim.
- Hummm... - ele diz somente isso e eu reviro os olhos. Terminamos de comer em silêncio, fiquei incomodada da forma que ele está levando isso, mas não vou dizer nada.
Quando voltamos para o prédio, ainda não estamos nos falando. Passo pela cafeteira para pegar café e encontro Kenny que para pra falar comigo.
- Oi , está muito bonita hoje... Bom, não só hoje... - ele coça a nuca e eu dou um sorriso sem graça para ele, Harry está atrás de mim e acho que o Kenny não percebeu.
- Obrigada... - digo tentando me afastar do Kenny, mas sem sucesso, pois ele vem atrás de mim.
- E o nosso almoço? Está de pé ainda? - ele pergunta, um pouco mais alto do que eu queria.
- Então... - eu começo a dizer, mas ele me interrompe.
- Tudo bem, eu sei que você já almoçou... Estou falando de outro dia... - ele diz todo atrapalhado e começa a sair da cozinha - Bom, preciso voltar, depois nos falamos - ele sai da cozinha e fica só eu e o Harry.
- O que foi isso? - ele pergunta chegando perto de mim e falando baixo.
- Não sei... Ele estava ontem na festa do Drew e falou que poderíamos almoçar qualquer dia... - digo meio sem graça.
- Então você fala para ele que não quer, simples. - Harry diz e sai da cozinha.
O que deu nele? Sério! Respiro fundo antes de sair da cozinha e vou até minha sala.
Quando estou saindo da minha sala, encontro Harry no final do corredor me esperando. Sem falar nada, nós vamos até o apartamento, eu entro no meu, irritada com todo esse humor estranho dele e antes de fechar a porta, viro para o Harry e digo:
- Para quem não quer que eu saia com outro cara, você está fazendo isso muito errado - falo com um pouco mais de raiva do que queria e ele me impede de fechar a porta.
- Como é que é? - ele pergunta furioso.
- Você me tratou super mal o dia todo, Harry... Se você está com ciúmes, eu não tenho culpa, não fiz nada pra merecer isso - ele me interrompe cerrando os dentes.
- Eu não tenho ciúmes - ele diz e eu reviro os olhos.
- Está bom... Então porque está me tratando assim? - pergunto de braço cruzado.
- Não... Não sei! Você mexe com todos os meus sentidos... No momento estou com raiva por você ter dado mole para o cara lá da Lewis - ele passa a mão no cabelo.
- Eu não dei mole para ele! - grito com Harry.
- Era para você ter falado não, pois está comigo! - ele fala mais alto que eu, o que faz com que minha raiva aumente e meus olhos enchem de lágrima, tenho um problema de quando estou com muita raiva, eu choro, de raiva, mas choro.
- Então é por isso? E ao invés de conversar comigo, você simplesmente me ignora? - digo secando uma lágrima que cai.
- Por que você está chorando? - sua voz está um pouco mais calma.
- Porque estou com raiva - digo e mais lágrimas caem.
- De mim? - ele pergunta e chega perto de mim.
- Preciso descansar - digo antes de ele chegar mais perto, ele respira fundo e sai do meu apartamento, fecho a porta, encosto na porta e escorrego até sentar no chão.
Não sei porque o Harry me deixa ao extremo, não consigo ficar só um pouco brava... É muito brava, não consigo gostar só um pouco dele, eu gosto muito.
Não sei o que ele fez comigo, meus hormônios estão totalmente descontrolados, uma parte da culpa é porque estou na TPM, acho. Deixo que toda a raiva passe, choro tudo o que tem para chorar, levanto, tomo um banho, como alguma coisa e vou dormir umas 20 horas.

Capítulo 13

Na manhã seguinte, acordo com o despertador tocando e uma dor de cabeça muito forte, resultado de ter chorado tanto a noite anterior.
Entro no banho, demoro um pouco mais do que o normal, com a intenção de aliviar um pouco a dor de cabeça.
Quando saio, enrolo o cabelo na toalha e vou me trocar, o dia está bem frio, então escolho uma calça jeans, bota preta e uma blusa vermelha de lã, em cima coloco um sobretudo preto e vou arrumar meu cabelo e maquiagem.
Quando estou terminando de secar o cabelo, alguém bate na porta.
- Estou indo! - grito e vou abrir a porta - Harry? - digo surpresa ao ver ele todo sem jeito na minha porta.
- Oi... Bom dia... - ele diz e da um sorriso meio tímido, deixando aparecer as covinhas dele, dou espaço para ele entrar e vou até meu quarto para terminar de arrumar meu cabelo, sem dizer nada, ele me acompanha e encosta no batente da porta.
- Só estou terminando de secar o cabelo, aí... - eu começo a dizer e ele me interrompe.
- Desculpa pequena, eu não sei o que deu em mim ontem, estava muito bravo e acabei descontando em você, me desculpa... - ele diz e permanece no batente da porta me observando.
- Fico feliz que tenha vindo aqui me pedir desculpas... - digo e vou em direção dele. - Eu sei como estava se sentindo, você também mexe muito comigo... de um jeito que não sei explicar. - Digo ficando na sua frente.
- Você não faz ideia de como fico quando estou com você. - Ele diz e sorri pra mim, de um jeito tão meigo que me dá vontade de beijar sua boca. - Estamos bem? - ele pergunta acariciando minhas bochechas.
Não falo nada, apenas o beijo, um beijo rápido, mas que diz que estamos bem. Mais uma vez ele sorri pra mim e volto a me arrumar.
Em menos de 10 min estou pronta e vamos para o carro do Harry.
O dia na Lewis foi tranquilo, passei o dia na minha sala montando o projeto, arrumando os detalhes que faltavam para deixar tudo em ordem para a reunião de amanhã, iremos mostrar para o Thomas o andamento do novo projeto, hoje não tive tempo nem de almoçar.
Quando dá o horário de ir embora, saio da sala e espero o Harry para voltarmos para o apartamento.
- Oi pequena, como foi seu dia? - ele pergunta e me dá um selinho, segura minha mão e vamos até o carro conversando como está o andamento do projeto dele.
Amo o modo como o Harry me trata, ele sempre foi super atencioso, carinhoso e presta atenção sempre nos mínimos detalhes.
Quando chegamos no estacionamento, subimos juntos, mas cada um vai para o seu apartamento.
Entro no meu e ligo o aquecedor, hoje o dia foi bem frio. Vou me trocar, coloco uma calça de moletom e uma blusa qualquer e me sento no sofá pra ver série.
Depois de ver um episódio da série, estou entediada, quero fazer alguma coisa.
Ligo para a Nina e ela chega em casa em 15 minutos com pipoca, chocolate e suco.
- E como está a relação entre você e o Sr. Sexy? - Nina pergunta pra mim rindo
- Estamos bem... Ele tem ciúmes, mas não admite... Brigamos ontem por conta de um cara da Lewis. - Digo e ela ri
- Mas por quê? - ela pergunta comendo a pipoca.
- Porque um cara me convidou para almoçar e falei que outro dia... Ele disse que queria que eu falasse que não, porque estou com ele...
- Mas estão de boa agora? - ela pergunta rindo
- Siiiim, estamos bem.
- E você tem notícias do Wes? - Nina pergunta e eu nego com a cabeça. - Eu mandei mensagem pra ele, mas ele não me respondeu...
- Depois eu mando uma mensagem pro Drew, pra ver como o Wes está.
Eu e a Nina ficamos fofocando sobre nossos “meninos”.
Ela foi embora e eu mandei uma mensagem para o Drew: “Oi Drew, como você está? Tem alguma notícia sobre o Wes?”.
Mando e vou arrumar as coisas para deitar, depois de uns 5 min ele me responde: “Oi , ele está bem, está bem debilitado por conta das contusões, mas está bem!”.
Fico mais tranquila de saber como o Wes está e deito para dormir... Quando estou quase pegando no sono, meu celular toca.
- Alô? - digo sem olhar na tela do celular.
- ? - Wes diz com uma voz fraca.
- Oi Wes! Está bem? - pergunto com medo da resposta.
- Sim, só estou com saudades, quando você vai vir me ver?
- Que? - pergunto confusa e olhando para a tela do celular que marca que estou falando com o Wes. - Você tá bem?
- Eu tô bem princesa... Só estou tomando muito remédio e sinto sua falta, cadê você pra cuidar de mim? - tiro o telefone da orelha para ver a hora, 2:38 da manhã, ele só pode estar de brincadeira comigo.
- Wesley, são 2 e pouco da manhã! Amanhã eu trabalho e você vem com papo furado essas horas? Tchau, preciso dormir. - digo e desligo o telefone na cara dele.
Era só o que me faltava, um Wesley dopado me infernizando de madrugada.
Coloco o celular no silencioso e durmo de novo.
No outro dia acordo e vou tomar café, quando estou terminando, alguém bate na porta, vou abrir com um sorriso gigantesco e acerto que é:
- Olha só, alguém está feliz essa manhã - Harry entra e deixa uma mochila no sofá e vai para a cozinha pegar uma xícara de café.
- Eu sabia que era você, por isso estava feliz - digo pegando minha xícara de café.
- Fica feliz quando venho? - ele pergunta com um sorriso malicioso no rosto e eu digo que sim. - Que bom que meu chuveiro queimou então! - ele diz rindo e eu me junto a ele. - Vou precisar tomar banho aqui, tem problema?
- Claro que não, mas eu vou primeiro tá? - eu digo e ele bufa - Que foi?
- Achei que podíamos tomar juntos - ele diz e terminando sua xícara de café.
- Naaao, eu vou primeiro e você fica aqui - digo e vou pro banheiro, não vejo que o Harry me segue e entra na frente da porta do banheiro.
- Por favor - ele diz e chega perto do meu rosto. - Prometo não fazer nada... A não ser que você queira - ele diz e eu me arrepio toda.
- Esse é o problema, eu quero, porra, como eu quero! - digo e ele sorri vitorioso - mas não podemos chegar atrasados, temos reunião com o Thomas as 10:00.
- Eu deixei tudo pronto ontem e você também, não tem problema chegar às 9:30 hoje - ele diz beijando meu pescoço, meu corpo me trai e solta um pequeno gemido. - Vou considerar isso com um sim - ele diz e abre a porta que está atrás dele, entrando e me puxando pela cintura.
Harry me prende entre a pia e ele, apertando meu quadril cada vez mais forte. Ele tira minha blusa e morde o lábio inferior quando vê que estou sem sutiã
- Porra , você é maravilhosa, puta que pariu! - com as duas mãos ele aperta os meus seios e um deles, ele passa a língua, chupando depois.
Eu jogo a cabeça pra trás e ele vai deixando beijos pelo meu peito e pescoço, tiro sua blusa e sua calça para poder sentir melhor sua ereção em mim, quando apalpo seu membro, ele solta um gemido.
- Pequena, eu te amo tanto - ele diz quando abaixo para lhe dar prazer, abaixo a sua cueca e ele termina de tirar, coloco seu membro na minha boca e ele segura meu cabelo em suas mãos. - Porra, , isso é bom demais - ele diz e quando começa a perder o controle, ele me tira do seu membro. - Não quero gozar rápido, quero aproveitar o banho com você, vem - ele tira minha calcinha e me puxa para o banho, ele liga a água e me puxa para baixo me beijando e apertando minha bunda.
Suas mãos percorrem o meu corpo molhado, enquanto eu puxo seu cabelo durante o beijo. Ele coloca dois dedos entre minha perna e me vira de costas pra ele. Não demora muito para ele se encaixar em mim e pedir para eu apoiar na parede. Ele introduz cada vez mais forte, me dando cada vez mais prazer. Quando estou quase gozando, ele tira e me vira, me encostando-se à parede.
Ele coloca minhas pernas ao redor da sua cintura e mais uma vez se encaixa em mim, fazendo com que eu gema muito mais alto que antes e gozando depois de uns 5 min, ele não demora mais pra gozar, mas não me solta, ele ainda me deixa presa na parede contra seu corpo quente.
- Como você pode ser tão gostosa? Porra , cada vez que a gente transa, eu quero mais... Eu te amo muito, pequena. - ele diz olhando nos meus olhos a em seguida beijando minha boca.
- Eu te amo muito, Harry... Você me drogou também, não é possível - digo rindo e ele me dá um beijo na ponta do nariz, me deixando descer do seu colo - Vamos tomar banho, senão iremos chegar mais atrasados!
Tomamos banho juntos, ele querendo sempre tocar em todas as partes do meu corpo, querendo passa sabonete, lavar meu cabelo e não deixando eu fazer nada, a não ser passar sabonete no seu corpo, que cada toque que trocávamos, os nossos corpos se arrepiavam, os olhos dele estão vidrados em mim, quando percebo que seu membro está totalmente duro de novo, eu dou risada e o beijo.
- Vem, vamos nos trocar - ele diz dando um tapinha na minha bunda para eu sair.
Nós saímos do banho e ele foi buscar sua bolsa na sala e eu vou até o meu closet, escuto a campainha tocar, e grito para o Harry atender, logo em seguida, de roupão e toalha na cabeça, apareço na sala. Harry ainda está de toalha e dá para perceber que ele está totalmente excitado. O que me faz perder o foco totalmente quando vejo o Wesley na porta da sala.
- O que está fazendo aqui? - pergunto para o Wesley
- Você não atendia mais minhas ligações... Então eu vim, preciso falar com você. - ele olha pra mim e depois para o Harry.
- Estou atrasada para o trabalho, mais tarde nos falamos Wesley, não posso agora... - digo cruzando os braços na frente do roupão.
Harry abre a porta e o Wesley sai cabisbaixo, ele fecha a porta e eu olho novamente para o Harry.
- Ele não quer aquietar - Harry diz rindo e olhando para seu membro ereto. - Olho para o relógio e são 8:40, ainda podemos nos divertir em 10 min.
- Temos 10 minutos ainda... Topa? - digo com um sorriso malicioso e indo até o quarto, Harry vem correndo até mim e me joga na cama, subindo em cima de mim.

Capítulo 14

Por incrível que pareça, quando fomos para o quarto, Harry subiu em cima de mim, ficou me encarando e fazendo carinho nas minhas bochechas.
- Que foi Harry? – pergunto, sem entender o porquê ele está somente me encarando.
- Percebi que dissemos eu te amo... - ele diz com um sorriso lindo no rosto - Faz anos que não digo isso pra alguém e quando falei pra você, pareceu algo tão normal, algo tão... Certo. - Não consigo esconder minha felicidade quando ele fala que foi algo certo a se dizer.
Ficamos na cama, nos olhando e fazendo carinho no outro até dar o horário para se arrumar.
Troco-me, arrumo o cabelo, passo maquiagem e pego minha bolsa. Harry já estava pronto me esperando na sala. Fomos até a Lewis conversando e cantando no carro.
Coloco minha bolsa na minha sala, pego uma xícara de café e vou até a sala de reuniões, quando chego, só está o Thomas sentado e me sento ao seu lado.
- Bom dia, Thomas! Como foi a viagem de última hora? - digo e ele sorri pra mim.
- Bom dia, ! Nossa, foi muito cansativa, mas pelo menos conseguimos achar um terreno onde será a nova Lewis, ela vai ficar na Califórnia.
- Que legal! Fico feliz que já acharam o terreno... - digo e olho no relógio, faltam 10 minutos para a reunião ainda.
- Desculpa ter que desmarcar com você o nosso almoço na segunda. - Ele diz e olha para o notebook que está na sua frente.
- Sem problemas, Thomas, surgiu a viagem. - Digo sorrindo tímida.
- Gostaria de... - quando ele começa a falar, a porta da sala se abre e o Harry aparece, com uma xícara de café em sua mão e seu notebook debaixo do braço, ele passa por mim e beija o topo da minha cabeça, involuntariamente eu sorrio e sigo ele com meus olhos. - O que acha? - Thomas chama minha atenção e depois desviando o olhar pra onde estava olhando.
- Desculpa, você poderia repetir, por favor? - digo tímida novamente.
- Gostaria de almoçar comigo depois de sairmos da reunião? Provavelmente iremos sair perto do horário de almoço. O que acha?
- Claro! Obrigada pelo convite - digo e olho em direção ao Harry, que está sentado na minha frente com uma cara não muito boa.
A reunião começa com o Thomas falando sobre o terreno que ele achou, mostrou fotos e me passou as dimensões para detalhar o projeto. O próximo a apresentar é o Harry, que conta sobre as próximas etapas que faremos.
- Muito bem, pessoal! Por enquanto é isso, todos estão dispensados. - Thomas olha no relógio - , você poderia ficar só um minutinho?
- Claro. - Digo e olho para o Harry, que me olha estranho e vem até mim.
- Te espero lá fora pro almoço, meu amor. - Ele diz e me dá um selinho, fico chocada com a atitude dele, pois ele nunca tinha feito isso no trabalho.
- Harry! - o repreendo, olhando para o Thomas, Harry pede desculpa e sai da sala. - Me desculpa, Thomas.
- Você e o Harry? Não sabia... - Ele diz olhando para o celular. - Acho que não vou conseguir almoçar com você hoje, podemos marcar outro dia? - ele diz e atende o celular, só afirmo com a cabeça e dou um sorriso forçado pra ele, que logo sai da sala de reunião.
Pego minhas coisas saindo da sala de reunião e vou até a minha. Quando chego, Harry está sentado na minha cadeira.
- O que foi aquilo, Harry? - pergunto quando fecho a porta.
- Não posso te beijar na frente de todos? Não quer que saibam que estamos juntos? - ele diz um pouco sínico.
- Não é isso, eu quero, mas não precisava me beijar na frente do Thomas. - Digo e reviro os olhos, pegando minha bolsa. - Vamos?
- Claro... Vou te levar pra almoçar no italiano hoje, pode ser? - ele diz ignorando completamente a minha cara de brava.
Vamos até o carro em silêncio, ele tenta puxar assunto comigo o caminho inteiro.
- Harry, é sério, eu não gostei disso, foi desrespeitoso fazer isso na frente do nosso chefe - digo finalmente.
- Desrespeitoso foi ele, que te chamou pra sair. - Ele diz e bufa.
- Não começa, Harry...
- Não comecei nada, só não gosto que fique recebendo convite pra almoço toda semana - eu reviro os olhos e ele coloca a mão na minha coxa. - Hey, para com isso, desculpa por ter feito você se sentir mal na frente do Thomas, desculpa mesmo.
- Tudo bem - digo e chegamos ao restaurante, por fora é como se fosse uma casa antiga. Entramos e tem um hall de entrada para deixar seu casaco e guarda-chuva. O lugar é magnífico, os detalhes que mantiveram da antiga casa são maravilhosos e deixam muito mais aconchegante.
Almoçamos um macarrão com molho branco e queijo, maravilhoso. Harry me conta como conheceu esse lugar e como sua mãe ama vir aqui desde que ele é criança.
- Minha mãe sempre vinha comigo ou com meu padrasto, quando ele ainda era vivo. - Harry começa a contar um pouco da sua infância em uma cidade do interior da Inglaterra, ele começou a morar em Londres quando tinha 15 anos.
O resto do almoço foi muito gostoso, Harry me contou bastante coisa sobre sua infância e sobre sua família. Quando está na hora de voltar, voltamos ao trabalho e cada um vai para sua sala.
Decido mandar uma mensagem para o Thomas, pedindo desculpas mais uma vez e ele me responde imediatamente: "Não tem problema".
Converso com o Thomas sobre alguns detalhes do projeto e vou alterando na planta conforme conversamos. Mando por e-mail as alterações e continuamos conversando no whatsapp.
No final do dia, desligo minhas coisas e vou ao encontro do Harry na sala dele.
- Pronto? - pergunto abrindo a porta.
- Sim! Vamos. - Ele diz e fecha seu notebook.
Voltamos pro nosso prédio, conversando sobre o trabalho, mas não tocamos mais no assunto do Thomas. Cada um vai pro seu apartamento, eu decido deitar e ver alguma série até dormir, estou esgotada hoje.

Capítulo 15

No dia seguinte, me arrumo como todas as manhãs e mando uma mensagem pro Harry "Bom dia, está pronto?" envio e já recebo uma mensagem de volta "Vou atrasar, não precisa me esperar" ele envia e acho estranho, mas peço um uber e vou até a Lewis.
Pela manhã fico bem entretida com meus afazeres que perco o horário para almoçar. Quando pego meu celular tem uma mensagem do Harry "Não vai almoçar?" que ele enviou há 1h30. "Desculpa-me, estou super entretida com as coisas aqui, vou pedir algo pra comer" envio e volto a fazer minhas coisas. Alguém bate na minha porta e peço para que entre.
- Peguei algo pra você comer, já que não comeu ainda. - Harry abre a porta com um pacote de papel kraft na mão.
- Obrigada querido, não precisava, eu já ia pedir.. - Digo e vou em direção a ele, dou um selinho nele e pego o pacote de sua mão.
- , já são quase 16h. - Ele diz se aproximando de mim. Coloco o pacote na minha mesa e entrelaço meu braço no seu pescoço.
- Obrigada por pegar meu almoço, de verdade - digo e o beijo.
- Por nada, meu amor - ele diz e deposita um selinho na minha boca antes de se afastar de mim e sair da minha sala.
Abro o pacote e pego o lanche que ele me trouxe, ele pediu exatamente o que eu pediria no Subway. Dou risada por ele ter lembrado o lanche que pedimos uma vez. Termino de comer, vou ao banheiro escovar meus dentes e volto para o projeto. Preciso terminar o mais rápido possível, o Thomas está ansioso para ver esse projeto finalizado.
Quando chega o horário de ir embora, Harry aparece na minha sala e eu saio com ele. Quando saímos da Lewis, vejo que está chuviscando, hoje será uma noite fria...
- O Thomas falou com você sobre o projeto da Califórnia? - Harry começa a falar e parece um pouco tenso.
- Só o que ele disse na reunião, por quê?
- Não... Não isso... Bom, então ele vai falar com você amanhã. - Ele diz dando de ombros.
- Não, me fala... O que ele está planejando? - pergunto curiosa.
- Ele quer te levar pra Califórnia, para comandar o projeto... E me perguntou se achava que isso seria um problema. - Ele diz sem olhar pra mim, não entendo o porque ele está tão cabisbaixo.
- Que ótima notícia Harry!!! Precisamos comemorar!! - Digo toda feliz.
- É...
- O que foi, Harry? - pergunto colocando a mão em sua coxa.
- Não é que eu não esteja feliz por você, eu estou e muito! Mas... - ele desvia o olhar da pista e olha pra mim um momento - só você iria. Sei que é "cedo" ainda pra falar disso, mas eu não quero ficar longe de você. - Ele termina quando chegamos ao estacionamento do prédio.
- E eu não escolheria minha equipe? Não poderia pedir pra você ir comigo, acompanhar a obra? - Pergunto e ele da de ombros.
- Não sei...
- Também não quero ficar longe de você, Harry. - Digo sorrindo pra ele. - Ah, estava maravilhoso o lanche hoje, acertou! - digo e agarro seu braço.
- Acertei? Achei que tinha esquecido algo... Ainda bem que não, quer dizer que minha memória está boa! - ele sorri - , deixa o Thomas falar com você primeiro, tá?
Afirmo com a cabeça e entramos no meu apartamento. Ligo o aquecedor e coloco uma pipoca pra fazer.
- Filme ou série? - Harry pergunta da sala.
- Filme! - grito da cozinha. - Coca ou soda?
- Coca! - ele responde, pego a coca pra ele, água pra mim e o nosso balde de pipoca. Deixo as coisas na sala, vou para meu quarto colocar uma calça de moletom cinza e uma blusa branca.
- Qual filme escolheu? - pergunto chegando na sala e me sentando ao seu lado.
- Simplesmente Acontece.
- Nunca vi esse... - digo colocando o balde de pipoca no meu colo.
- Eu também não! - ele responde pegando pipoca do balde.
Assistimos o filme, eu gostei bastante, chorei com o discurso da principal, mas fiquei feliz com o final...
- O que achou? - pergunto pro Harry e ele faz uma careta, dou um tapinha em seu braço e ele ri.
- É brincadeira, eu até que gostei... Mas já está ficando tarde e amanhã trabalhamos... Qualquer coisa que precisar me liga, tá pequena? - ele diz recolhendo as coisas da sala e levando para a cozinha, coloca na máquina de lavar e volta para se despedir antes de ir para o seu apartamento.




No dia seguinte, fomos para o trabalho juntos e antes do almoço, o Thomas aparece na minha sala.
- Bom dia, , como está? Posso falar com você um momento? Fique tranquila que é coisa boa. - Ele me acalma antes de começar a falar.
- Estou bem e você, Thomas? Podemos sim! Ah, que ótimo, me diga...
- Estou bem também... Então, como você sabe, iremos montar uma filial na Califórnia e eu preciso de alguém para comandar esse projeto lá, gostaria de saber se você gostaria de ir pra Califórnia... O que me diz?
- Nossa Thomas, fico muito feliz com a sua proposta... Claro! Me dê mais detalhes sobre quem vai, como vamos ficar lá... - digo e dou risada.
- Então, seria daqui uns 5 meses... Você escolheria um lugar pra ficar por nossa conta até acabar o projeto e você voltar, e sobre a equipe, você pode escolher... Mas como já sei que um dos que você vai escolher é o Harry, comentei com ele sobre te propor isso, ele ficou muito feliz por você.
- Sim, ele acompanharia a obra comigo, teria algum problema? - digo apreensiva e ele nega com a cabeça.
- Sobre os outros da equipe, pode me passar até o final do mês? - ele pergunta e eu afirmo. - Perfeito, assim já conseguimos falar com todos e providenciar moradia para todos nesse período.
- Thomas, muito obrigada pela oportunidade que está me dando, prometo que não vai se arrepender.
- Pode ter certeza que não estou me arrependendo, seus projetos são maravilhosos! - Ele sorri e se despede saindo da minha sala.
Tenho muita coisa pra fazer, minha cabeça está uma pilha de nervos com essa proposta. Preciso organizar tudo, projeto, conversar com o Harry, com os demais da equipe e contar para meus familiares e meus amigos a novidade.
Encontro Harry no corredor e vamos almoçar, não comento nada com ele sobre a proposta do Thomas ainda, quero falar com ele de noite, com mais calma. Por mais que ele saiba, ele acha que sou só eu.
A minha tarde na Lewis se resume em terminar o projeto de fundação da Lewis Califórnia e enviar ao Thomas para aprovação. Quando termino, vou até a sala do Harry e bato na porta.
- Pode entrar! - escuto lá de dentro e abro. - Pronta? Ia te mandar mensagem agora que posso sair - afirmo com a cabeça e ele vem em minha direção me dar um selinho.
Vamos a caminho do prédio falando do projeto em si, quando chegamos no estacionamento, começo a conversa.
- O Thomas veio falar comigo sobre me colocar de dona do projeto lá na Califórnia... Não sei se você concordaria, mas gostaria de te levar junto, você ficaria responsável pela obra em si... Não sei o que você acha, poderíamos montar uma equipe com as pessoas principais que achamos necessário levar... - digo meio rápido sem respirar, quando paro, respiro fundo e olho pra ele que está me encarando dentro do elevador. - O que acha? - pergunto, não consigo identificar sua expressão.
- O que? - ele perguntou me encarando. "Ferrou" penso...

Capítulo 16

- O que?? - Harry diz com uma expressão que nunca tinha visto antes. Fico sem reação, sua expressão me deixa sem chão.
- Harry, desculpa, eu achei que você gostaria de ir comigo - digo e passo as mãos nos cabelos.
- , eu não sei nem o que te falar, sinceramente. Não estava esperando isso - ele diz e olha pra baixo.
- Desculpa, Harry, achei que poderia funcionar, me desculpa mesmo. - depois dessa reação dele, não sei mais o que pensar, ele achou que eu não iria? Como assim?
- , não, espera... Eu não sei o que pensar, não achei que pediria para eu ir junto com você... Eu não sei nem o que te falar... - ele diz e me abraça forte.
- Você não está bravo comigo? Achei que estivesse.
- Por que estaria? Eu disse que não quero me afastar de você, não quero ficar longe de ti - ele se afasta pra poder olhar nos meus olhos - Daqui quanto tempo? - ele me pergunta.
- Daqui uns 5 meses, mas preciso passar todos os nomes pro Thomas até o final desse mês.
- , você é inacreditável - Harry me pega no colo e me beija.
Ele me coloca em cima do balcão da cozinha e eu entrelaça minhas pernas em sua cintura. Por um momento penso que poderíamos morar no mesmo apartamento, sei que é cedo demais ainda, mas temos uma conexão inexplicável. Acalmo um pouco o beijo do Harry e o encaro.
- O que foi, pequena?
- Eu estava pensando... Temos 5 meses até ir pra Califórnia, por que não nos mudamos pro mesmo apartamento? Nós já ficamos juntos o tempo todo. - Digo meio sem graça de propor isso a ele.
- Não sei... Será que eu aguentaria morar com você? - ele diz sério no começo, mas depois não aguenta e ri. - Eu estava pensando nisso também... - ele ri e beija a ponta do meu nariz.
- Como você é besta! Me deixa preocupada desse jeito! - digo batendo no seu braço de leve e ele segura meu pulso.
- Não faça isso... - ele diz sério, mas depois solta meu pulso e o beija. - Temos muita coisa para apreender sobre o outro e não vejo maneira melhor de fazer isso, antes de mudar pra Califórnia por tempo indeterminado.
- Eu também acho que seria a melhor maneira... Precisamos decidir algumas coisas... Mas podemos curtir um pouco e depois ver a burocracia de morar juntos - digo e o puxo para mais um beijo. Nos curtimos um pouco, antes do Harry dizer que faria a janta.
- Tá bom, precisa de ajuda com o que, love? - pergunto descendo do balcão da cozinha.
- Nada, só quero sua companhia enquanto faço, pode ser? - ele diz e eu o abraço por trás, beijando suas costas tatuadas.
Como alguém pode ser tão sexy sem fazer esforço, o Harry de calça preta, sem camisa e cozinhando, é um nível extremamente sexy para um ser humano. Fico observando esse ser maravilhoso cozinhar enquanto fico sentada no balcão, conversando sobre coisas aleatórias.
- E sobre o apartamento, pequena... Qual você prefere ficar? - ele diz desligando o fogo. - Está pronto, vamos comer?
- Nossa, o cheiro está maravilhoso! - digo descendo do balcão e pegando os pratos, arrumo a mesa rápido e o Harry senta pra comer comigo. - Então, por mim tanto faz, se for ficar com o seu, podemos colocar o meu pra vender...
- Não, eu gosto do seu apartamento - ele sorri. - E o meu eu aluguei, não sabia quanto tempo ficaria, então ele é alugado... Acho melhor ficarmos com o seu, pode ser? - afirmo com a cabeça e dou uma garfada na comida.
- Harry, está sensacional, nossa, está muito boa mesmo! - digo depois de mastigar e engolir a comida. Harry fez um frango com legumes e arroz, realmente está maravilhoso. - E sobre o apartamento pode ser sim, love.

- Que bom que gostou! - ele diz sorrindo pra mim. - Então uma etapa já foi, quando você quer que eu me mude? - ele pergunta rindo.
- Quando você quiser - digo mandando um beijo pra ele. - Harry decide dormir comigo hoje, quando vamos pro quarto, depois de arrumar as coisas na cozinha, me troco, colocando uma blusa dele, deito e ligo a TV, ele deita do meu lado e me puxa para deitar em seu peito.
- Não sei se algum dia vou conseguir me acostumar com isso, com esse sentimento quando você me toca - digo e olho em seus olhos.
- Me diga, qual é o sentimento... - ele me pergunta com uma voz rouca, o que faz com que meu estômago esteja infestado de borboleta. - Qual é a sensação quando te toco aqui? - ele pergunta passando a mão no meu braço, que arrepia no mesmo segundo e ele solta um sorriso malicioso. - E aqui? - ele vai subindo a mão, chegando na minha bochecha, que fica vermelha e eu imediatamente fecho os olhos. - E quando eu faço isso? - ele diz e passa sua mão atrás da minha nuca e segura meu cabelo forte, puxando um pouco, não consigo segurar o gemido que sai da minha boca e depois digo seu nome. - Esse é o meu som preferido - ele diz e me coloca em cima dele, ele está tão excitado quanto eu.
- Acho que o sentimento é de ambas as partes - digo e beijo seu pescoço, ele reage na hora colocando a mão na minha coxa e apertando, dou um sorriso malicioso como o dele. - Gosto de saber que deixo você assim - digo em seu ouvido e mordo o lóbulo de sua orelha.
Trocamos carícias e quando não estou mais aguentando ele me provocar, saio de cima dele, tiro sua calça e cueca, Harry pega o preservativo e o coloca, quando tiro minha calcinha. Subo em cima dele e me encaixo, cada rebolada que dou, recebo um tapa leve na minha bunda de incentivo. Quando estamos quase chegando no nosso prazer, paro de rebolar e ele me olha feio.
- Mancada fazer isso comigo - ele diz massageando meus seios, me endireito e volto a jogar a bunda em cima dele, não demora 5 minutos para eu chegar no meu prazer e ele logo em seguida.
Deito ao seu lado, saindo de cima dele, ele vai até o banheiro, se limpa e volta ao meu lado, viro de lado e ele se encaixa em mim, para dormimos de conchinha, clichê, eu sei.
- Boa noite, minha pequena. - Ele diz e deposita um beijo no meu pescoço.
- Boa noite, my love. - Respondo e não demoro para dormir.




Acordo mais cedo, vou tomar banho, lavo meu cabelo e quando saio, Harry ainda está dormindo, coloco meu roupão, prendo meu cabelo na toalha e vou até a cozinha fazer o nosso café da manhã, coloco o café pra passar e decido fazer ovos mexidos com bacon para o Harry e ovos mexidos pra mim.
- Bom dia, ... - Harry diz com uma voz totalmente rouca, só de calca de moletom e seu cabelo levemente bagunçado, eu amo esse cabelo longo dele, o deixa mil vezes mais sexy, tudo bem que não o conheci de cabelo curto, mas o modo com que ele mexe no cabelo, é tão sexy... - , terra chamando... - ele diz passando a mão na minha frente.
- Bom dia, coisa linda! - digo envergonhada por ter viajado enquanto ele falava comigo.
- Estava pensando no que? - ele diz pegando um bacon com a mão e comendo.
- Nada não... - digo mais envergonhada. - Vamos tomar café? - digo mudando de assunto.
Nós sentamos na bancada e enquanto tomamos café, conversamos sobre o apartamento.
- Tem alguma coisa que você precise pra cá? - ele me pergunta e eu nego. - Nada mesmo? , vamos dividir o apartamento, não como amigos, como namorados... - ele para por um instante e me olha. - Certo?
- Certo, querido, não está faltando nada, caso você queira algo específico, fique à vontade pra trazer, fica tranquilo, estamos na mesma página em relação a tudo isso. - Dou um sorriso pra ele tentando o tranquilizar.
Terminamos o café da manhã, ele entra no banho, eu vou secar meu cabelo e me arrumar. Termino de me arrumar e vou para a sala esperar o Harry, fico mexendo no Instagram até ele chegar.
- Pronto? - digo e ele afirma com a cabeça.
Vamos até a Lewis conversando e tentando ver como ficaria nossa "casa", decidimos mudar um pouco a sala e um pouco o quarto de visitas, para que fique mais arrumado com nossas coisas juntas.
O dia hoje foi super corrido, resolvo não ir almoçar e peço algo para comer e aviso o Harry, ele pede para eu pedir comida pra ele e quando chega mando uma mensagem, "Querido, sua comida chegou" depois de 5 minutos, ele aparece na minha sala.
- Posso almoçar com você aqui? - ele sorri e puxa uma cadeira para me acompanhar no almoço, afirmo com a cabeça e abaixo a tela do meu computador. - Não tem graça almoçar sem você...
- Ahhh, que fofo, Harry! Estou tão feliz com você... Sério, não me sentia assim há muito tempo, na verdade eu acho que nunca me senti assim antes.
- Eu também não, eu estou me sentindo tão bem ultimamente, quero que conheça todos meus amigos, minha família... Quero realmente me comprometer com você. Sinto que faria tudo por você. - Ele diz dando uma garfada na sua comida.

Capítulo 17

Depois dessa pequena declaração do Harry em relação a nós, terminamos de almoçar juntos, vou até o banheiro escovar meus dentes e quando volto, Harry não está mais lá.
Volto minha atenção no grande projeto que poderá mudar minha vida e minha carreira. Tenho algumas ideias de projetos e faço o croqui de cada uma, decido fazer primeiro manualmente e converso o Thomas para apresentar as opções para equipe, ele acha uma ótima ideia e diz para eu apresentar as ideias na próxima semana que terá uma reunião sobre o projeto.
Começo preparar minhas coisas para a reunião, deixo prontas todas as ideias no croqui, arrumo em pastas e faço um esboço do que pretendo falar para não esquecer de nada. Quando termino de arrumar tudo, são quase 18 horas e arrumo minhas coisas para ir embora, passo na sala do Harry, mas o Thomas está lá, decido ir até a cozinha e tomo um copo de água enquanto espero o Thomas sair da sala do Harry. Assim que ele sai, vou até lá e ele está desligando as coisas, quando me vê, abre um sorriso.
- Nossa, hoje mereço uma massagem, estou muito cansada... - digo quando ele vem na minha direção.
- Será que está merecendo? - ele me olha divertido e faço bico. - Vou pensar no seu caso, vamos? - ele diz e eu afirmo.
Quando saímos de sua sala, Harry pega minha mão enquanto andamos, olho para nossa mão e depois pra ele, ele percebe que estou um pouco tímida com a atitude dele, ele levanta minha mão e a beija, mas não solta até chegar no carro. Vamos pra casa, conversando sobre algumas coisas do apartamento.


Passa-se aproximadamente um mês desde que eu e o Harry decidimos morar juntos, definitivamente. Estamos voltando de mais um dia do trabalho, todos da Lewis sabem que eu e o Harry estamos realmente juntos, de vez em quando escuto alguns burburinhos sobre minha relação com o ele, principalmente as mulheres que não perdoam.
- Irei resolver sobre o meu apartamento essa semana, provavelmente, semana que vem, estaremos morando juntos - ele diz e me abraça por trás quando chegamos na porta do meu apartamento. - Vou começar a trazer minhas coisas pra cá, pode ser? - ele pergunta logo que entra no apartamento e fica na porta.
- Está bom, só vou colocar minha bolsa no quarto e estou indo lá te ajudar - digo e ele sai do apartamento, deixando as portas do meu apartamento e do dele abertas. Coloco a bolsa no meu quarto, tiro meu salto e coloco um chinelo, saio do apartamento para ajudá-lo.
Quando chego, o apartamento dele está impecável, tudo arrumado em perfeito estado, ele está na sala tirando o videogame para colocar em uma sacola que acho que vai para o meu apartamento.
- O que posso ajudar? - pergunto chegando perto dele.
- Tudo o que está aqui é meu, se você quiser redecorar o seu, desculpa, nosso apartamento, fique à vontade, o que não formos ficar, vou doar. - Ele diz terminando de colocar as coisas do videogame dele. - Não que eu não goste do seu sofá, mas esse é maior e mais confortável, se quiser trocar, eu super apoio - ele diz rindo da minha cara, finjo que estou ofendida e dou risada.
- Com certeza quero trocar, tenho aquele sofá desde que me mudei pra cá, acho justo fazermos umas mudanças já que iremos morar junto, o que acha? - Gosto do jeito que o meu apartamento é mobiliado, mas o design do apartamento do Harry é fenomenal, tudo que tem nele é em tom de cinza e preto, combinaria muito com a decoração das minhas coisas que são rose gold.
- Só não quero a minha cama, prefiro a sua - ele ri e eu faço cara de nojo quando fala da cama dele, nunca fui ciumenta, na verdade não sei se já senti ciúmes do Harry alguma vez, mas quando ele comentou da sua cama, senti uma fisgada no peito, só de pensar em quantas meninas ele levou para aquela cama, provavelmente ele percebeu que fiquei pensativa e disse. - Não pense muito, não será muito bom...
- Tudo bem, não disse nada - digo e meu pensamento vai longe. Quantas mulheres o Harry já teve relação só no período que estava aqui? Confesso que estou um pouco incomodada com esses pensamentos, mas tento ignorá-los - Gosto dos tons escuros na casa, poderíamos deixar o rose gold que adoro com os tons escuros...
- O que você quiser, meu amor, gosto dessa ideia. - Ele diz e vem na minha direção. - Vou colocar minhas roupas em malas, só pra levar até o seu apartamento, pode levar essas coisas que não estão pesadas? - afirmo com a cabeça e levo 2 caixas com coisas de videogame dele, realmente não estão pesadas e deixo na sala, volto para seu apartamento e ele está no quarto.
- Vou pegar as coisas da cozinha, tá? - ele grita que sim do quarto e vou colocando as coisas de cozinha dele em caixas para levar até o meu apartamento, o Harry tem tudo de louça preta, prato, copo, talher... Tudo o que você possa imaginar. E todas as coisas com 4 unidades - Harry, estou levando uma caixa para que não fique pesada. - Ele não me responde e vou mesmo assim, levo até meu apartamento, tiro as coisas da caixa e coloco em cima do balcão, faço umas 5 viagens até pegar tudo que está na sua cozinha, só não peguei os eletrodomésticos, vou deixar para o Harry pegar. Na última viagem o Harry está puxando 2 malas de roupas e deixa no meu apartamento, digo para deixar na sala e depois arrumamos.
Decidimos tirar tudo do apartamento dele, só deixar as coisas mais pesadas para contratarmos alguém para trocar no meu apartamento.
- Podemos fazer essa troca no sábado, ligo para um lugar onde faz mudança e peço para que venham. Precisa trocar o que? Só o sofá? - pergunto olhando em volta do meu apartamento.
- Não, pequena. Quero trocar tudo, micro-ondas, geladeira, cooktop, forno, máquina de lavar roupa e máquina de lavar prato, os meus estão novos, se usei 4 vezes foi muito. - Ele diz e eu concordo.
- Tudo bem, podemos fazer essa troca e quando devolver o apartamento, pode deixar lá? - pergunto e ele afirma. Olho ao nosso redor com um monte de caixas. - Temos muito trabalho a fazer... - digo e ele me puxa para um abraço.
- Não acredito que estou fazendo isso... - ele diz e eu dou risada. - É sério, pequena, não acredito mesmo. Estou tão confiante, tão seguro... Não é normal pra mim... Você vai ver quando contarmos para o Lou e para o Ed, eles não vão acreditar... - ele diz e eu bato com a mão na testa... Nina e Andy! Faz tempo que não falo com eles! - O que foi? - ele me pergunta preocupado.
- Não falei com nenhum dos meus amigos nesse um mês que passou, estava tão focada no projeto da Califórnia, em morarmos juntos que esqueci completamente!
- Calma, está tudo bem... - ele diz me soltando do abraço. - Podíamos fazer uma festa de comemoração que estamos indo morar juntos, aí aproveitamos e contamos para todos. Não falei com os meninos, com minha família. Não falei com ninguém.
- Eu também não... Isso não é estranho? - pergunto e me afasto um pouco. - Faz quase um mês que não falo direito com meus pais, falo pouco, só pra saber se estão bem e já tenho que desligar... Não sei nem se contei que estou namorando!
- Podemos fazer isso hoje, se quiser... - ele me propõe e eu aceito na hora - podemos pedir algo pra comer, já que os dois estão cansados para fazer janta e enquanto esperamos, ligamos para seus pais... O que acha?
Concordo com a ideia do Harry, pedimos uma pizza pelo iFood e ligo por Face Time para minha mãe, que logo atende, decido mostrar somente eu por enquanto.
- Oi, mãe!
- Oi, filha! Como está? Você está linda minha querida! Sinto tanto a sua falta!
- Estou bem e vocês? Como estão? Também sinto a sua falta... Falta de todos! Obrigada. Mãe, cadê o papai? Também estou com saudades dele.
- Estamos bem! Ele está aqui do lado, pera aí - ela o chama e os dois aparecem na tela do celular, cumprimento meu pai.
- Mãe e pai, quero apresentar vocês para alguém especial, conheci ele no meu trabalho e estamos namorando, há mais ou menos um mês... Quero que conheçam o Harry. - Digo e ele aparece do meu lado com um sorriso lindo no rosto, mostrando suas covinhas.

Capítulo 18

Harry aparece junto comigo na câmera, ele parece estar muito tímido, mas seu sorriso é maravilhoso, olho pra ele e ele está acenando para meus pais.
- Olá! - ele diz e nos encaramos.
- Olá, querido! Prazer em te conhecer! - minha mãe diz e meu pai só da um sorrisinho, ele nunca se acostumou com a ideia de eu namorar, ele acha que sou muito nova.
- O prazer é todo meu, senhor e senhora Gatti - Harry está totalmente desconfortável com a situação, percebo que seu rosto está um pouco mais corado que o normal.
- Pelo amor de Deus, meu filho, não nos chame de senhor e senhora... Não somos tão velhos assim... – minha mãe o corta.
- Diga isso por mim né... Por que você... - Meu pai diz e nós caímos na gargalhada, menos minha mãe, meu pai ama falar que ela é velha, só porque ela é mais velha que ele por 4 anos.
- Como eu estava falando, querido, me chame de Patrícia e esse palhaço aqui de Sérgio - ela diz e finalmente ri.
Continuo conversando com meus pais, conto que iremos morar juntos, por conta do trabalho, meus pais ficam felizes por mim, eles sabem o quanto esse emprego é importante, é o meu emprego dos meus sonhos, estar onde estou hoje. Batalhei muito para conseguir a bolsa da faculdade, para conseguir ótimas notas, recomendações dos meus professores, então todo o esforço que fiz durante quase 7 anos, está tendo resultado agora.
- Estou tão orgulhosa de você, minha filha. Você está conquistando tudo o que mais queria, está com um emprego muito bom, com os planos de projetos maravilhosos, seguindo e sendo uma ótima profissional.
- Obrigada, mãe - digo e olho pra baixo, Harry percebe que estou sem jeito e faz carinho na minha coxa sem que eles vejam. Olho pra ele e sorrio. - Estou adorando a Lewis, é realmente o que sempre sonhei.
Continuamos a conversar sobre a Lewis e sobre como estavam meus irmãos, minha afilhada e todos... Descubro que minha cunhada está gravida de novo. Estou morrendo de saudades da minha afilhada, dos meus pais e de todos... Dos meus amigos de lá... Despeço-me dos meus pais e desligo a chamada de vídeo que durou mais ou menos 1 hora e meia.
- O que achou deles? - pergunto para o Harry, que está sentado do meu lado.
- Gostei bastante deles. Quando for conhecer minha mãe será presencial, tá? Nada de vídeo chamada. - Ele diz tirando sarro da minha cara.
- Você queria ter conhecido eles só quando fôssemos para Itália? - pergunto rindo e ele afirma.
- Poderíamos pegar um voo até a Itália e ir conhecer, mas você é apressada. - Continuo rindo pelo jeito que ele sente vontade de conhecer meus pais pessoalmente.
- Podemos fazer isso antes de ir pra Califórnia, pode ser? - ele afirma.
Dou risada da cara dele e ele senta no chão em frente à TV para montar seu videogame, pergunto se ele precisa de ajuda e ele nega, a pizza chega, sirvo um prato para o Harry e comemos na sala mesmo, conversando e sentados no chão.
Harry dorme no nosso apartamento, já que o dele está praticamente sem nada dele mais. Decidimos trazer tudo para ver se iriamos precisar comprar algo, mas não precisará.




O final da semana não foi tão cansativo, Harry já está morando comigo, mas não contamos para ninguém sem ser nossos pais e familiares. Hoje irei conhecer a Anne, mãe do Harry. Confesso que estou um pouco nervosa para conhecê-la. Os preparativos para nossa ida à Califórnia também estão a todo vapor, estamos procurando lugar para morarmos por 6 meses pelo menos.
Hoje é sexta-feira, iremos jantar com a Anne, chego do trabalho, vou tomar um banho, coloco meu melhor vestido preto, um salto e uso um pouco mais de maquiagem do que uso no trabalho. Harry está pra cima e pra baixo me zoando que estou nervosa.
- Pequena, é só minha mãe, não precisa se arrumar tanto... - ele me olha de cima a baixo. - Pensando bem, você está deslumbrante! Mais do que já é... - ele diz e me dá um selinho. - Se acalme... Vai ficar tudo bem...
- Podemos ir? - digo ignorando a zoação do Harry, que ri da minha cara mais uma vez.
Vamos até a casa da Anne em uma cidade próxima de Londres, Cambridge, uma hora e meia de distância. Saímos de casa as sete horas e chagamos na casa dela por volta das oito e meia da noite. Harry para o carro em frente a uma casa toda charmosa e sai do carro, o acompanho e ele passa o braço por minha cintura.
Ele me conduz até a porta e toca a campainha. Anne quis fazer toda a janta e não me deixou trazer a sobremesa, ela disse que ela queria fazer tudo.
Uma mulher com um sorriso tão contagiante quanto o do Harry abre a porta e já nos pede para entrar.
- , como você é linda! Que prazer te conhecer! - ela diz e me puxa para um abraço que retribuo.
- O prazer é todo meu, Senhora Styles... - ela me corta.
- Anne, por favor. Me chame de Anne... - ela sorri e eu afirmo com a cabeça - E você, meu filho! Já estava com saudade de você! Faz quanto tempo que não te vejo? Um mês mais ou menos? - ela diz e Harry afirma.
- Como está, mãe? Cadê a Gemma? - ele pergunta. Gemma? Quem é Gemma? tento fazer uma cara de interrogação para o Harry e ele não percebe, simplesmente entra na casa atrás da sua mãe. - Gemma! Que bom que está pra cá! Vem cá, quero que conheça a . - Ele diz abraçando a menina que parece ser um pouco mais velha que ele, mas não muito.
- Oi, ! Harry falou tanto de você pra mim, achei que nunca te conheceria! - ela diz e vem me abraçar, retribuo o abraço, um pouco tímida e encaro o Harry.
- Meu Deus, eu não devo ter falado de você pra ! Essa é minha irmã, Gemma. - Como assim eu não sabia que o Harry tem uma irmã???? Ele falou de mim pra ela???
- Sua cara fazer isso... Sempre se esquece de mim - ela faz drama e começa a rir, já gostei dela! Pelo jeito gosta de perturbar o Harry, talvez sejamos ótimas amigas...
- Venham, vamos sentar pra comer! - Anne nos chama pra ir até a cozinha, a decoração da casa é totalmente moderna, mas tudo feito de madeira, por conta da estrutura original da casa.
Sentamo-nos à mesa, Anne fez um salmão grelhado com molho de ervas, salada e algumas verduras. Tudo está muito bem temperado e muito saboroso, enquanto comemos, conversamos. Adorei Anne e Gemma, realmente acho que seremos ótimas amigas.
- Como que uma pessoa tão legal, linda e inteligente começa a namorar com meu irmão? - Gemma pergunta e Harry bufa, caímos na gargalhada. - Amiga, tenho vários amigos gatos para te apresentar. - Harry olha feio para Gemma, que solta uma gargalhada. - É brincadeira, bobão. – Ela diz e tira seu prato da mesa quando todos terminam de jantar. Ela volta com uma torta de banana que está maravilhosa.
- Espero que goste de torta de banana. - Anne diz e eu afirmo. - Que ótimo! É a sobremesa preferida do Harry desde que ele era criança.
Comemos a sobremesa brincando mais um pouco com o Harry e ele entra na onda da brincadeira, acabo com a barriga doendo de tanto rir, Harry está tão feliz, tão tranquilo que me traz uma paz tão grande. Acabo pensando demais em como o Harry está me fazendo feliz e como ele está feliz aqui, que quando falam comigo, eu não estou prestando atenção.
- Desculpa, o que? - pergunto para o Harry
- Está ficando tarde, precisamos voltar pra casa, vamos? - ele pergunta e eu nego, fazendo beiço. - Para com isso - ele diz e seus olhos estão vidrados em mim.
- Vou só arrumar a cozinha com a sua mãe e vamos, pode ser? - eu digo rindo e ele afirma.
Ajudo a Anne e a Gemma a arrumar as coisas e lavar tudo o que utilizamos e quando terminamos, me despeço delas com um abraço, Harry faz o mesmo e vamos para o carro.
- Por que não me contou que tinha uma irmã? Eu a adorei! - digo quando saímos em direção á Londres.
- Eu esqueci, desculpa, não sei como não contei que tinha uma irmã, falo com ela quase todos os dias... - ele diz olhando para a estrada. - Elas parecem ter gostado muito de você! - ele desvia seu olhar por um segundo da pista para me encarar, estou com um sorriso gigantesco no rosto.
- Eu gostei muito delas! De verdade, Harry! - digo e pego meu celular, vejo que tem uma notificação no meu Instagram da Gemma e da Anne para me seguir, aceito e sigo de volta as duas. Guardo o celular na bolsa e ligo o som do carro do Harry.
Vamos o caminho todo comentando coisas engraçadas que aconteceram no jantar e cantando músicas que tocavam na rádio.
- E a Gemma falando do porque estou com você... Dãaa, olha só pra você, quem não quer? Quem que resiste a um homem desse? - digo rindo para o Harry.
- Ela é folgada demais, mas gosto muito dela, tenho ela como minha melhor amiga, quando estava me apaixonando por você, a primeira pessoa que eu ligava era pra ela, aquele dia que brigamos, quando entrei no meu apartamento, a primeira coisa que fiz foi ligar pra ela, não ligo de contar quando eu faço cagada, ela sempre me ajuda e me aconselha... Eu nunca ouvia seus conselhos, mas hoje vejo que vale a pena... - ele diz e sorri pra mim.
Chegamos em casa por volta das duas da manhã e fomos direto dormir, pego uma blusa do Harry, coloco-a e deito na cama, ele tira sua roupa e deita somente de cueca ao meu lado.
- Obrigada por hoje, pequena! Foi muito bom ver que elas gostaram de você e você gostou delas... Só queria te agradecer por ser tão boa pra mim. - Ele diz e aninha em mim para dormir.
- Não precisa me agradecer, faço isso porque gosto de estar com você e tudo isso é um bônus. Eu que tenho que te agradecer por ser tão bom comigo, por ser tão perfeito.
Ele beija minha barriga, pois está deitado nela e dizemos boa noite, antes de dormirmos.

Capítulo 19

Acordo com o Harry se mexendo. Dou um pequeno sorriso em sua direção, ele levanta e vai até o banheiro, quando volta, se senta na cama e pega seu notebook.
- Que horas são? - pergunto me recusando abrir os olhos.
- É cedo ainda, pequena, pode dormir mais um pouco, daqui a pouco eu te acordo - ele diz e eu afirmo com a cabeça, dormindo logo em seguida, sempre tive uma facilidade gigantesca em dormir de manhã quando estou com sono.

HARRY'S POV

Acordo cedo, pois hoje pretendo fazer uma pequena surpresa para a , quando volto do banheiro, ela está acordada, mas falo pra ela dormir e ela afirma com a cabeça. Pego meu notebook e começo a procurar um lugar que faça essa mudança rápida pra gente, a maioria tem número de WhatsApp, então mando mensagem, alguns me respondem e fecho com um, ele virá depois do almoço, são 7 horas, tenho tempo suficiente para preparar a surpresa. Coto alguns lugares que possam fazer uma decoração e preparação da nossa sala, acho um lugar e fecho nele. Agora preciso mandar mensagem pro Lou para tirar a daqui.
"Lou, tudo bem? Preciso de ajuda, vou fazer uma pequena surpresa para a , você consegue me ajudar?" - mando e espero pela resposta que vem rápido, ele deve ter acabado de acordar, são 9 horas da manhã.
"Oi Harry, claro! O que preciso fazer?" ele responde.
Combino com ele para tirar ela do apartamento, não conto nada da surpresa, ele não é bom em guardar segredo, ele disse que irá ligar daqui a pouco, combinamos um horário para ele vir buscar ela. Beleza, está tudo planejado. Agora preciso acordar ela.

'S POV

Acordo com o Harry me chamando e fazendo carinho no meu braço.
- Vamos acordar, Bela adormecida? - ele diz rindo de mim
- Faltou o beijo do príncipe encantado... - digo mostrando a língua pra ele e indo em direção ao banheiro. Lavo meu rosto, faço minhas necessidades e vou para a cozinha fazer café. Olho para o relógio e são 9 e meia da manhã - Harry? - o chamo da cozinha que vem até mim. - Você conhece um lugar que faça a mudança, não tenho mais o número de quem fez a mudança do meu apartamento...
- Eu achei um hoje de manhã e já fechei com ele... Eles virão depois do almoço - ele diz e afirmo.
- Obrigada, querido. E sobre chamar o pessoal aqui hoje a noite? Ainda está de pé? - pergunto e ele afirma.
- Se tudo bem pra você, gostaria que conhecesse algum dos meus amigos também... - afirmo com a cabeça - Tudo bem então, irei chamá-los - ele sorri e vem até mim.
- Vou mandar mensagem para o pessoal, se quiser mandar para seus amigos também... - digo e ele afirma, pegando uma xícara de café - Eu chamo o Lou, ta? - digo e ele ri.
- Tudo bem, serão só alguns amigos, tá? - Harry repete e eu afirmo rindo.
- Tudo bem, amor... A casa é sua também, lembra? - digo e começo a mandar mensagem para o pessoal. - Preciso passar no mercado, não tem nada aqui pra hoje... Estava pensando em pegar uns salgadinhos e bebidas, o que acha? Nada muito elaborado, né? - pergunto com preguiça de fazer janta para tanta gente.
- Leu meus pensamentos. Não vamos cozinhar para tanta gente assim... - ele diz e manda mensagem para seus amigos.

Mando mensagem no grupo dos nossos amigos e todos respondem que vão. Lou me chama no privado e pergunta se preciso de ajuda, digo que não, que preciso só passar no mercado e ele se disponibiliza em me levar e fazer companhia, já que o Harry disse que ficaria para caso alguém chegue antes.
Faço algo simples e rápido para eu e o Harry comermos e logo depois o pessoal da mudança chega.
Abro a porta e são 3 homens fortes e não vou muito com a cara deles, os cumprimento e um deles já vai entrando no apartamento, mas Harry aparece atrás de mim e os acompanha até o apartamento dele, quando Harry pede para eles começarem com o sofá, ele volta pro nosso apartamento, sua cara não é uma das mais amigáveis.
- Fica no quarto, por favor? Não estou a fim de me estressar com esses caras nojentos, olhando pra você como se fossem te comer com os olhos. - Afirmo com a cabeça e Harry cuida da mudança enquanto eu vou tomando banho e lavando o cabelo para adiantar, coloco uma blusa dele e sento na cama para secar meu cabelo.
Depois de terminar de secar, arrumo com um babyliss as pontas do meu cabelo para ficar enrolado. Aguardo o Harry voltar para o quarto quando acabam as coisas na sala e cozinha.
- Pronto, pequena, eles já foram... - Harry aparece no quarto e quando me vê faz um beiço de triste. - Aaaaah, já tomou banho e nem me esperou? - ele diz e se joga na cama como se fosse uma criança de 5 anos fazendo birra.
- Estava demorando muito, decidi agilizar as coisas, já que vou com o Lou no mercado, enquanto o senhor fica aqui - digo e vou escolher uma roupa. Provo uma calça branca, uma bota de salto e um cropped, saio do closet e mostro pro Harry. - O que acha?
- Uaaaau! Está gata demais! Como nunca vi essa calça antes? - ele diz e chega perto de mim passando a mão no meu quadril. - Gostei muito dela - ele diz e morde o lábio inferior.
- Faz tempo que não a uso mesmo. Mas gosto dela... - Ele solta um "eu também" assim que saio de seus braços, quando olho pra ele de novo, ele está olhando diretamente para minha bunda. - Olhos aqui pra cima, garotão - digo apontando para meu rosto e rindo.
Ele coloca a mão no rosto cobrindo os olhos e dando gargalhada. Vou para a sala e ligo a TV para passar essa 1 hora que tenho para o Lou chegar.
Harry entra no banho e fico muito tentada em ir até lá, mas me contenho. Coloco música para tocar no spotify e vou arrumando as coisas na cozinha, separando uns copos e umas tigelas. Ele aparece na cozinha com uma calça preta e uma camisa com uma estampa marrom, aberta até a barriga, amo quando ele se veste assim.
- Nossa, como está lindo! - digo chegando perto dele. - Adoro quando deixa suas camisas abertas até aqui - digo e passo a unha em seu peito nu - ele se abaixa um pouco para me beijar, seu beijo é de desejo, eu retribuo seu beijo com a mesma intensidade, meu corpo está totalmente eletrizado, ele segura minha nuca com as duas mãos e vai parando o beijo, quando ele se afasta, coloca sua testa na minha e continua segurando meu rosto, seu polegar faz carinho na minha bochecha e eu inclino minha cabeça para sua mão.
- Não vejo a hora de tirar essa sua calça, você está incrivelmente gostosa com ela. - Ele diz e sua voz é rouca e grossa, me fazendo fechar os olhos com a sensação que passa pelo corpo. - Infelizmente será uma noite longa... - ele diz e deposita um beijo na minha testa. - Que horas marcou com o Lou? - ele pergunta se desfazendo de qualquer contato comigo.
- Umas 18 horas, ele está pra chegar, vou me maquiar, se ele chegar, fala que já venho - digo e vou para o banheiro fazer minha maquiagem, não demoro muito, já que faço uma maquiagem bem básica. Vou até a sala e Harry está sentado no sofá escutando a playlist que montei para hoje, o contraste das paredes escuras e dos móveis do Harry ficam perfeitos, eu particularmente adoro casa escura, não sei o porquê, mas acho elegante. Sento ao lado dele para esperar o Lou chegar, o que não demora muito, ele me manda mensagem, eu dou um selinho no Harry e saio do apartamento para encontrar com o Lou, que está na frente do prédio.
- Loooou - digo entrando no carro e o abraçando. - Quanto tempo!
- Nem me fale, você se esqueceu da gente depois que começou a sair com o Harry. - Ele diz e revira os olhos.
- Que mentira! Tenho trabalhado demais. Não tem a ver só com ele... – digo, abro um sorriso forçado e ele ri.
Vamos até o mercado, demoramos bastante para pegar as coisas que precisamos, cerveja, vodka, licor, salgadinhos variados e chocolate. Lou sempre fazendo piada e brincando comigo, como era antigamente, realmente sinto falta dele, sinto falta de todos meus amigos. Fico animada para hoje a noite, todos irão se juntar, o que não acontece faz um mês mais ou menos, todos andam bem ocupados, com suas coisas pessoais e com seus trabalhos.
Depois de quase duas horas no mercado, vamos para o apartamento, mando mensagem para o Harry descer ajudar a gente a pegar as coisas. Quando chegamos, quem está esperando é o Andy.
- Andy!! Que saudade! - digo indo abraçar ele - Harry é um folgado, mandou você vir? - pergunto quando o solto.
- Não, eu que quis descer para ajudar, todos chegaram, só faltam vocês! - ele diz e nos ajuda a pegar as coisas do porta-malas - Eae, Lou, tudo bem, cara? - eles se abraçam também.
- Eae, Andy! Tudo certinho cara... Todo mundo chegou? - Lou pergunta e Andy afirma. Eles trocam olhares que me deixa desconfiada, será que estão escondendo algo de mim?
- O que foi? - Pergunto me colocando na frente deles antes de entrar no elevador, eles se entreolham e dão de ombro. - Sei que tem algo ai... Vai, pode desembuchar... - digo e eles riem da minha cara.
- Não é nada, , vamos... Todos estão com saudades de você! Para de frescura... - Lou diz e cerro os olhos pra ele... Ele é um péssimo mentiroso, mas deixo passar, se continuar, eu pergunto de novo.
Saímos do elevador e vamos até o meu apartamento, quando abro a porta...

Capítulo 20

Quando abro a porta do apartamento, todos os meus amigos estão lá e mais umas pessoas que não conheço... A sala está toda decorada com luzinhas, o sofá está no canto e no centro da sala tem uns paletes com almofadas, super fofo.
-Oo que é isso? - pergunto indo em direção ao Harry, ignorando todos os nossos convidados, seu sorriso mostra que está super satisfeito com a decoração.
- Surpresa? - ele diz segurando meu rosto com suas mãos e me dando um selinho. Ele solta meu rosto e pega as sacolas que estão em minhas mãos.
- Você que fez isso? - pergunto olhando para a sala mais uma vez, amei demais a decoração assim.
- Eu contratei um lugar, isso quer dizer que eu que fiz, né? - ele diz coçando a nuca tímido.
- Sim, love. Está lindo demais! - digo deslumbrada. Todos estão olhando pra mim como se eu não fosse desse mundo. - Oi pessoal! - digo e vou cumprimentar meus amigos, abraço todos e quando chega nos amigos do Harry, ele me apresenta um por um.
- Esse é o Niall - ele diz para um menino de cabelos loiros - Ed - um menino ruivo e cheio de tatuagens coloridas - Liam - um rapaz super simpático e um sorriso contagiante - Zayn - um menino muito bonito cheio de tatuagens também - Luke - outro menino loiro com um piercing no lábio inferior - Ashton - um menino muito fofo e com sorriso lindo - Calum - um menino com umas bochechas fofas e super simpático - e por último o Michael - um menino com o cabelo meio rosa. Abraço todos e digo para ficar à vontade. Os meninos foram super simpáticos, Harry continua conversando com eles e Lou se junta a ele. Vou até meus amigos.
- Ai que saudade que estava de vocês! Vocês não fazem ideia! - digo e abraço a Nina.
- Abandonou a gente depois que começou a sair com o Harry... - Drew diz.
- Eu disse a mesma coisa! - Lou entra no meio da conversa e todos caem na risada. – Por que não sentamos nos paletes todos e conversamos?
Todos concordam com ele e vamos sentar nos paletes. Sentamos em uma roda, Luke, o menino loiro com o piercing no lábio pega o Violão do Harry que está na sala e senta com a gente.
Estou sentada ao lado do Harry, ele ainda parece um pouco nervoso, não está totalmente relaxado, como quando estamos em festas. Luke começa a tocar uma música, Harry, Lou, Niall, Liam e Zayn começam a cantar. Já devo ter escutado essa música em algum lugar, mas agora não lembro onde...
“Baby, I'm dancing in the dark with you between my arms Barefoot on the grass, we're listenin' to our favorite song When you said you looked a mess, I whispered underneath my breath But you heard it, darling, you look perfect tonight”
Harry canta sozinho essa parte da música e sorri pra mim. Não tiro meus olhos dele, ele parece um anjo cantando, sua voz fica 10 vezes mais bonita quando canta, estou incrivelmente hipnotizada por ele.
Levanto para pegar os salgadinhos e as bebidas e colocar no meio da roda.
Quando volto, Harry faz com que eu sente entre suas pernas e chama a atenção de todos.
- Pessoal, chamamos todos aqui pra falar que vamos morar juntos, sei que parece cedo demais, mas por conta do trabalho, decidimos que essa é a hora certa... E dito isso... , quer namorar comigo? Sei que estamos namorando, mas gostaria de oficializar... - Harry solta as mãos que estão a minha volta e abre uma caixinha preta com dois anéis de prata.
- Ah meu Deus! Claro que sim! - digo virando pra ele e o abraçando - Harry, você não existe! - dou um selinho nele.
Todos começam a gritar, fazer bagunça e tacar almofadas na gente, por incrível que pareça, Wes está no meio e parece realmente feliz por mim. Gostei bastante dos amigos do Harry, fico brincando com o Luke e com o Niall, eles foram o que mais me identifiquei dos amigos do Harry, gostei de todos, são uns fofos, cantam muito bem, são simpáticos.
Ficamos até tarde com o violão cantando e tocando músicas aleatórias, brincando entre si e conversando bastante, fiquei uma boa parte da noite com a Nina, colocando o papo em dia e interagindo com meus amigos, respondendo as perguntas bestas do Drew sobre a viagem para Califórnia.
- Deixa a gente ir com vocês! - Drew e Wes dizem - Imagina a gente surfando nas praias de lá que tooooop!! - Eles começaram a conversar entre si sobre surfe, eles não são britânicos, só estudaram aqui e ficaram como eu. Eles são apaixonados por surfe e skate.
Deixo-os um pouco de lado e vou conversar com os amigos do Harry.
- Oi meninos! - digo chegando à rodinha deles - Estão se divertindo? Precisam de alguma coisa? - Digo e Lou pega minha mão e me puxa para dançar com ele.
- Dança comigo! - ele diz e gruda nossos corpos para dançarmos juntos. Eu mais dou risada do que danço com ele, eu amo demais o Lou, o tenho como um irmão. Ele me joga pra trás e volta, parando de dançar comigo.
- Também quero! - Harry vem correndo em nossa direção - Mas você vai ter que me ensinar! - provavelmente ele está bebado, eu estou bem alegre, mas se eu continuar sei que vou ficar pior que o Harry.
- Aaaah não! Dança com o Lou! - Digo empurrando o Lou pra ele.
Sento no palete olhando meus amigos e os amigos do Harry, fico muito feliz em estarmos todos juntos. Continuo bebendo minha vodka com licor de menta.
Quando da umas 4 da manhã, o pessoal começa a ir embora, me despeço de todos e sobra só eu e o Harry.
- Finalmente! Ele diz vindo à minha direção, meu Deus, tive tempo de pensar a noite inteira em quais formas eu te vou te foder... - ele diz e não tenho nem tempo de falar nada, ele me beija com muita intensidade, me pega no colo e me prende na parede, aperta minha coxa e me segura levando para o quarto, ele me coloca na cama e sobe em cima mim.

Capítulo 21

Harry não perde nem um segundo, sobe em cima de mim, segura minhas mãos pra cima da minha cabeça e começa a beijar meu pescoço, descendo devagar até meu peito, ele solta minhas mãos, tira meu cropped e sutiã, deixando meus peitos a mostra, ele deposita beijinhos molhados até chegar no bico do meu peito, deixando cada vez mais rígido, ele lambe e deixa a pele totalmente sensível nos meus seios, com o tesão que estou, sinto que se ele continuar com isso, eu chego no meu orgasmo facilmente.
Ele desce até minha barriga e deixa um caminho úmido por conta dos beijos que está depositando, quando ele está prestes a abrir minha calça, ele para e me observa. Seus olhos que normalmente são tão verdes, estão escuros.
- Harry, você está me matando... - digo e jogo a cabeça pra trás quando ele sorri de lado.
- Mas que mulher apressada... Eu tive que esperar a noite toda, olhar para esse corpo maravilhoso e não poder te foder... Não foi fácil... E você não aguenta um pouco de tesão? - ele diz divertido e beijando a barra da calcinha depois de abrir a calça.
- Um pouco? - digo e ele ri.
Meu olhar pra ele implora para que ele pare de me torturar com esses beijos e carícias por cima da roupa, meu corpo está desesperado pelo seu toque.
- Não consigo! Eu preciso de você agora, dentro de mim! - digo e sento na cama, indo a sua direção, seu sorriso cresce quando ele percebe que estou desesperada por ele.
Tiro sua blusa, puxo ele pra cima de mim, desabotoo sua calça e empurro pra baixo, Harry me ajuda com uma mão e depois tira minha calça e calcinha.
Ambos estão nus, Harry com dois dedos dentro de mim e eu o masturbando.
- Primeira gaveta? - ele pergunta e eu afirmo, diminuindo a velocidade da minha mão. Ele tira os dedos de dentro de mim, pega a camisinha, abre e coloca em seu pênis - Vira... - ele diz e eu fico confusa.
- O que? O que você quer fazer? - pergunto.
- Quero que fique de quatro - ele diz e eu obedeço, ficando de quatro, enquanto o Harry fica de joelhos na cama. Quando ele começa a se movimentar dentro de mim, desço meu rosto para o colchão, para ficar em uma posição melhor para ambos. Harry segura meu pescoço e cabelo enquanto entra e sai de mim. - Geme pra mim, pequena - sua voz está implorando para que eu faça o que ele pede. Começo a gemer seu nome e dizer o quão bom é fazer sexo com ele.
Não demora muito para que os dois se deitem na cama, cansados, suados e totalmente satisfeitos.
- Porra ... Quer tomar banho? - ele diz e seu sorriso malicioso surge mais uma vez.
- Você ainda pergunta? - respondo com a mesma intensidade pra ele.
Sei que hoje iremos transar até amanhecer...




Fomos dormir 7 horas da manhã, tomamos banhos, transamos, fomos na sala, transamos, na cozinha, transamos, voltamos no quarto e transamos antes de dormir.
Preciso lembrar-me de usar essa calça mais vezes, a recompensa foi maravilhosa!
Acordo às 14 horas com o celular do Harry tocando, ele não acorda pra atender.
- Harry, seu celular! Atende ele... - digo e ele resmunga algo sem nexo e me da o celular para atender. - Alô? - digo quando atendo o celular dele.
- Harry? - a voz masculina e familiar fala. Tiro o celular da orelha para ver quem é. Luke.
- Oi Luke, é a ... Harry está dormindo, quer que eu peça pra ele te ligar mais tarde?
- Oi ! Pede pra ele me ligar depois, por favor! - ele diz e nos despedimos.
- Era o Luke, depois liga pra ele. - Balanço o Harry e digo depois de entregar o celular pra ele.
Ele resmunga algo que não entendo e levanto da cama.
- Onde vai pequena? - ele me acompanha com os olhos
- Já volto, vou fazer café e ir no banheiro - digo e entro no banheiro primeiro, quando saio, ele está sentado na cama.
- Quer ajuda com o café? Pensei em fazer panquecas... O que acha? - ele pergunta vindo até mim.
- Uma ótima ideia! Já que vamos praticamente almoçar... - digo olhando para o celular para ver o horário. Vou até a cozinha e ele me acompanha.
- O que o Luke queria? - ele pergunta e eu pego o liquidificador.
- Não sei, ele não falou... Só pediu para você ligar pra ele depois - digo e começamos uma 'briga', pois Harry teimou comigo que queria fazer as panquecas e ele acabou ganhando.
- Fazia tempo que não falava com os meninos... Eles devem ter achado estranho eu ter convidado... - ele diz, mas acho que foi mais um pensamento alto e não falando nada.
Harry faz todas as panquecas, coloca no prato e me serve, colocando calda de chocolate que ele acabou de preparar com morangos em cima.
- Harry, está uma delícia! - digo provando a panqueca. - Vou deixar você cozinhar mais vezes.
- Não sei fazer muita coisa, mas o que aprendi, sei muito bem! - ele diz se vangloriando, terminamos de comer, vou lavar as coisas que sujamos e Harry vai pra sala, liga a TV e fica no sofá. Termino de arrumar a cozinha e me junto a ele.
- Falou com o Luke? - pergunto e me deito em seu colo.
- Ainda não, vou ligar pra ele antes que esqueça, de novo... - ele ri e pega o celular que está do seu lado. - Eae, Luke! - ele diz quando o Luke atende ao telefone. - Não, por quê? Aaah... Vou ver se ela quer ir... Está bom, vamos nos falando pelo whatsapp. Harry desliga o telefone e começa a fazer cafuné em mim.
- O que ele queria? - pergunto por curiosidade.
- Eles vão fazer um show e gostariam que a gente fosse... Quer ir? - ele da de ombro olhando para a TV.
- Eles têm uma banda? - pergunto e levanto do seu colo, chocada por ele não ter me falado.
- Sim! 5 Seconds Of Summer. - Ele diz e me olha divertido.
- Que legal! Por que não me contou? Sabia que eles cantavam bem pra caramba... Você também canta com eles? - pergunto e ele nega.
- Só algumas vezes, mas a maioria das vezes, eles cantam sozinhos... Tenho muita vergonha.
- Você sabe que você tem muito potencial, né? - digo e ele sorri envergonhado.
Deito em seu colo de novo, conversamos sobre a série que está passando, digo que se ele quiser ir ao show dos meninos, eu vou gostar muito de ir, deixo por conta dele a escolha. Terminamos de ver o episódio de uma série chamada Lúcifer, me interessei e pretendo assistir desde o começo. Harry levanta e começa a arrumar a sala, ainda está um pouco bagunçado por conta da noite anterior, levanto e ajudo-o a arrumar.
- Pequena, vai se arrumar, daqui uma hora mais ou menos vamos ver os meninos tocar - Harry diz e olha o relógio. Afirmo com a cabeça e vou até o quarto me trocar.
Escolho uma calça skinny preta um pouco rasgada, um tênis branco, uma blusa de moletom cinza e uma blusa de couro preta por cima.
Deixo meu cabelo solto, passo uma maquiagem um pouco elaborada e assim que estou pronta, vou para a sala ver o Harry, ele está mexendo no celular e fico parada no corredor observando-o. Ele parece um pouco preocupado, chego perto dele e ele sorri.
- O que foi? - pergunto.
- Nada, pequena... Vou me trocar e já vamos, tá bom? - ele diz e vai para o quarto. Depois de uns 15 minutos, ele aparece pronto na sala. - Vamos, baby? - afirmo com a cabeça e vamos até o local do show.
No caminho, Harry parece um pouco preocupado, não sei o porquê ele está assim, mas decido deixar acontecer... A noite será longa hoje...


Capítulo 22

O lugar do show era em uma pequena boate, não estava lotado, mas também não estava vazio. Chegamos em 20 minutos, o caminho até lá foi um pouco silencioso. Harry estaciona o carro, sai e vem abrir a porta pra mim, ele começou com essa mania de sempre querer abrir a porta pra mim, particularmente eu acho muito fofo, ele pega minha mão e anda em direção à porta, mas paro ele no meio do caminho.
- Harry. Aconteceu alguma coisa? – pergunto, puxando o braço dele para que ele pare.
- Pequena, podemos falar isso depois? - ele diz e olha pra baixo.
- Eu fiz alguma coisa? - fico na frente dele e ele me olha.
- Não, meu amor... Você não fez nada de errado, fique tranquila. - Ele deposita um beijo na minha testa e pega minha mão de novo.
Fico um pouco mais tranquila quando ele diz que não está assim por minha causa, mas ainda continuo curiosa para saber o porque ele mudou do nada. Tento tirar isso da minha cabeça e o acompanho.
Entramos na pequena boate a procura dos amigos do Harry, não demora muito para encontrar com o pessoal, todos estão perto do palco.
- Styles! Achei que não vinha mais... - Luke diz e eles se cumprimentam - ! - ele diz e vem me abraçar, seu abraço é muito gostoso por sinal.
- Eu atrasei um pouco, desculpa - Harry diz e cumprimenta o resto do pessoal, pelo o que eu entendi, Luke, Michael, Ashton e Calum são da banda, além deles, estão Niall, Zayn, Liam, Louis e Ed para prestigiar os amigos.
- Oi pessoal! - digo e cumprimento um por um.
- Quer alguma coisa para beber, pequena? - Harry pergunta e eu nego com a cabeça, ele fica do meu lado, mas sem contato nenhum.
Os meninos se despedem e sobem para começar o show. Eles cantam muito bem e pelo o que percebi, são muito fans de Green Day. Eles cantaram alguns covers e algumas musicas próprias, adorei o estilo de música deles.
- Agora, queremos chamar um amigo muito especial! Harry Styles! - Ashton chama o Harry no palco e eu começo a rir, ele arregala o olho pra mim e eu o incentivo a ir. Ele deposita um beijo na minha testa e sobe no palco com os amigos.
Harry começa a cantar Make You Mine do PUBLIC, amo essa música, ele canta perfeitamente e quando acaba, eu grito muito, olho pros meninos que estão do meu lado e eles riem de mim, mas Niall continua gritando comigo.
- Lindo! Gostoso! UHUL! - eu e Niall gritamos rindo.
- Boa noite, pessoal! Meu nome é Harry Styles e essa música eu escrevi há uns anos... - Harry começa a cantar uma musica que me emocionou demais.

"I know I'm not your only
But I'll still be a fool, babe I'm a fool for you
Just a little bit of your heart"


Fico emocionada com o jeito que Harry canta a sua música, talvez seja por isso que ele estivesse nervoso... Quando ele desce do palco, todos estão aplaudindo e gritando pra ele.
- Meu amor, você foi sensacional! - digo e ele me abraça, seu abraço está tão apertado que sinto a batida do seu coração que está acelerado - o que foi, meu amor? – pergunto, me afastando um pouco dele.
- Eu publiquei há um tempo um essa musica que acabei de cantar, hoje entraram em contato comigo, perguntando que eu gostaria de gravar ela no estúdio...
- Que legal!! Fico muito feliz por você, baby! Você tem muito talento! Deve ir sim! - digo feliz, ele me abraça e me ergue.
- Não está brava?
- Claro que não! Você merece todo o sucesso do mundo, meu amor! - digo e ele me beija. Quando estamos nos beijando, eu ainda no seu colo, alguém aparece chamando Harry.
- Styles? - uma moça chama a atenção dele, solto minhas pernas da cintura dele e ele me coloca no chão.
- Jenner? O que faz aqui? - ele olha pra ela e olha pra mim depois. - O que quer? - ele diz bravo.
- O que é isso, Harry? Não me tratou assim da ultima vez que nos vimos. - Ela diz e sorri maliciosamente pra ele. QUE?
- Kendall, eu não tenho nada pra falar com você, depois de tudo o que fez comigo, ainda acha que quero falar com você?
- Não vai me apresentar ao seu novo brinquedinho? - Ela diz e olha pra mim. Os meninos se entreolham até que Niall tenta tirar ela perto do Harry, mas sem sucesso. - Parece que o brinquedinho é querido então. Vamos ver quem ganha.
- Escuta aqui, não te conheço real, não faço a mínima ideia de quem você é, então, sugiro que saia de perto de mim, pois não tenho problema nenhum de quebrar essa sua cara cheia de plástica. - Digo e todos caem na gargalhada. Harry passa o braço pela minha cintura, me puxando mais perto dele. - E nunca mais fala desse jeito com o meu namorado - enfatizo o namorado.
- Seu o que? - ela engasga.
- Está surda ou é burra? N-A-M-O-R-A-D-O - digo soletrando a última palavra.
- Até parece que o Harry iria querer namorar com você... - ela diz e eu saio dos braços do Harry para encarar o serzinho que está na minha frente. Não falo nada, só levanto a mão e mostro a aliança - o que? - ela diz e olha para Harry que dá de ombros. - Você só pode estar de brincadeira comigo! - ela sai dando piti e nós caímos na gargalhada.
- Quem era a Barbie cheia de plástica? – pergunto, chegando perto do Harry.
- Uma das meninas que era obcecada por mim e eu nunca quis nada sério... - ele diz e me olha cuidadoso - eu achei que você ia realmente quebrar o nariz dela - ele diz e eu dou risada.
- , você deveria ter quebrado o nariz dela... - Louis diz e eu dou de ombros.
- Depois precisamos conversar melhor sobre o estúdio... Não é tão simples como você pensa - Harry diz e eu afirmo com a cabeça.
Terminamos de ver o show dos meninos e esperamos eles virem ficar com a gente. Atenderam algumas pessoas que queriam tirar foto e pegar autógrafo e vieram até nós.
- Meninos! Que arraso! Vocês são sensacionais! - Digo e abraço cada um.
- Gostaram? Harry, você foi ótimo! - Ashton diz e puxa o Harry para conversar de lado.
- Gostou, ? - Luke pergunta pra mim e fica do meu lado.
- Amei! Vocês são muito bons! Sério, amei a música de vocês! - digo e sorrio pra todos, dou uma olhada rápida para Harry e ele está virado olhando pra mim enquanto conversa com o Ashton.
Ashton parece estar super animado conversando com o Harry e ele não parece muito feliz com o que estão conversando, paro de olhar para Harry e sinto que ele continua me observando, dou risada e mando uma piscadinha pra ele, que abre um sorriso maravilhoso.
- Então, , logo irá para a Califórnia, certo? - Luke pergunta puxando papo comigo.
- Isso! Irei a trabalho - continuo conversando com o Luke até o Harry voltar e me abraçar por trás. – Oi, neném.
- Vamos? - Harry diz no meu ouvido e acabou arrepiando inteira, afirmo com a cabeça e nos despedimos de todos.
Vamos até o carro rindo da cara do Harry enquanto ele conversava com o Ashton, então decido perguntar o porquê.
- Porque ele quer que eu vá para o estúdio, eles também vão, chamaram eles também. - Ele diz cabisbaixo.
- Harry, eu não entendo! Você deveria estar muito feliz com isso! Por que está desse jeito?
- Você não entendeu mesmo... , se eu for, vou ter que me demitir da Lewis e ir para Los Angeles - Harry diz e para o carro no semáforo, ele me olha atentamente, não consigo dizer nada. - Fala alguma coisa, por favor.
Olho para a janela do carro para que ele não olhe pra mim chorando, tudo o que tínhamos planejado, foi por água abaixo, tudo.
- É isso que você quer? - digo sem olhar pra ele com muita dificuldade, pois minha garganta está tão fechada por eu tentar segurar o choro.
- Sim e não. Eu não sei ... Esse é meu sonho, mas eu não quero ir sem você. Olha pra mim. - Ele pede e eu viro pra ele com os olhos cheios de lágrimas, ele sabe o que está por vir.
- Esse é o seu sonho, Harry, vai atrás dele, você merece! Você tem talento... Mas infelizmente vamos ter que seguir caminhos diferentes. Me dói muito isso, pois eu amo você e não quero te deixar também, mas não vou largar o emprego da minha vida. Desculpa - digo e começo a chorar.
Eu continuo chorando até chegar ao nosso apartamento, Harry abre a porta e eu vou direto para o banheiro, sento na porta e começo a chorar de soluçar. Não sei como será daqui pra frente, não sei quando ele vai, não sei mais de nada. Só sei que eu amo ele.
- Pequena, não precisa ficar trancada no banheiro, vem conversar comigo. Por favor - ele diz por de trás da porta. Levanto do chão e abro a porta pra ele, no mesmo instante ele me abraça muito forte e fica repetindo que me ama.
- Eu não posso ser egoísta com você... Você precisa ir, essa é a sua chance... Por mais que eu não quero que vá, você precisa ir.
- Nós vamos ficar bem, tá? Não precisamos nos separar, não precisamos terminar... - ele começa a dizer e eu o interrompo.
- Não, Harry, não tem como isso funcionar! - eu digo e ele me solta.
- Você vai para Califórnia, pequena, iremos ficar juntos daqui um tempo de novo.
- E depois? Eu volto para Londres e você fica em LA. Harry, não tem como isso funcionar desse jeito. - Digo apontando para nós dois.
- Não, , vai funcionar. A gente precisa fazer funcionar... Não faz sentido se eu não estiver com você. - Ele segura meu rosto com as duas mãos para que eu olhe em seus olhos. - Eu não vou deixar você.
- Não é essa a questão, Harry! - ele me interrompe
- Vamos tentar, pelo menos, por favor. Eu preciso de você - ele diz e eu afirmo com a cabeça, ele sorri de lado e me beija.
Minhas lágrimas teimam em cair, ele termina o beijo e limpa minhas lágrimas.
- Não chora, por favor. - Ele implora pra mim.
- Harry... - ele me interrompe de novo.
- Shhhh... Só vem pra cama comigo e vamos dormir... - ele diz e me abraça mais uma vez.
Vamos para a cama juntos, ele me coloca deitada em seu peito para dormir, quando vejo que o Harry está dormindo, saio do seu abraço e levanto da cama indo em direção para a sala. Ligo a TV e fico assistindo a série que estávamos vendo hoje, Lúcifer.
Harry aparece na sala com o cabeço bagunçado e muita cara de sono.
- Por que não está dormindo comigo? - ele pergunta e vem até mim.
- Porque não estava conseguindo dormir. - Digo indiferente.
- Tudo bem... - ele diz e deita no sofá ao meu lado, ele se ajeita atrás de mim para ficar de conchinha comigo.
- Harry... Amanhã a gente vai trabalhar... Vai dormir, não precisa ficar aqui comigo, eu só não estou conseguindo dormir.
- , eu não vou te deixar, que parte que você não entendeu? Eu NUNCA vou te deixar. Você me tem por completo e eu te tenho por completo. Não precisa ficar assim. - Ele diz e faz carinho no meu cabelo.
- Não vou ficar feliz por essa situação, estou feliz por você, mas não por ter que me deixar.
- Eu não vou te deixar - ele repete.
- Vai Harry, mais cedo ou mais tarde, vai! É isso que vai acontecer. - Digo derrotada.
- Não vou, não importa onde eu esteja, eu sou seu e você é minha - ele me vira para ficar de frente a ele.
- Eu sei disso, Harry. Mas é só até você conhecer uma pessoa melhor... - digo e ele ri de mim - não ri! É sério.
- Não tem ninguém no mundo que vai conseguir fazer com que eu pare de te amar, pequena. - Ele diz e eu fecho os olhos, pois as lágrimas estão querendo vir de novo. - Não chora! Vamos ficar bem... Eu sei que vamos... - ele diz baixinho e me puxa para seu peito, fazendo cafuné em mim, até que consigo dormir...



Continua...



Nota da autora: Sem nota.


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.

Lindezas, o Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.


comments powered by Disqus